Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Um Piquenique e muita História

por Moira, em 03.05.10

De volta ao século XXI, é tempo de vos contar o que andei a fazer nestes dias de sol em que deixei o blog e fui descansar e comemorar o meu aniversário de casamento.

Turistas Holandeses em Idanha-a-Velha         Natural de Idanha com um ramo de malvas

Nos Céus de Idanha

A primeira paragem foi em Idanha-a-Velha, povoação repleta de história que nos transporta a épocas bastante remotas.

Para além de vestígios da pré-história, por lá passaram, Celtas, Romanos, Suevos, Visigodos e Árabes.

Os  Romanos começaram por chamar-lhe Civitas Igaeditanorum, evoluindo para Igeditanea, à época foi uma cidade de enorme importância na ligação entre a Guarda e Mérida estando na rota da Via de Prata que ligava Bracara Augusta (Braga) a Emérita Augusta (Mérida).

As suas muralhas devem ter sido construídas entre os séculos III e IV, quando das Invasões Bárbaras.

A seguir aos Romanos vieram os Suevos e os Visigodos, e também os árabes que sob o comando do Tarik Ibn-Ziad conquistaram grande parte da Península Ibérica, e que lhe deixaram de herança a origem do nome Eydaiá ou Idania.

D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal conquistou-a aos Árabes por volta de 1165, tendo-a entregue a D. Gualdim Pais 6º Mestre da Ordem dos Templários.

A sua Torre de Menagem foi construída por volta de 1197, altura em que D. Sancho I confirmou a doação de Idanha, feita por seu pai à Ordem dos Templários.

Passados séculos Idanha a Velha perdeu a posição dominante que tinha, mas continua a transbordar história em todos os vestígios deixados, em cada pedra, em cada rua, em cada esquina, é por tudo isso e ainda pelos magníficos passeios pedestres que pode fazer, que se justifica uma visita demorada a Idanha a Velha e arredores, mas desses falarei mais tarde.

O dia estava lindo e quente, por isso aproveitamos as sombras à beira do rio Ponsul para fazer um piquenique e comer uma salada de arroz de inspiração italiana, desfrutando da calma que por aquelas paragens se faz sentir.

Salada de Arroz

Ingredientes:

  • 1 chávena pequena de arroz branco cozido (pode aproveitar sobras de arroz cozido)
  • 1 lata de atum
  • 1 lata de salsichas tipo Frankfurt cortadas
  • 2 colheres de sopa de milho cozido
  • 2 colheres de sopa de azeitonas descaroçadas e picadas
  • 1 colher de sopa de pickles picados
  • 2 tomates cortados aos cubos
  • Azeite e vinagre para temperar

Preparação:

Misturam-se todos os ingredientes, tempera-se com azeite e vinagre e leva-se ao frio para refrescar.

 

Notas:Os dados históricos aqui relatados, são resultado da compilação e leitura de várias páginas encontradas na net sobre Idanha-a-Velha, não posso por isso comprovar a sua veracidade histórica. Mas por tudo o que vi, não tenho dúvidas que Idanha-a-Velha foi outrora uma localidade muito importante, não deixem por isso de a visitar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:36

C de Chocolate e outros "Cês"

por Moira, em 26.03.10

Os desafios culinários voltaram à blogosfera portuguesa e que saudades que eu já tinha de puxar pelos neurónios para fazer uma comidinha, a culpa, no bom sentido é do Delícias e Talentos que lançou o desafio Cozinhar o Alfabeto e que começa pela letra C.

Para entrar no desafio é necessário publicar uma receita, até ao dia 1 de Abril em que pelo menos três dos ingredientes comecem pela letra C.

Acontece que a minha cabecinha cansada não conseguia pensar em ingredientes começados por C, a única coisa que me vinha à cabeça era Chocolate e eu nem sequer queria fazer um doce.

No início da semana apareceu um folheto de um supermercado na minha caixa de correio que tinha umas codornizes e aí fez-se luz, C de Chocolate, C de Codorniz, e outros "Cês" se foram juntando até chegar à receita de hoje.

Depois de estarem ao lume, lembrei-me das melhores codornizes que comi num restaurante, foi em Cáceres faz anos e que fiquei com uma enorme vontade de as reproduzir, ou de voltar a Cáceres, o que bem pensado também não era má ideia.

Mas por hoje deixo-vos a minha sugestão para compor o alfabeto.

 

Codornizes com Chocolate e Arroz de Limão

Ingredientes:

  • 3 codornizes
  • 1 cebola média
  • 1 courgette pequena
  • 1 cenoura
  • 20 g de chocolate com mais de 70% de cacau
  • 3 a 4 colheres de sopa de azeite
  • 1/2 copo de vinho branco
  • sal e pimenta q.b.

Preparação:

Tempere as codornizes com sal e pimenta e borrife com um pouco de vinho branco.

Pique a cebola e rale a courgette e a cenoura.

