Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Dia Mundial do Pão - World Bread Day

por Moira, em 16.10.15

Pode ser feito a partir de diferentes tipos de cereais, pode ter processos de fermentação diversos, ter muitos formatos e diferentes formas de cozimento. 

É um alimento importante para todos os povos e está presente em todas as culturas desde épocas ancestrais. 

Alimento básico para uns, infelizmente um luxo para tantos, o pão continua a ser um dos alimentos com maior simbolismo para toda a humanidade.

Por isso e tudo o mais que fica por dizer, a minha escolha para celebrar o Dia Mundial do Pão 2015 é um Pão Sírio, porque o pão também pode e deve ser solidariedade e partilha. 

It can be made from different types of grains may have different fermentation processes and many different shapes or forms of baking.

It is an important food for all the people around the world and is present in all cultures since ancient times.

Basic food for some, unfortunately a luxury for many, bread is one of the foods with the greatest symbolism for all mankind.

For all of this and everything else that is to say, my choice to celebrate the World Day of Bread 2015 is a Syrian Bread, because bread is and should be also solidarity and sharing. (Receipe in english at the end of the post)

Pão Sírio

Pão Sírio

Ingredientes

  • 1 pacote de fermento para pão (usei fermipan)
  • 2 chávenas e meia de água morna
  • 1 colher de sobremesa de açúcar
  • 1 colher de sobremesa de sal
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 7 chávenas de chá rasas de farinha da trigo

Preparação:

Numa taça grande dissolver o fermento com um pouco de farinha e meia chávena de água morna. Esperar cerca de 10 a 15 minutos até a massa começar a borbulhar.

Juntar os restantes ingredientes e misturar tudo à mão ou com uma colher de pão. Despeje a massa sobre uma superfície enfarinhada e amasse durante alguns minutos. Coloque numa tigela untada, cubra com um pano e deixe levedar num local ameno até dobrar de volume, mais ou menos duas horas.

Volte a colocar a massa numa mesa ligeiramente enfarinhada e volte a amassar para retirar as bolhas de ar. Divida a massa em 4 partes iguais e estenda cada uma das partes num círculo, coloque-os em tabuleiros, tape com um pano e deixe levedar de novo por mais meia hora. Enquanto isso ligue o forno nos 180º C.

Antes de pôr os pães no forno pique-os com um garfo conforme a foto. Leve ao forno quente por cerca de 20 minutos ou até estarem dourados. 

A massa pode ser guardada dentro do frigorifico por uma semana caso não queira fazer os quatro pães de uma só vez.

Estes pães também são bons pincelados com azeite e salpicados de óregãos e azeitonas.

Agradecimentos:

Agradeço à Zorra pela organização deste evento ano após ano, que já vai na sua 10ª edição WBD e consegue juntar centenas bloguers de todo o mundo.

Os meus agradecimentos também às minhas colegas de trabalho, à Maria José, pelas mãos e pela paciência de atender aos meus pedidos de fotógrafa mais que amadora e à Rita Pupo pela edição da foto. 

Agradeço também à Hanna do blog House Vegan onde encontrei a receita deste pão.

IMG_8813

Syrian Bread - Makes 4 Loaves

Ingredients:

  • 1 package of bread yeast (11g)
  • 2 and a half cups of warm water
  • 1 tea spoon of sugar (8g)
  • 1 tea spoon of salt
  • 1 table spoon of olive oil
  • 7 cups of all purpose flour

Preparation:
In a large bowl combine the yeast, half a cup of flour and half a cup of water. Allow it to sit for 10 or 15 minutes, until rise and make bubbles.
Add the rest of ingredients to the yeast mixture and mix with a wooden spoon.
Pour the dough on a floured surface and knead for several minutes. Coat your mixing bowl with oil. Place the dough in the bowl, and cover it with a tea towel. Allow the dough to rise until doubled in size, about 1 1/2 - 2 hours.
Punch your dough down, and pour in onto a very lightly floured surface. Knead it a couple of times to get the bubbles out. Cut the dough into quarters, and roll each quarter into circles. Cover the loaves with your tea towel, and let them rise for half an hour. Meanwhile, preheat your oven to 180º C.
After the second rise place the loaves on un-greased cookie sheets. Using a fork, poke holes in each loaf. The pattern should look like you're going to cut a pizza.
Bake in the preheated oven for 20 minutes or until golden.

