Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Pavlova - um doce que é uma tentação

por Moira, em 26.06.13

Mais uma semana a cozinhar com Bonsalt, e desta vez trago-vos esta excelente sobremesa, numa versão um pouco mais light que a tradicional pois estamos na época em que pelo menos 1/4 da população portuguesa faz dieta para ficar bem no biquíni.

Quem faz dieta, seja por motivos de saúde, seja por motivos estéticos, é muitas vezes (eu diria demasiadas vezes) confrontado com jantares de família ou de amigos em que, se diz que está a fazer dieta ouve coisas do género:

  • Que disparate, para que precisas disso?
  • Eu cá não faço dietas, gosto de gozar a vida.
  • Um dia não são dias... um bocadinho de certeza que não faz mal

Se opta por não dizer que está a fazer dieta (esta é sem dúvida a melhor opção) tem que fazer escolhas, ou agradece o convite e diz que já tinha outra coisa marcada, ou vai e dentro daquilo que houver, escolhe aquilo que pode comer.

Na minha opinião, todas as dietas devem ser acompanhadas por um nutricionista, é a única forma de termos alguém com quem partilhar inseguranças, medos, vitórias e também dúvidas, muitas dúvidas. Será que posso comer isto? Será que posso comer daquilo?

Há uns anos atrás fiz uma dieta, sempre com acompanhamento médico em que não havia aquilo que hoje chamam o dia livre ou o dia do disparate, todos os dias eram compostos por uma alimentação específica em que aprendíamos a comer melhor. Muitas vezes me deparei com situações em que não sabia o que fazer, especialmente nos aniversários, quer da família, quer dos amigos, em que temos mesas fartas cheias de doces e tentações. O que fazer?

O conselho do médico foi: sobremesas só em situações muito especiais e para que a "desgraça" não seja muito grande prefira aquelas que não misturem hidratos de carbono e que também não tenham gorduras.

Difícil? Nem por isso se pensarmos que temos os pudins de ovos, as gelatinas caseiras sem adição de açúcar a não ser o da fruta, a mousse de chocolate e depois as natas na maioria das vezes podem ser substituídas por iogurtes magros, podendo assim fazer belíssimas sobremesas.

Convencidos? Afinal não custa nada, e se achar, ainda assim, que o suspiro é demasiado calórico opte por comer as frutinhas com o creme de queijo e iogurte. Vai ver que mata a fome de doces sem sentir que está a cometer o pecado da gula.

Pavlova

Pavlova com Creme de Queijo, Iogurte e Frutos Vermelhos

Ingredientes:

  • 4 claras de ovo
  • 1 pitada de Bonsalt
  • 200 g de açúcar
  • 1 colher de chá de maizena
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 colher de chá de vinagre
  • 250 g de queijo quark (20% de gordura)
  • 160 g de iogurte magro aroma de baunilha
  • Fruta a gosto e folhas de hortelã

Preparação:

Ligar o forno nos 150º.

Cortar uma folha de papel vegetal do tamanho do tabuleiro do forno.

Desenhar um círculo com cerca de 22 cm de diâmetro na parte de baixo do papel e untar a parte de cima do papel dentro do círculo e três dedos a toda a volta do círculo.

Misturar muito bem a maizena com o açúcar.

Bater as claras com uma pitada de Bonsalt em castelo bem firme, adicionar o açúcar aos poucos e por fim o vinagre e a essência de baunilha.

Colocar colheradas de merengue a cobrir o círculo para formar uma espécie de um ninho, tendo o cuidado de não ultrapassar os limites do círculo.

Baixar a temperatura do forno para 100º e colocar a pavlova a cozer durante 2 horas.

Quando estiver frio, retirar o papel de baixo com muito cuidado, colocar num prato.

Entretanto misturar o quark com o iogurte até obter uma mistura cremosa e reservar no frio até à altura de servir.

Na altura de servir distribuir por cima da pavlova o creme de queijo com iogurte, decorar com a fruta escolhida e as folhinhas de hortelã.

Notas: Não se pode abrir a porta do forno durante ou imediatamente após a cozedura.

Só se retira a pavlova do forno quando o mesmo estiver quase frio, retirando o papel e colocando-a num prato.

