Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Regresso ao Passado

por Moira, em 19.05.09

Hoje resolvi viajar de novo no tempo e regressar de novo à era medieval para fazer mais uma receita completamente diferente do que estamos habituados.

Segui a receita quase à risca, à excepção do primeiro passo que por o ter acho estranho improvisei, de qualquer das formas aqui não estou obrigada a nenhum rigor histórico. 

A pesquisa que fiz há bastante tempo atrás deu-me um enorme prazer e uma quantidade de receitas que sempre que o tempo me permitir serão testadas e postas por aqui.

A origem desta receita remonta à Inglaterra do séc. XIV, é relativamente simples, mas de sabor exótico, a receita original e a tradução para inglês dos nossos tempos está aqui. Mas, para aqueles que só agora visitam o Tertúlia de Sabores, podem sempre espreitar em gastronomia medieval as outras receitas que testei faz um tempo.

Aqui fica a minha versão ligeiramente modernizada de mais uma iguaria medieval, posso dizer que fica muito bom, principalmente para quem gosta de sabores agri-doces.

 

Coelho em Molho de Vinho Doce e Passas de Uva

(Connynges in Cyrip)

Ingredientes:

  • 1 coelho partido aos pedaços
  • 1 cálice vinho de moscatel (usei Hypocras)
  • 3 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto (usei vinagre de Xerez)
  • 1/2 colher de café mal cheia de canela em pó
  • 2 cravinhos ou 1/2 colher de café de cravinho em pó
  • 1 mão cheia de passas de uva, sultanas ou corintos
  • 1 pouco de gengibre descascado e cortado fino (coloquei +/- 2 cm)
  • sal q.b. (embora a receita original não o mencione)

Preparação:

A receita manda cozer o coelho em caldo de carne, eu abdiquei dessa parte e alourei-o num fio de azeite, adicionei todos os restantes ingredientes e deixei cozinhar tapado em lume muito brando durante uns 40 minutos, virando o coelho de vez em quando para todo ele tomar sabor, se o molho evaporar rápidamente e o coelho ainda não estiver cozido adicione uns borrifos de água.

Acompanhei com arroz branco, e legumes cozidos. Se quiser, apesar de não ser de todo medieval, também deve acompanhar bem com um puré de batata ou umas batatinhas fritas.

 

Nota: Como já disse anteriormente quando abordei este assunto , nenhuma das receitas medievais têm quantidades, por isso é necessária alguma imaginação para que os sabores fiquem equilibrados. As quantidades desta e das outras receitas foram calculadas por mim e não quer dizer que sejam as certas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:42


WOOK - www.wook.pt


2 comentários

De Claudia a 22.05.2009 às 22:22

Moira,

Adorei seu projeto medieval. Ainda não tinha me dado conta dele. Mas sabes que coelho não entra no meu prato... Tenho um grande amor por coelhos e uma certa conexão que não me permite come-los. Entre outras coisas eu nasci no ano do coelho ( de acordo com os chineses) e durante a páscoa que no Brasil é altamente relacionada com coelhos. Me lembrei uma historinha pessoal engraçada...

Há uns 20 anos eu tive um namorado gaúcho (brasileiro nascido no estado do Rio Grande do Sul) que era dono de um restaurante de comida regional do sul do Brasil. Ele trabalhava muito em eventos no Rio de Janeiro onde um primo (que era meu amigo) tinha um restaurante de cozinha do sul. Uma vez meu namorado fez uma grande festa com jantar todo especial durante um evento de turismo no Rio de Janeiro e eu fui. O prato principal da noite foi arroz de carreteiro de coelho, um prato super tradicional do sul e todo mundo amou. Eu fiquei "fazendo ponte" com o arroz para lá e para cá até que o garçom tirou meu prato sem ninguém perceber que eu não comi um pedaço sequer do coelhinho...

Mas que teu coelho ficou lindo, isso ficou...

De Moira a 22.05.2009 às 23:18

Olá Cláudia,
Eu compreendo, para falar verdade também acho o coelho um animal fofinho, e se fosse eu a criá-los seria incapaz de os comer. Aliás se eu tivesse que matar animais para os comer eu viraria vegetariana na hora.
Essa sua história é bem engraçada :)
Claro que esta receita e tal como diz no original pode ser feita com galinha, que eu também hei-de experimentar.
Esta história da gastronomia medieval surgiu para um jantar entre amigos, só que a pesquisa foi tão interessante que eu vou continuando a explorá-la, pois tem receitas belíssimas e muitas curiosidades, uma delas é que quase todos os pratos sem excepção levam fruta, canela e também se faz muito uso do leite de amêndoas.
Entretanto ando a ler um livro interessante sobre a influência das religiões na gastronomia, qualquer dia falo aqui sobre o assunto, pois tem muita matéria relacionada com a idade média e o cristianismo.
Beijocas e bom fim de semana

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Fotos no Flickr




Tradutor





Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D