Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Da Galiza para a minha mesa

por Moira, em 06.07.10

Apesar de Portugal ter imensos petiscos de lamber os dedos, não temos o hábito do nossos vizinhos espanhóis de tapear, entrando e saindo das várias tasquinhas comendo em cada uma delas o que de melhor têm para oferecer. Também já não é segredo para ninguém que eu adoro tapas e petiscos e por isso sempre que posso aproveito.

Das minhas andanças pelo país vizinho recordo com saudades os tascos de Zarautz, os de Leon e os de Zaragoza, os primeiros pela elaboração e apresentação, os segundos pelos deliciosos enchidos e simpatia dos leoneses e os últimos pelo ambiente.

Por outro lado e das poucas vezes que passei por Madrid, talvez por ser uma cidade enorme nunca consegui comer de jeito, se é que me entendem e do Sul nada conheço, mas também ainda não será este ano que o dinheiro não abunda, mas tenho muita curiosidade pois dizem-me que por lá os petiscos são também deliciosos.

O que vos trago hoje é um dos petiscos que encontra em qualquer tasco da Galiza, habitualmente é servido sobre um prato de madeira, mas presumo que por cá os famosos fiscais da ASAE dariam conta deste costume em três tempos. E da Galiza recordo os belos mariscos, especialmente as Vieiras e as empanadas de Orense, baixinhas e deliciosas.

 

Polvo à Galega

Ingredientes:

  • 1 polvo médio
  • 1 ou duas folhas de louro
  • 1 colher de café cheia de grãos de pimenta preta
  • 1 fio de azeite
  • pimentão doce
  • rodelas de limão

Preparação:

Cozer o polvo com apenas um pequeno copo de água no fundo da panela de pressão, adicionando o louro, a pimenta e um fio de azeite.

Não pôr sal nenhum, o polvo não precisa de sal e no final vai ver que o polvo fica óptimo. Na panela de pressão demora cerca de 20 a 30 minutos conforme o tamanho do polvo, assim que o vapor começar a fazer barulho colocar o fogão no mínimo, ao fim de 20 minutos verificar a cozedura, se necessário cozinhar mais uns minutos.

Caso não use uma panela de pressão deverá cozer o polvo durante cerca de uma a duas horas em bastante água e nesse caso deve adicionar sal.

Depois de cozido, escorre-se bem o polvo e deixa-se arrefecer um pouco, depois cortam-se rodelas e colocam-se num prato, temperam-se com um fio de azeite, polvilham-se com pimentão doce e serve-se com rodelas ou gomos de limão para espremer por cima.

 

Notas: Como os polvos que usei eram pequeninos depois de cozidos coloquei os tentáculos sobre um bom pedaço de film de cozinha, uns virados para um lado, outros para o outro, para não ficarem as partes fininhas todas do mesmo lado, depois enrolei  o film e apertei nas pontas comos se fosse um chouriço e levei ao frigorífico. Com a acção do frio os tentáculos ficam colados uns aos outros, depois cortam-se com uma faca afiada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:07

À Espanhola...

por Moira, em 01.05.09

Não sei exactamente o motivo, mas em Portugal toda a comida que leva tomate e pimentos ou colorau, diz-se que é "qualquer coisa" à Espanhola.

Assim temos pescada (merluza) à espanhola, ameijoas à espanhola, carapaus com molho à espanhola e sei lá que mais...

Entretanto como comprei mais uns livros de culinária recentemente, nada de especial, é mesmo vicío de comprar livros de culinária, creio que todas as Food Bloggers do mundo têm o mesmo vicío. Ou será que não têm?

Mas como ia dizendo, nesta última leva de livros de culinária que me chegaram recentemente às mãos, vinha um só dedicado à gastronomia espanhola e eu resolvi experimentar mais umas receitas, da última vez foi um doce, desta vez experimentamos dois pratos salgados.

Galinha com Pimentos Vermelhos, receita da zona de Aragão, mas que se encontra um pouco por toda a Espanha, que acompanhamos com uma Couve-Flor com Alho, uma receita muito simples mas muito harmoniosa de sabores.

 

Galinha com Pimentos Vermelhos (Pollo Chilindrón)

Ingredientes:

  • 1/2 galinha ou frango do campo
  • 1 fio de azeite
  • 1 cebola média picada
  • 1 ou 2 dentes de alho picados
  • 1 ou 2 pimentos vermelhos assados
  • 1 ou 2 tomates aos cubos (usei cerca de 15 tomates baby frescos e muito  maduros que cortei simplesmente ao meio)
  • 1 colher de chá de tomilho seco ou 1 ramo de tomilho fresco
  • 1 folha de louro
  • sal e pimenta acabada de moer
  • salsa fresca picada para guarnecer (não adicionei porque não tinha)

Preparação:

Num tacho aquecer o azeite, colocar os pedaços de galinha, a cebola e o alho, e deixe alourar por todos os lados, e deixe cozinhar mais uns minutos, por fim acrescente o tomate, o louro e o tomilho, tempere com pouco sal  e pimenta acabada de moer, deixe ferver, tape o tacho e deixe cozinhar em lume muito brando durante uma hora ou até a galinha se estar a desfazer, adicione então o pimento se necessário acrescente um pouquinho de água para não pegar. Polvilhe com a salsa picada e sirva de imediato.