A pavlova cresce imenso, por isso um círculo de 22 cm vai aumentar para um diâmetro de cerca de 32 cm.

Pode fazer pavlovas individuais, também fica muito bem.

Nesta sobremesa as tradicionais natas foram substituídas por iogurte e queijo quark com apenas 20% de gordura, mas pode optar por mascarpone ou queijo fresco magro.

Se não tiver essência de baunilha pode usar açúcar baunilhado ou aromatizar com raspa de limão ou de laranja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:10

dizem que as conversas são como as cerejas

por Moira, em 30.06.12

Dizem que as conversas são como as cerejas, encadeiam-se umas nas outras de tal forma que é difícil parar.

O mesmo se passa por aqui com as receitas de cerejas, que, este ano têm aparecido em abundância e a um preço convidativo por aqui.

Já congelei algumas para fazer clafoutis nos próximos meses, já fiz licor e hoje trago-vos mais uma receita retirada do Palachinka.

Desta vez a receita original sofreu algumas alterações, uma delas devido ao elevado custro das ginjas que só encontrei a 9,99 € e que por isso me recusei a comprá-las.

Cerejas em Calda de Vinho do Porto

Ingredientes:

  • 400 g de Cerejas
  • 200 ml de Vinho do Porto
  • 100 g de açúcar integral (mascavado)
  • 1 pau de canela
  • 1 estrela de anis
  • 4 sementes de cardamomo

Preparação:

Colocar as cerejas lavadas e sem os pés num tacho, cobrir com o açúcar, juntar as especiarias, regar com o vinho do Porto e levar ao lume.

Quando começar a ferver, colocar no mínimo e deixar cozinhar cerca de 10 minutos.

Retirar com cuidado as cerejas para um frasco e deixar ferver a calda até reduzir para metade e ficar com a consistência de um xarope.

Verter a calda sobre as cerejas e tapar o frasco, deixar arrefecer e guardar no frio. Consumir no prazo de uma semana.

 

São boas simples, ou a acompanhar um gelado de baunilha ou de natas polvilhado com canela. E se calhar também não devem ficar mal com um pão de ló de chocolate.

 

Nota: Conforme mencionei acima congelei cerejas, passo a explicar como faço. As cerejas são congeladas conforme vêm da loja, quando as vou usar, retiro do saco a quantidade que preciso, passo-as por água, escorro muito bem e coloco no pirex onde vou fazer o clafoutis, vertendo a massa por cima e levando de imediato ao forno. Se as deixar decongelar totalmente ficarão moles e sem graça. Se as provar meio descongeladas vai ver que conservam todo o seu sabor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:51

todo o sabor das cerejas para mais tarde recordar

por Moira, em 24.06.12

Quando vi esta receita o ano passado no Palachinka fi-la de imediato e aproveitei para oferecer algumas garrafas no Natal.

De todos os licores que tenho feito, este foi daqueles que mais me surpreendeu. Por isso repito a dose este ano e antes que a receita se perca nos meandros das minhas gavetas ou termine a época das cerejas, deixo-vos a receita desta conserva e/ou licor de cerejas.

Conserva e/ou Licor de Cerejas

Ingredientes:

  • 500 g cerejas com os pés
  • 1 pau de canela, cortado em dois ou três pedaços
  • 150 ml de água
  • 150 g de açúcar
  • 300 ml de aguardente
  • 1 cravinho 
  • casca de 1 limão, só a parte amarela

Preparação:

Lave as cerejas e seque-as cuidadosamente com papel de cozinha. 

Descasque o limão com o descascador de batatas para que a casca fique bem fina.

Coloque as cerejas num frasco limpo e seco, adicione a casca de limão, o cravinho e a canela.

Leve a água e o açúcar ao lume, assim que o açúcar derreter, desligue o fogão, espere 15 a 20 minutos e junte a aguardente.

Despeje esse líquido sobre as cerejas, feche bem o frasco e guarde em local fresco, seco e escuro durante 3 ou 4 meses antes de abrir.

 

Nota: O cravinho dá-lhe um sabor forte a acentuado, por isso se não gostar desta especiaria, o melhor é omiti-la.

