Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


As Cerejas... Ai as Cerejas...

por Moira, em 24.05.11

A pedido de uma leitora muito querida a sobremesa de hoje é especial porque foi feita a pensar nos diabéticos.

A diabetes é uma doença incurável que afecta grande parte da população mundial e que tem que ser controlada dia a dia através de uma alimentação saudável e adequada, exercício físico e por vezes com recurso a medicamentos.

Depois de uma breve pesquisa que não deu em nada porque na net encontra-se informação tão distinta que é necessário conhecimento para a saber filtrar, optei por consultar uma amiga internauta que é nutricionista e que se prontificou a esclarecer-me. Obrigada Ana!

Assim percebi que nem tudo está interdito aos diabéticos e que o seu maior cuidado deverá ser no consumo de açúcares, e por açúcares entenda-se não só o açúcar refinado, o açúcar amarelo ou o integral, mas também o mel, a frutose e os hidratos de carbono que acabam por se transformar em açúcar que é assimilado pelo nosso organismo. Parece-me que é tudo uma questão de equilíbrio e tal como numa alimentação equilibrada os doces devem ser guardados para ocasiões especiais.

Assim, hoje trago-vos uma versão integral, aprovada pelo menos cá em casa, de um dos mais emblemáticos doces franceses, o Clafoutis, cada ano que passa descubro uma nova versão para experimentar, esta é a versão do famoso Christophe Felder, que está no blog da Elvira e que foi adaptada para quem não pode consumir açúcares.

Clafoutis

Ingredientes:

  • 100 g de açúcar + mais um pouquinho para polvilhar (substitui por 10 g de adoçante em pó próprio para culinária e polvilhei com adoçante muito levemente)
  • 1 colher de sopa de  Maizena (substitui por farinha de trigo integral)
  • 50 g de miolo de amêndoas moído
  • 2 ovos + 1 gema
  • 3 colheres de sopa de natas espessas (substitui por natas light)
  • 300 g de cerejas com caroço lavadas e secas com papel absorvente
  • manteiga para untar (usei margarina)

Preparação:
Pré-aquecer o forno a 180ºC. Untar uma forma redonda ou uma assadeira com margarina e polvilhar ligeiramente com adoçante. Reservar.
Misturar muito bem o adoçante com a farinha de trigo integral e as amêndoas finamente moídas numa tigela grande. Juntar os ovos e a gema previamente batidos. Adicionar as natas e bater com uma vara de arames até a massa ficar ligada e homogénea. A massa fica com a consistência de uma massa de crepes.
Espalhar as cerejas com caroço pela forma. Verter a massa sobre as cerejas e levar ao forno por 15-20 minutos, ou até se apresentar ligeiramente dourado. Servir morno ou frio, na própria forma.

Usei uma forma com cerca de 20 cm de diametro.

Notas: A alterações que fiz à receita original para a adaptar a um diabético estão entre parêntesis. A textura final é ligeiramente mais densa que a do doce original, mas igualmente boa, no caso de as cerejas serem muito doces pode reduzir mais no açúcar ou no adoçante, passando de 100 g de açúcar para 75 g e as 10 g de adoçante para 7,5 g

 

A cereja é uma das frutas pela qual tenho uma relação de amor incontornável, gosto delas ao natural, em doces, em compotas e também em sobremesas. E gosto de todas as variedades de cerejas que provei até hoje, embora tenha um fraquinho por cereja branca, como por nehuma outra, mas essas por cá nunca aparecem e a viagem é longa para as ir buscar.

Quem as conhece, sabe do que falo, quem nunca as viu fica a foto como garantia da sua existência, estas já estão maduras.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:51

Parlez vous français ?

por Moira, em 04.06.09

Esta é uma sobremesa típicamente francesa, dizem que a mais famosa é a da região de Limousin, mas imagino que tal como o nosso arroz doce, cada região tenha a sua.

Desde há muito que tinha uma enorme curiosidade por esta receita, já a vi no Elvira's Bistrô e também no Sabor Saudade, esta semana ao folhear um livro de receitas muito antigo deparei-me com ela e como tinha em casa umas cerejas bem maduras a precisar de consumo, não pensei duas vezes.

Assim, aqui fica mais uma versão de um doce, que não é excessivamente doce, é delicado na boca e na minha opinião, muito bom.

Clafoutis

Ingredientes:

  • 500 g de cerejas pretas (o livro mandava pôr 750 g, mas achei demais)
  • 60 g de manteiga amolecida
  • 75 g açúcar
  • 4 ovos
  • 2 dl de natas (usei 200 g de crème fraîche)
  • 2,5 dl de leite
  • 100 g de farinha
  • 1 colher de sopa de rum (facultativo)
  • 1 colher de sopa de açúcar em pó

Preparação:

Lavar as cerejas, retirar-lhes os pés e conforme notas da Elvira e da Cláudia, não se tiram os caroços (apesar de que no livro mandava fazê-lo e eu só vi as notas delas tarde demais, prometo que da próxima vez  faço tudo direitinho).

Peneirar a farinha para uma taça, fazer um buraco no centro. Colocar no centro da farinha, 1 ovo e três gemas, a manteiga e o açúcar, misturar até obter uma massa homogénea, adicionar as natas, o rum e o leite aos poucos misturando bem. A consistência desta massa é líquida e muito idêntica à dos crepes.

Barrar muito bem um tabuleiro que possa ir ao forno e à mesa, colocar as cerejas, cobrir com a massa e levar ao forno, a temperatura média, durante cerca de 30 minutos.

Polvilhar com açúcar em pó e servir morno ou frio.

Esta quantidade deu para uma forma de 20 cm de diâmetro e para seis individuais e ainda sobrou massa que hoje há-de ser utilizada em mais qualquer coisinha, entretanto estive a ver uma receita francesa, que me parece bem mais genuína e que vou experimentar para a próxima.

 

Enquanto escrevia este post veio-me à cabeça uma lenga-lenga muito engraçada, que aposto vai fazer-vos sorrir, existe uma versão mais brejeira, mas eu prefiro a versão "light".

 

Era uma vez
Um gato maltês
Tocava piano
E falava francês
Queres que te conte outra vez?

Era uma vez
Um gato maltês
Saltou-te às barbas
Não sei que te fez
Queres que te conte outra vez?

Era uma vez
Um gato maltês
Tocava piano
Falava françês
A dona da casa
Chamava-se Inês
O número da porta era o trinta e três!
Queres que te conte outra vez?

Era uma vez
Uma galinha pedrês
E um galo francês
Eram dois
Ficaram três…
Queres que te conte outra vez?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:52


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day, October 16, 2017 World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D