Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Eu Não Gosto de Arroz de Coelho

por Moira, em 08.06.10

Toda a gente que me conhece um pouco sabe que eu não gosto de comidas misturadas, jardineiras, massadas e arrozes. Não gosto de arroz de carne, detesto cabidelas e não é pelo sangue é mesmo por estar tudo misturado e também não gosto de arroz de coelho, que a minha avó fazia vezes sem conta para deleite da maioria da família sendo eu a excepção. Na família do meu marido também todos gostam de cabidelas, arrozes e afins, continuando eu a ser a ovelha negra...

Mas hoje fiz arroz de coelho para o jantar, e comi... e não foi porque eu quisesse fazê-lo, proporcionou-se pela falta de tempo que é uma coisa lixada.

De manhã ao sair de casa temperei o coelho para assar no forno, ou pelo menos essa era a minha intenção, acontece que a minha mãe foi hospitalizada para uma pequena cirurgia, que correu bem felizmente, e eu fui vê-la ao hospital depois de sair do trabalho.

Cheguei a casa tarde e o coelho em vez de ir para o forno foi para o tacho, mais precisamente para a panela de pressão para ser mais rápido, tentei pensar num acompanhamento, mas nada me ocorria, entretanto ao abrir a panela para rectificar a cozedura do bicho deparei-me com uma enorme "sopa" de caldo, culpa minha é claro, que, por desatenção ou por pressa, acrescentei demasiada água na panela que sendo de pressão ainda acrescentou mais alguma do vapor.

Naquele momento pensei que não havia nada a fazer e o melhor era fazer um arroz naquele caldo, passando da ideia à acção de imediato que eram 10h da noite e a fome já se fazia sentir.

O meu marido entretanto pergunta-me o que é o jantar e antes de eu responder olhou para dentro da panela e com o ar mais infeliz do mundo e de voz quase sumida diz-me: Tu não sabes que eu não gosto de arroz de coelho?

Ops! ... ... Fez-se silêncio! Não me ocorreu, disse-lhe, mas agora é o que temos e como eu também não gosto de arroz de coelho, comemos e pronto! Se isto fosse no tempo da minha bisavó tenho a certeza que a coisa ficaria feia, se é que me entendem...

Foi assim que os dois nos sentamos à mesa, no mais profundo dos silêncios e com o ar mais infeliz do mundo.

À primeira garfada o semblante mudou, à segunda o ar era de satisfação e no final não sobrou um grão de arroz.

Mas cá entre nós que ninguém nos ouve não contem isto a ninguém, para todos os efeitos e perante toda a família: Nós não gostamos de arroz de coelho.

Esta foi uma excepção que conto repetir num destes dias, e na nossa opinião estava perfeito. (shiuuuuu! É segredo!)

Mas para que fique bem claro e não restem dúvidas eu continuo a não gostar de comida misturada e se alguém disser o contrário, mesmo que apresente provas, eu faço como os políticos e nego tudo.

Arroz de Coelho

Ingredientes:

  • 500 g de coelho
  • 1 cebola
  • 1 colher de chá de alho em pó
  • 1 colher de café de colorau
  • 2 folhas de louro
  • 1 raminho de tomilho
  • 1 pitada de sal
  • 3 colheres de sopa de azeite aromatizado com sal e piri-piri da Casa do Sal da Figueira da Foz
  • 1 copo de vinho
  • 1 mão cheia de cogumelos congelados
  • 1 copo de arroz
  • 3 copos de água

Preparação:

Temperar o coelho com o sal, o louro, o alho, o tomilho, o colorau, o vinho branco e uma colher de sopa de azeite, deixar assim um bom par de horas.

Na panela de pressão colocar 2 colheres de sopa de azeite e alourar o coelho por todos os lados, adicionar a cebola cortada em gomos finos, mexer e juntar o líquido da marinada coado. Nesta altura devo ter junto cerca de um copo de água. Fechar a panela e deixar cozer por cerca de 15 a 20 minutos.

Deixar sair o vapor antes de abrir a panela, nunca é demais lembrar que enquanto se ouvir barulho do vapor a sair da panela não se pode abrir para não correr o risco de uma queimadura grave.

Retirar o coelho para um prato e reservar, acrescentar os cogumelos, o arroz e 2 copos de água ou um pouquinho mais para o arroz cozer e ficar ligeiramente caldoso, rectificar o sal e assim que o arroz estiver cozido servir de imediato para não empapar.

 

Notas: Usei uma mistura de cogumelos congelados marca continente, muito bons por sinal. O arroz é da região de Alcácer do Sal, marca Ceifeira, usei agulha extra longo, experimentem porque é um arroz excepcional, quer o agulha quer o carolino.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:30


WOOK - www.wook.pt


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Fotos no Flickr




Tradutor





Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D