Ao contrário da ginginha, nem o licor, nem as cerejas ficam demasiado alcoólicos.

A maioria das pessoas gosta mais do licor, eu, vá-se lá saber porquê, prefiro as cerejas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:23

saboroso, mas não é o original

por Moira, em 11.06.12

Tudo começou com um convite para jantar, os meus afilhados faziam anos de casados e eu queria fazer algo diferente e à altura da ocasião.

Receita escolhida, confirmei que tinha todos os ingredientes em casa mas cometi erro de não ler a receita até ao fim.

Tinha escolhido um Bolo Floresta Negra, cheio de cerejas, chocolate e chantilly, pareceu-me uma escolha perfeita para o momento mas a tradução da receita estava longe da perfeição, o bolo não me saiu bem e nas restantes etapas haviam falhas graves, pelo que passei ao plano B e resolvi inventar, na essência estão todos os elementos de um Floresta Negra, mas na realidade é a minha interpretação livre do clássico alemão.

Na verdade, e apesar de estar longe da perfeição do Floresta Negra, o bolo fez um enorme sucesso entre os que o provaram e o marido até comentou que era o meu melhor bolo de sempre, deixo-vos então um bolo de chocolate com cerejas e chantilly.

Bolo de Chocolate com Cerejas e Chantilly

Ingredientes:

Para o Bolo

  • 6 ovos
  • 150 g de açúcar
  • 3 colheres de sopa de água a ferver
  • 50 g de farinha
  • 25 g de amido de milho
  • 30 g de cacau
  • 1 colher de chá de fermento em pó

Para as cerejas em calda

  • 500 g de cerejas
  • 100 ml de ginjinha
  • 100 ml de água
  • 100 g de açúcar

Para o chantilly

  • 500 g de natas
  • 50 g de açúcar

Para decorar

  • 24 cerejas frescas
  • raspas de chocolate

Preparação:

Do Bolo

Bater os ovos com o açúcar até triplicarem de volume (mais ou menos 15 minutos), adicionar a água a ferver e por fim envolver as farinhas com o cacau e o fermento com uma espátula em movimentos de baixo para cima muito suavemente para a massa não baixar de volume.

Levar ao forno quente a 180º em forma forrada no fundo com papel vegetal e muito bem untada, durante cerca de 15 a 20 minutos.

Desenformar sobre uma rede e deixar arrefecer durante a noite.

Da calda

Descaroçar as cerejas, colocar num tacho junto com o açúcar, o licor e a água e levar ao lume deixando ferver suavemente durante cerca dxe 10 a 15 minutos. Deixar arrefecer completamente antes de usar.

Do Chantilly

Bater as natas bem geladas até começarem a espessar, juntar então o açúcar continuando a bater até obter a consistência de chantilly.

Montagem do Bolo

Antes de mais, é fundamental que quer o bolo, quer a calda, estejam completamente frios, uma vez que o recheio leva chantilly, por isso o ideal é fazer o bolo e a calda de véspera.

Para não haver enganos durante a montagem o ideal é dividir a calda das cerejas em três partes, o chantilly também em três partes e as cerejas em calda apenas em duas partes, assim temos a certeza que não faltará nada em nenhuma das etapas.

Cortar o bolo em três partes iguais, colocar uma parte no prato, molhar com uma parte da calda, cobrir com uma camada de chantilly fina, distribuir metade das cerejas em calda, cobrir com mais uma calmada de chantilly. Pôr a segunda camada de bolo molhar com a calda, depois um pouco de chantilly, a seguir as cerejas em calda, mais chantilly e por fim a última camada de bolo, também ela molhada com a restante calda, cobrir com o restante chantilly e decorar com as cerejas frescas e as raspas de chocolate.

 

É um bolo muito elaborado mas também muito saboroso, no entanto aconselho a consumir com muita moderação pois é uma bomba calórica.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01

Cava, Cerejas e Amizade

por Moira, em 09.07.10

É fantástica a relação que se cria entre blogs e blogueiros, então no que toca aos blogs de culinária podemos dizer que não existem fronteiras e que na generalidade existe uma relação saudável e até de cumplicidade entre alguns deles, nunca me imaginei a comentar ou a visitar blogs estrangeiros com a frequência com que o faço hoje em dia, e muito menos a participar em desafios propostos por esses mesmos blogs, mas na realidade dou comigo a melhorar o meu francês, a relembrar o inglês e o alemão e até a aprender italiano e castelhano para poder acompanhar e fazer receitas que vejo por esse mundo fora.