The dough can be stored in the refrigerator for a week if you do not want to do all the breads at once.

These breads are also good brushed with olive oil and sprinkled with oregano and olives.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:27

Arrufadas de Coimbra para o World Bread Day 2013

por Moira, em 16.10.13

Desde que conheci o Blog da Zorra em 2008 que me tornei habitué deste evento, que já vai na sua 8ª Edição, e desde essa época que tento, sempre que possível, fazer um pão tradicional português. Uma forma singela de homenagear o meu país dando a conhecer os nossos pães tradicionais num evento que tem vindo a crescer ano após ano e que hoje em dia junta bloguers do mundo inteiro, numa verdadeira festa do pão.

Este ano escolhi um pão doce tradicional de Coimbra, terra natal do meu pai. A receita foi retirada do mais emblemático livro de receitas português, Cozinha Tradicional Portuguesa de Maria de Lourdes Modesto.

Arrufadas de Coimbra

Ingredientes:

  • 1 kg de farinha de trigo T65
  • 1 dl de leite
  • 11 g de fermento de padeiro granulado 
  • 250 g de açúcar
  • 1 colher de chá de canela
  • 5 ovos (a minha levou 6 médios)
  • 125 g de manteiga derretida (usar morna)

Preparação:

Colocar a farinha num alguidar, fazer um buraco no meio e colocar lá o fermento e o leite mexer para misturar um pouco de farinha e deixar levedar até parecer uma esponja. Juntar os ovos, o açúcar, a canela e amassar até formar uma bola, se necessário adicionar um pouco mais de leite, mas muito pouco. Por fim adicionar a manteiga derretida e amassar bem para incorporar na massa. Tapar com um pano e deixar levedar, em local ameno duas a três horas, se usar apenas uma colher de fermento pode deixar levedar durante a noite.

Formar bolas com cerca de 100 g de massa cada uma e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal untado e enfarinhado, fazer rolinhos de massa e colocar por cima de cada arrufada como se fosse uma coroa. Voltar a tapar com um pano e deixar levedar de novo até dobrarem de volume. Antes de irem ao forno pincelam-se com gema de ovo diluida num pouco de leite.

Vai ao forno quente a 200º C durante cerca de 15 a 20 minutos conforme o forno. 

 --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- 

English Version

Since I met Zorra's Blog in 2008, I became an habitué of WBD, which is in its 8th Edition, and I try since then, whenever possible, bring a traditional Portuguese bread. A simple way to honor my country in an event that has been growing year after year and that brings together bloggers from all over the world.
This year I chose a traditional sweet bread of Coimbra, Portugal, homeland of my father, and took the recipe from the most emblematic Portuguese cookbook: "Traditional Portuguese Cuisine" of Maria de Lourdes Modesto.

Arrufadas de Coimbra

Ingredients:

  • 1 Kg all porpose flour
  • 1 dl milk
  • 11 g dried yest
  • 250 g sugar
  • 1 tsp cinnamon
  • 5 eggs (mine took 6 medium eggs)
  • 125 g butter

Preparation:

Put the flour in a bowl, make a hole in the middle and put there the yeast and milk, mix with a little of flour and let rise up until it looks like a sponge. Add the eggs, sugar, cinnamon and knead until it forms a ball, if necessary add a little more milk, but very little. Finally add the melted butter and knead well to incorporate into the batter. Cover with a cloth and let rise in warm place for two or three hours. If you use a little less yeast let it rise during all night.
Form balls of dough with about 100 g each and place them on a tray lined with greased parchment paper and floury, do mass rolls and put on top of each arrufada as if it were a crown. Recap with a cloth and let rise again until double in volume. Before going to the oven brush with egg yolk diluted in a little milk.
Go to oven eated to 200º C for about 15 to 20 minutes, depending on the oven.

 

World Bread Day 2013 - 8th edition! Bake loaf of bread on October 16 and blog about it!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

Oficina de Pão

por Moira, em 04.01.13

O Paulo do Zine de Pão de passagem por Lisboa e a Mercearia Criativa organizaram uma Oficina de Pão a que eu tive o privilégio de assistir.