Leve o azeite ao lume e aloure as codornizes por todos os lados, quando estiverem douradinhas retire-as e reserve, deite os legumes no mesmo tacho onde alourou as codornizes, deixe saltear um pouco em lume forte e refresque com o vinho branco. Volte a colocar as codornizes no tacho sobre os legumes, tape e deixe cozinhar em lume brando durante cerca de 30 minutos ou até os legumes estarem desfeitos e as codornizes cozidas, se necessário adicione um pouco de água para não secar. Triture o molho e adicione o chocolate ralado mexendo para dissolver, sirva bem quente com arroz de limão.

 

Arroz de Limão

Ingredientes:

1 chávena pequena de arroz basmati

1 colher de chá de mostarda à antiga (com os grãos inteiros)

1 colher de chá de coentros frescos picados

raspa e sumo de 1/4 de um limão

1 dente de alho muito bem picado

sal q.b.

1 colher de sopa de azeite

Preparação:

Coloque o azeite num tacho adicione o arroz e o alho picado, dê uma mexidela e adicione 2 chávenas de água quente, junte a raspa e o sumo de limão, a colher de mostarda e os coentros, tempere com um pouco de sal e deixe cozinhar em lume brando até a água se evaporar por completo.

 

Notas: A inspiração para o arroz fui buscar ao Figo Lampo, eu ao contrário da Margarida, quando faço arroz de acompanhamento é sempre branco e simples, mas depois desta experiência não sei se tudo voltará a ser como dantes. Gostei muito do resultado que será repetido mais vezes.

Para quem me acompanha com regularidade sabe que já experimentei o chocolate anteriormente em receitas salgadas, a primeira vez achei o sabor estranho, todos gostaram excepto eu. Desta vez o chocolate vem em menos quantidade e sobre um puré de legumes, e o resultado foi completamente diferente e para mim muito melhor. Digamos que a única coisa que não me continua a agradar é a cor, pessoalmente acho que não tem uma cor muito atractiva, mas o sabor desta vez ficou aprovadíssimo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:42

Uma Receita para a Manelita

por Moira, em 28.02.10

A Manelita dos Açores pediu uma salada para comemorar o 2º Aniversário do Delícias e Companhia, é que ela agora está de Dieta no também seu Delícias Saudável, e eu que já passei pelo mesmo há vários anos atrás sei como é importante o apoio dos amigos e da família para conseguir atingir o objectivo a que nos propomos e que não é possível só com força de vontade.

Na realidade eu queria uma verdadeira salada, mas com a falta de tempo que ando, de repente percebi que a data limite era hoje, sem mais alternativas que não fosse a vontade de celebrar este segundo aniversário, saiu esta espécie de salada que nem sequer se parece com uma salada, mas como o que se pretendia era algo pouco calórico, acho que passa.

Um dos ingredientes que usei foi o arroz, elemento pouco comum nas dietas por ser um hidrato de carbono, no entanto o facto de ser integral e basmati, faz com que possa ser usado numa dieta, posto isto passemos à receita.

Salada de Legumes com Camarão Grelhado

Ingredientes:

  • 12 Camarões
  • 1 chávena de café de arroz basmati integral
  • 1 chávena de chá de ervilhas
  • 1 bom pedaço de alho francês

Preparação:

Cozer o arroz em bastante água e sal, durante cerca de 25 minutos. Escorrer e reservar.

Cozer as ervilhas, escorrer e reservar.

Cortar o alho francês em tiras finas no sentido do comprimento e levá-lo ao lume só com uma colher de sobremesa de azeite, temperar com sal e pimenta e mexer constantemente só para amolecer o alho.

Grelhar as gambas apenas com um pouco de sal.

Num prato fazer um ninho com o alho francês, colocar as ervilhas e o arroz, decorar com os camarões grelhados.

 

Nota: As quantidades são para duas pessoas.

Servi com um molho feito com apenas uma colher de sopa de azeite virgem, outra de vinagre de frutos silvestres, umas raspas de gengibre fresco e uma pitada de colorau.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:42

Saudades de "Piquenicar" e uns Pastéis de Arroz

por Moira, em 26.02.10

Em tempos idos estes pastelinhos eram para nós um grande petisco, serviam de refeição ou eram levados para piqueniques, mas hoje passados estes anos percebo que era a forma que a minha mãe tinha de recriar refeições feitas quase do nada, num tempo em que poupar era fundamental e obrigatório para sobreviver.

E por falar em piqueniques, parece que é uma coisa em vias de extinção no nosso país, tanta vez o povo português foi criticado por levar a manta e o garrafão para todo o lado que de repente parece que surgiu uma espécie de vergonha nacional e salvo raras excepções parece que se acabaram os piqueniques.

Claro que para os meus amigos transmontanos e também para os alentejanos fazer um piquenique é uma coisa normal.

Quando se vai de carro por essa Europa fora também é vulgar encontrar famílias a "piquenicar", mas se de repente alguém se lembrar de estender uma manta num dos belíssimos relvados da Expo para fazer um piquenique somos olhados de soslaio e consegue-se ler no pensamento de quem olha, qualquer coisa como: Pelintra!