As receitas que vos trago hoje foram pensadas especialmente para participar num desafio  proposto pelo Futuro Bloguero do Lazy Blog, um blog espanhol que acompanho há algum tempo e que nos brinda com receitas de abrir o apetite até ao mais esquisitinho.

O que ele nos pediu foi tão simplesmente uma receita feita com cerejas, mas teria de ser com "Cerezas del Jerte", acontece que por aqui não se encontram dessas cerejas e também por uma questão de promover a economia nacional, decidi-me então pelas não menos famosas Cerejas do Fundão, não sei exactamente qual a variedade que usei mas eram escuras, doces e carnudas como uma cereja deve ser.

A escolha da receita é que foi mais difícil, não queria cair na tentação de escolher um doce, e para mim as melhores cerejas comem-se ao natural e se forem apanhadas directamente da árvore ainda melhor.

Fiz então duas coisas, para começar uma Sangria de Cava Morangos e Cerejas que o tempo está quente e apetece algo refrescante.

Como prato principal Bifes de Perú com Molho de Cereja e Vinho do Porto e com estas duas propostas não me consegui decidir por qual escolher para enviar resolvi mandar as duas.

E agora, missão cumprida posso ir de férias sossegada. Até breve!

Sangria de Cava com Cerejas e Morangos

Ingredientes:

  • 12 morangos pequenos
  • 20 cerejas
  • 40 g de açúcar
  • 10 cl de Triple Sec ou Cointreau
  • 1 garrafa de cava (usei Freixenet Reserva, Carta Nevada)
  • folhas de hortelã q.b.
  • Cubos de Gelo a gosto

Preparação:

Lavar e cortar os morangos às rodelas.

Lavar, descaroçar e cortar as cerejas às rodelas.

Colocar a fruta num jarro, polvilhar com o açúcar e regar com o Triple Sec, colocar no frio.

Na hora de servir adicionar-lhe o cava bem gelado, o gelo e as folhas de hortelã.

Notas: Pode substituir o cava por espumante ou mesmo por vinho branco embora o resultado final seja diferente.

Esta é uma bebida forte, se preferir um teor de álcool mais fraco pode adicionar água tónica ou gasosa.

 

 

Passemos então ao prato principal.

Eu sei que sou suspeita mas quer eu, quer o meu marido adoramos o resultado agri-doce da combinação do molho com os bifes, que faz de alguma forma lembrar a gastronomia medieval da península ibérica.

Quanto ao acompanhamento as nossas opiniões já foram divergentes e se fosse agora provavelmente teria optado por umas batatas fritas.

Bifes de Perú com molho de Cerejas e Vinho do Porto

Ingredientes:

  • 2 bifes de perú
  • sumo e raspa de 1 laranja
  • 1 colher de chá de tomilho
  • 1 ramo de salsa picada
  • sal e pimenta q.b.
  • 1 fio de azeite

Para o Molho de Cerejas e Vinho do Porto

  • 6 colheres de Vinho do Porto
  • sumo e raspa de 1 laranja
  • 4 colheres de sopa de açúcar
  • 12 cerejas

Preparação:

Temperar os bifes com o sal, a pimenta, o tomilho, a salsa, 2 colheres de sopa de azeite e o sumo de laranja. Deixar a carne repousar no frigorifico durante uma hora.

Num tacho colocar o Vinho do Porto, o açúcar, o sumo e a raspa de 1 laranja e levar ao lume até levantar fervura, entretanto lavar e descaroçar 12 cerejas e adicioná-las ao molho. Deixar ferver até ficar com a consistência de uma compota e reservar.

Fazer um arroz branco a que se adicionou um raminho de salsa picada.

Fritar os bifes no restante azeite, até estarem dourados de um lado e do outro.

Servir os bifes com o molho de Vinho do Porto e Cerejas por cima com uma forma de arroz e verduras cozidas ou se preferir uma salada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:08


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D