Aprendemos a amassar, falámos da importância dos ingredientes e dos diferentes tipos de fermento, falámos do isco, como se prepara e como reconhecer o ponto de fermentação em que está, aprendemos a tender a massa e a dar-lhe diferentes formas.

Foram 3 horas muito produtivas, que pareceram apenas alguns minutos, em que o Paulo nos transmitiu a sua sabedoria com uma enorme paixão, que acredito, deliciou todos os presentes.

Amanhã, sábado, há mais uma Oficina de Pão, mas creio que há muito que está esgotada. Quem sabe teremos mais num futuro próximo, no entanto se ficaram curiosos e querem aprender um pouco mais, passem pelo Zine de Pão, leiam cada um dos seus posts e partam para a prática sem medos, que a vida é feita de aprendizagem constante.

No final da Oficina de Pão levámos uma porção de massa para cozer em casa, a minha massa ainda viajou para lá de Vila de Rei e foi cozida no pior forno do mundo, ainda assim o pão dela resultante recebeu muitos elogios e quando dei conta já só havia meia fatia que foi fotografada no dia seguinte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:50

World Bread Day 2012

por Moira, em 16.10.12

É no Dia Mundial da Alimentação, que me junto a mais uma edição do World Bread Day, a 7ª,  promovida pela Zorra.

Este ano tenho andado um pouco perdida no tempo, pelo que não tive oportunidade de procurar uma receita típica portuguesa.

Mas isso não era motivo para não participar, por isso, deixei-me levar pela imaginação e fiz um pão com leite de coco e ameixas pretas.

O resultado não foi exactamente aquele que eu esperava, porque não se sente o sabor do coco, no entanto ficou muito agradável e por isso digno de partilhar.

Pão Doce com Ameixas Secas

Ingredientes:

  • 700 g de farinha de trigo
  • 50 g de açúcar
  • 100 g de manteiga
  • 250 ml de leite de coco
  • 2 ovos
  • 150 g de ameixas secas descaroçadas e cortadas
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 saqueta de fermento seco de padeiro (11 g)
  • 1 cálice de vinho do porto
  • gema de ovo para pincelar

Preparação:

Tradicional

Colocar as ameixas secas numa taça e regá-las com o vinho do Porto, reservar por  1 a 2 horas.

Numa taça colocar a farinha, o fermento seco, o açúcar e o sal, misturar e fazer um buraco no meio.

Amornar o leite de coco juntamente a manteiga durante 30 a 40 segundos no micro-ondas, se aquecer de mais esperar até ficar morna antes de utilizar, para não matar o fermento.

Juntar os ovos, o leite de coco e a manteiga à mistura de farinha e amassar até obter uma massa homogénea que se solta das paredes da taça formando uma bola.

deixar levedar numa taça untada e em local morno, até dobrar o volume pode demorar entre 30 minutos a 1 hora ou mais, consoante a temperatura ambiente.

Divida a massa e forme três rolos iguais, espalme-os para formar 3 rectângulos iguais, coloque as ameixas picadas no meio, no sentido do comprimento e enrole de modo que as ameixas fiquem no meio e obtenha de novo 3 rolos. Proceda de igual forma com as outras duas partes de massa. Forme então uma trança, coloque no tabuleiro  de ir ao forno, sobre uma folha de papel vegetal e pincele com gema de ovo ou com o resto do vinho do porto onde as ameixas estiveram a hidratar.

Deixe a massa levedar mais 30 a 40 minutos e leve então ao forno aquecido a 180º C durante 30 a 40 minutos.

Se necessário tape com papel de alumínio para não queimar por cima. 

Bimby

Colocar as ameixas secas numa taça e regá-las com o vinho do Porto, reservar por  1 a 2 horas.

Colocar no copo o leite de coco, a manteiga e o açúcar e programar 2 minutos, 37º, vel. 2.

Juntar os ovos e o fermento e programar 10 segundos, velocidade 6.

Por fim juntar a farinha e o sal e programar 3 minutos, velocidade espiga.

Retirar a massa do copo, formar uma bola e deixar levedar numa taça untada e em local morno, até dobrar o volume pode demorar entre 30 minutos a 1 hora ou mais, consoante a temperatura ambiente.

