Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



histórias de uma gata borralheira

por Moira, em 05.12.11

Naquele tempo as fadas transformavam as abóboras em lindas carruagens e a gata borralheira casava com um príncipe charmoso que percorrera o seu reino com um sapatinho de cristal na mão, mas os tempos mudaram a tradição já não é o que era e todos sabemos que as fadas não existem.

Na minha história a gata borralheira vive nos subúrbios da capital, passa a maior parte do tempo a sonhar com o tal príncipe mas continua a cozinhar para ganhar a vida, que as coisas não caem do céu e ela não tem com quem dividir as despesas.

Passa dias na cozinha a fazer pastéis e empadas que coze logo pela manhã, depois sai de casa para os distribuir pelos cafés das redondezas onde são devorados por gente desconhecida, entre golos de café e conversas perdidas sobre o tempo, a crise ou coscuvilhices de vizinhas.

Há muito que perdeu a esperança de um dia ser alguém. A sua vida é rotineira, às vezes sem graça, não tem muitos amigos e o príncipe encantado nunca chegou a aparecer, nem tão pouco alguém que a fizesse feliz.

Vai sendo feliz à sua maneira, quando, para fugir à rotina, experimenta novas receitas e diz quem a conhece que cozinha com amor.

O amor...

Aquele sentimento que tanto a faz sonhar mas que nunca chegou a sentir.

Às vezes escolhe receitas a pensar no seu príncipe, imagina os seus gostos...

Se ele ao menos aparecesse...

Seria decerto pela boca que o iria cativar, porque na sua beleza já ninguém reparava, felizmente herdara o dom da madrinha, para quem a cozinha não tinha segredos.

As suas refeições eram simples e na maioria das vezes utilizava apenas os produtos que cultivava nas traseiras da casa que tinha herdado da madrinha, mas hoje era o seu aniversário e por isso tinha comprado um pedaço de queijo da ilha, daquele cujo sabor forte perdurava na língua com um leve picante que tanto lhe agradava. Imaginou o contraste que faria com a abóbora que tinha aberto dias antes e atreveu-se a fazer um soufflé de textura suave como os sonhos e de sabor forte como imaginava que fosse o amor.

Levou a primeira garfada à boca, bebeu um pouco de vinho e continuou a sonhar.

Soufflé de Queijo da Ilha com Abóbora Assada

Ingredientes:

  • 1/2 chávena de abóbora assada
  • 1 dente de alho confitado
  • 3 ovos pequenos
  • 1/2 chávena de molho branco (bechamel)
  • sal aromatizado com picante
  • 1/2 chávena de queijo da ilha ralado

Preparação:

Limpar um bom pedaço de abóbora, retirando cascas e sementes e cortar às fatias. Colocar num prato de ir ao forno, temperar com sal aromatizado com picante e um fio de azeite e levar a assar por uns 30 minutos ou até estar macio. Deixar arrefecer, escorrer bem a água que se formou e esmagar a abóbora juntamente com o alho confitado com um garfo. (se não tiver alho confitado pode assar um dente de alho juntamente com a abóbora)

Misturar a abóbora com o molho branco e as gemas de ovo e acrescentar o queijo ralado. Se necessário rectifique os temperos.

Bater as claras em castelo e envolver suavemente com a mistura de abóbora.

Levar ao forno quente a 220º, em formas bem untadas, passados os primeiros 5 ou 10 minutos baixe a temperatura para os 180º, e deixe cozer mais 10 a 15 minutos. Servir simples como entrada, ou se preferir como acompanhamento de carnes.

Notas: A abóbora pode ser estufada em vez de assada,  molho branco ou bechamel pode ser caseiro ou de compra e o queijo deve ser forte para contrastar com o doce da abóbora. 

O resultado é um soufflé de sabor forte e picante, com o qual participo no passatempo "Chocolate e Picante: Um desafio de receitas com histórias dentro" promovido pelo Gourmets Amadores em conjunto  Casa das Letras do grupo Leya.

chocolate_picante

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:30


41 comentários

De helena a 09.12.2011 às 09:58

Manuela
Uma história bonita actual e real para muitos de nós.
A receita é reconfortante e os sabores e aromas muito ao meu gosto.
Um beijo

De Moira a 11.12.2011 às 00:03

Helena,
É a evolução dos tempos ;)
Da próxima vez que cá vieres faço-te um soufflé.
Beijocas

Comentar post








Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D