O meu amigo F. está farto de falar dos piqueniques e eu começo a ficar entusiasmada, por isso fica já decidido que assim que o tempo melhorar vamos fazer um piquenique, até porque eu estou desejosa de apanhar um pouco de sol, que já estou a ficar com o ar deslavado dos actores do "Crepúsculo".

Mas vamos ao que interessa e como no aproveitar é que está o ganho deixo-vos os pastelinhos de arroz da minha mãe, que podem ser feitos com qualquer tipo de sobras de arroz, de tomate, de bacalhau, de cenoura...

Pastelinhos de Arroz

Ingredientes:

  • 400 g de arroz cozido (usei arroz de tomate)
  • 1 ovo
  • 2 colheres de sopa mal cheias de farinha
  • 1 ramo de salsa picado
  • 1 cebolinha picada (facultativo)

Preparação:

Bater o ovo, misturar com o arroz, adicionar a farinha polvilhando e mexendo para não criar grumos.

Com a ajuda de duas colheres fazem-se os pastelinhos que se fritam em óleo quente.

Servem-se com uma salada.

 

Nota: A massa deve ficar com consistência suficiente para se poder moldar com as colheres, mas para quem não quiser ter esse trabalho pode ser fritar às colheradas, não fica é tão bonito.

E escusado será dizer que se deve consumir com muita moderação por ser frito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:41

Tertúlias da Pipoka

por Moira, em 17.11.09

A Pipoka é uma das Three Fat Ladies, parece ser um doce de pessoa, pelo menos é assim que a imagino, gosta de experimentar comidas exóticas, é fã incondicional de comida indiana e é também uma das participantes no projecto 4 por 6, de que já vos falei antes. Este também era um dos blogs que eu lia antes de de ter iniciado o Tertúlia, e é um blog a que recorro frequentemente quando estou sem ideias para o jantar (acreditem que também tenho dessas coisas).

Esta cozinha hoje fica mais uma vez nas mãos de mais uma das minhas convidadas,  mãos cheias de mestria como poderão comprovar pela receita enviada pela Pipoka.

Deixo-vos as palavras e a receita com que me presenteou:

As especiarias são uma boa metáfora para representar a minha paixão pelo Tertúlia de Sabores (e admiração pela Moira). Um blogue aromático, doce, quente, aconchegante... que me viciou por estes ingredientes, mas também pela sabedora prosa da Moira, as belíssimas imagens e as receitas inspiradoras. Os meus parabéns pelos 2 anos do Tertúlia, e por tudo o que faz deste blogue um dos meus favoritos.

 

Fotos da autoria da Pipoka, gentilmente cedidas para este evento.


Entrecosto Caramelizado com Especiarias

e Arroz de Ananás -  para 4 pessoas
Ingredientes:

  • 1 kg entrecosto
  • 3 colheres de sopa de vinho do porto
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 colher chá piri-piri em pó
  • ½ colher de chá de pimenta da Jamaica em pó
  • ½ colher de chá de sementes de coentros em pó
  • ¼ colher de chá de canela em pó
  • 1 colher sopa de gengibre fresco ralado
  • Sal q.b.
  • 2 colheres de sopa de açúcar amarelo
  • 2,5 dl de água (ou caldo de carne)
  • 2 malaguetas
  • 2 colheres sopa de vinagre de arroz
  • 100 g de ananás

  • 200 g de arroz de jasmim
  • Coentros a gosto (as folhas)

Preparação da Carne:

Corte a carne de acordo com o seu gosto (pode deixar a peça intacta, mas levará mais tempo a cozinhar). Num recipiente, misturar o vinho, as especiarias, 1 colher de sopa de azeite, o açúcar e o sal. Esfregar esta mistura no entrecosto.

Colocar o entrecosto num saco plástico juntamente com a marinada. Deixar marinar cerca de 30 minutos. Selar o entrecosto no resto do azeite (1 colher de sopa), em lume forte para que fique ligeiramente tostado. Baixar o lume e juntar a marinada, o vinagre e o gengibre. Deixar cozinhar, sempre em lume brando, até o entrecosto ficar tenro e o molho ficar espesso e caramelizado (cerca de 1h30 para entrecosto cortado, 2h para peça inteira). Atenção: se o molho caramelizar muito depressa pode ser necessário juntar um pouquinho mais de água.

Preparação do Arroz:

Entretanto, cortar o ananás em cubinhos pequenos.

Tirar as sementes e os veios da malagueta e cortá-la em pedacinhos.

Preparar o arroz de acordo com as instruções da embalagem.

Juntar o ananás e a malagueta. Enfeitar com folhas de coentros.


Receita adaptada do livro Spice it. 

 

 

Como diria a minha avó um grande "Bem Haja" que quer dizer o mesmo que Obrigada Pipoka! Pela receita, pela dedicação com que a executaste e pelas palavras simpáticas que me enviaste. Gostei muito da sugestão que de certeza me lembrará de ti cada vez que a executar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:29


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Tradutor





Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D