Divida a massa e forme três rolos iguais, espalme-os para formar 3 rectângulos iguais, coloque as ameixas picadas no meio, no sentido do comprimento e enrole de modo que as ameixas fiquem no meio e obtenha de novo 3 rolos. Proceda de igual forma com as outras duas partes de massa. Forme então uma trança, coloque no tabuleiro  de ir ao forno, sobre uma folha de papel vegetal e pincele com gema de ovo ou com o resto do vinho do porto onde as ameixas estiveram a hidratar.

Deixe a massa levedar mais 30 a 40 minutos e leve então ao forno aquecido a 180º C durante 30 a 40 minutos.

Se necessário tape com papel de alumínio para não queimar por cima. 

 

Nota: Se preferir adicione as ameixas picadas à massa antes de a pôr a levedar.

Em vez de uma trança, pode fazer bolinhas ou pequenos pães.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:12

Uma Doçura de Páscoa

por Moira, em 25.04.11

Os meus últimos dias foram passados no nordeste transmontano, desta vez tive o privilégio de poder ajudar na elaboração de um dos doces mais emblemáticos da semana santa, a Bola Doce transmontana.

Éramos cinco na cozinha, a ocasião assim o exigia, numa tarde fizemos pão, folares, bolas e outros tantos doces.

Não sei quantos quilos de farinha gastámos, mas consegui contabilizar 228 ovos, o forno a lenha não teve descanso e fornada após fornada os aromas iam tomando conta da cozinha, primeiro os folares, de que falarei noutro dia, depois o pão, a seguir foram as bolas doces, depois uns bolinhos secos e eu finalizei o dia com um pão de ló.

Dª Preciosa fez-nos companhia, atenta a todo o reboliço, falou-me do seu tempo, das suas memórias e da sua arte com um brilhozinho nos olhos, foi padeira toda a vida, agora com 92 anos, as suas mãos estão cansadas, tenho a certeza que se pudesse voltava a pôr as mãos na massa, mas agora já não tem força nos braços. Fico comovida e guardo parte das suas memórias, que só agora se cruzaram com as minhas e sinto-me mais rica.

Bola Doce Transmontana

Ingredientes:

Para a massa

  • 6 ovos
  • 1 copo de óleo
  • 250 g de margarina
  • 50 g de fermento de padeiro ou 1 saqueta de fermipan (11 g)
  • 1 chávena de água morna
  • Farinha que baste para tender (+/- 1Kg)

Para o recheio

  • 2 chávenas de açúcar amarelo
  • 1 pacote de canela
  • 1 chávena de licor de figo ou vinho do porto

Preparação:

Dissolve-se o fermento em água morna com um pouco de farinha, misturam-se os restantes ingredientes até obter uma massa elástica, que se deixa levedar até dobrar o volume.

Misturar o açúcar com a canela e reservar.

Quando a massa tiver duplicado de volume, estende-se bem fina com um rolo da massa e forra-se um tabuleiro muito bem untado e enfarinhado, polvilha-se o fundo do tabuleiro com açúcar e canela e borrifa-se abundantemente com o licor. Estende-se mais um pouco de massa, desta vez apenas o suficiente para tapar o fundo do tabuleiro e colooca-se sobre o açúcar da camada anterior. Volta-se a polvilhar com açúcar e canela e a borrifar com o licor. Vai-se esticando mais massa e vai-se sobrepondo em camadas intercaladas sempre por açúcar e canela e borrifadas por licor até chegar ao cimo do tabuleiro. a última camada de massa não se polvilha, voltam-se por cima dela os excedentes da primeira massa que forrou o tabuleiro e pica-se com um garfo, mas tendo o cuidado de nunca picar a parte de baixo da massa para não se escoar por lá o licor.

Deixa-se descansar nos tabuleiros até a massa crescer de novo e vai ao forno quente a cozer. Assim que estiver cozida desenforma-se.

Notas: É importante estender a massa bem fina pois ao levedar ela cresce bastante. A explicação pode parecer confusa, mas abaixo fica o passo a passo para perceberem como se processa e apesar do trabalho, garanto-vos que é uma delícia.

Para quem não goste de canela, há quem, apesar de fugir à tradição, a polvilhe com açúcar e cacau em pó.

O resultado final é um pão doce, formado por camadas separadas por açúcar e canela que se dissolve com o licor e derrete do forno por acção do calor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D