Couve-Flor com Alho (Coliflor al Ajillo)

Ingredientes:

  • 1 couve-flor pequena
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 2 dentes de alho
  • 1 colher de chá de colorau (pimentão doce)
  • 2 colheres de sopa de vinagre de vinho branco
  • sal e pimenta preta acabada de moer
  • salsa picada para guarnecer (não usei porque não tinha)

Preparação:

Separar os raminhos da couve-flor, lavá-los e cozê-los em água com uma pitada de sal, durante seis a oito minutos no máximo. Escorrer e reservar.

Numa frigideira aquecer o azeite, acrescentar o alho picado e deixar fritar por um minuto, adicionar a couve-flor, o vinagre e polvilhar com o pimentão, deixar cozinhar por três ou quatro minutos, retire do lume, polvilhe com salsa e sirva de imediato.

 

Nota: O D. que detesta couve flor experimentou e adorou. Já agora aproveito para dizer que o seu blog Pausas e Reflexões completa hoje o seu primeiro ano de existência e por isso está de parabéns, façam-lhe uma visitinha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:54

Uma sobremesa diferente

por Moira, em 24.02.09

Higos rellenos que traduzindo para português são figos recheados, é uma receita espanhola, país que tem uma abundância de figos na sua época e que por isso seca uma boa parte deles para consumo posterior.

Falar de figos numa altura destas cheira um pouco a fora de época, o que não acontece neste caso, pois os figos utilizados são exactamente os secos e que me tinham sobrado das festas natalícias.

A primeira vez que provei esta iguaria foi na ilha de Maiorca, no hotel onde fiquei hospedada e ficaram-me gravados na memória. Esta semana ao receber um livro de receitas de Espanha, a minha cara encheu- se com enorme sorriso ao ver que a receita lá estava e que o aspecto era exactamente o mesmo que eu recordava.

A receita em causa leva Xerez, um vinho que eu tenho que comprar urgentemente, pois entra na composição de inúmeras receitas espanholas, nesta receita foi substituído por Hypocras, um vinho medieval bastante doce.

Higos Rellenos (Figos Recheados)

Ingredientes:

  • 150 ml de mel claro
  • 100 ml de Xerez doce de cor escura (ver nota abaixo)
  • 1 colher de chá de canela
  • 14 figos secos
  • 300 ml de água
  • 14 amêndoas peladas

Preparação:

Coloque o mel, o xerez, a canela, os figos e a água num tacho em lume médio e deixe ferver.

Baixe o lume e deixe cozer por dez minutos em lume brando. Retire do lume e reserve tapado durante três a quatro horas.

Retire os figos da caçarola  com uma escumadeira e reserve o líquido. Leve-o de novo ao lume para espessar e ficar com o aspecto de um xarope.

Utilizado uma faca afiada faça um pequeno golpe nos figos e encha-os com uma amêndoa.

Sirva os figos recheados regados com a calda morna e acompanha com queijo fresco ou natas.

 

Nota: Eu comi-os sem recheio e sem acompanhamento. Ficam igualmente bons.

Em vez de Xerez utilizei um vinho doce, de nome Hypocras que fiz para o Jantar Medieval há uns tempos atrás e cuja receita está aqui, mas creio que, embora alterando o sabor, poderão ser confeccionados com Vinho do Porto, Moscatel do Douro ou de Setúbal, ou com qualquer outro vinho doce e licoroso.

Para quem estiver interessado em saber, a toalha foi bordada pela minha mãe em ponto jugoslavo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Maiorca - Gastronomia

por Moira, em 04.08.08

No local onde estive, entre Palmanova e Magaluf, é difícil encontrar comida típica de Maiorca, se calhar até há, mas confesso que não vi, o que se vê é hamburguers, pizzas, restaurantes dirigidos a nacionalidades específicas, para suecos, para alemães mais de 70% de restaurantes para os ingleses com "Baked Beans" (para quem não sabe são feijões cozidos num molho de tomate), salsichas fritas, batatas fritas, ovo frito e muitooooooo ketchup.

Não sei como se consegue começar o dia com tais "iguarias", eu acho que ficava mal disposta para o resto do meu dia.

Mas como quem procura sempre encontra... Num recanto mais sossegado da ilha, mais precisamente em Valdemossa, conseguimos encontrar uns sitios agradáveis, com comidas agradáveis e longe do bulício inglês.

Fotos só mesmo dos placards à porta.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:49

Doces Maiorquinos

por Moira, em 01.08.08

Foi em Sóller, na ilha de Maiorca, não me perguntem pelo nome da pastelaria pois fiquei a olhar para a montra a tentar decidir qual destes doces eu iria provar, mas com uma montra destas quem poderia resistir? Se lá forem, fica junto à saída dos eléctricos para Puerto de Sóller.

Pão de Figo artesanal de Maiorca

Pan de Higo

Ensaimada Maiorquina (foto tirada pelo D.)

Ensaimada Mallorquina

Chocolata Branco com Frutas e Laranja (foto tirada pelo D.)

Chocolate Branco com Frutas

Chocolate Branco com amêndoas

Chocolate branco com amêndoas

Cocos de Sóller (foto tirada pelo D.)

Cocos de Sóller

Chocolate Artesanal

Chocolate artesanal com amêndoas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:07


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D