Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Penha Garcia - 490 Milhões de Anos Depois

por Moira, em 14.05.10

Penha Garcia fica na encosta da Serra com o mesmo nome na margem direita do Rio Pônsul, foi povoada no neolítico, foi castro lusitano e por lá também passaram os Romanos.

O seu castelo foi edificado, sobre um castro Romano, pelos Templários e dele ainda restam algumas muralhas em bom estado de conservação, lá em cima a vista é deslumbrante e impossível de descrever por palavras, no vale temos ao longo do rio inúmeros moinhos azenha

Ao fazermos o percurso pedestre que desce do castelo até à barragem a boca abre-se de espanto, quando entramos pelos caminhos junto ao rio, é que nas fragas de Penha Garcia de rocha quartzítica, encontram-se a céu aberto, inúmeros fósseis marinhos, a maioria deles são rastos de trilobites, um dos seres que habitou o fundo dos mares há mais de 490 milhões de anos atrás

Depois de há uns anos atrás ter visitado as gravuras do Vale do Côa e ter ficado fascinada, para quem não sabe eu sou uma aficionada nesta matéria, ao visitar o parque geológico de Penha Garcia, senti um arrepiozinho na espinha ao perceber logo pelo caminho que a meus pés gravados na pedra estavam milhões de anos de história.

Aos rastos das trilobites visíveis nas fotos acima chamam-se Cruzianas, embora sejam conhecidos pelo povo como cobras pintadas.

 

Fizemos o percurso pela manhã de uma sexta-feira, dia de trabalho para o comum cidadão, não havia mais ninguém por lá, por isso a visita guiada foi feita em exclusivo para nós por um vigilante que era de uma enorme simpatia e cujo nome imperdoavelmente não perguntei.

Dos vários moinhos-azenha, alguns foram restaurados e estão prontos a funcionar para deleite dos visitantes mostrando como era moído o grão que se transforma em farinha e que fazia os pães da zona que ainda hoje são muito afamados. Intactas estão ainda as casas dos moleiros com os diversos utensílios necessários para o seu dia-a-dia.

O percurso pedestre tem cerca de 3 km e far-se-ia numa hora, não fosse eu parar a cada 5 minutos para apreciar cada pequeno pormenor, o vale ao longo do rio Pônsul é muito bonito e sentimo-nos em directa comunhão com a natureza, apetece ficar por ali a preguiçar mais umas umas horas, mas temos que seguir viagem.

E para homenagear esta bela região e o trabalho dos moleiros, nada melhor que um pão, não é o de Penha Garcia, cuja receita desconheço, mas um pão à minha maneira.

Pão de Trigo e Cevada

Ingredientes:

  • 350 g de Farinha de Trigo T65
  • 100 g de Farinha de Trigo Integral
  • 50 g de Farinha de Cevada
  • 1 colher de chá de sal
  • 350 ml de água tépida
  • 1 pacote de Fermipan
  • 1 punhado de sementes de linhaça para decorar

Preparação:

Numa taça colocar as farinhas, o sal e o fermento, adicionar a água, amassar e deixar fermentar durante cerca de uma hora em local abrigado, ou até que a massa dobre de volume.

Com as mãos enfarinhadas dar forma ao pão e deixar de novo a fermentar, pincelar com água, polvilhar com as sementes de linhaça, fazer uns golpes ao longo do comprimento do pão e levar ao forno quente por cerca de 30 minutos ou até estar cozido.

Nota: A farinha de cevada compra-se em lojas de produtos naturais tal como as sementes de linhaça.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:53


WOOK - www.wook.pt


1 comentário

De Anónimo a 17.05.2010 às 16:56

Parabéns pelo teu blog :)
Tal como tu, adoro cozinhar e gosto imenso de fotografia, por isso acho fantástico o teu blog .

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Fotos no Flickr




Tradutor





Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D