Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Pavlova - um doce que é uma tentação

por Moira, em 26.06.13

Mais uma semana a cozinhar com Bonsalt, e desta vez trago-vos esta excelente sobremesa, numa versão um pouco mais light que a tradicional pois estamos na época em que pelo menos 1/4 da população portuguesa faz dieta para ficar bem no biquíni.

Quem faz dieta, seja por motivos de saúde, seja por motivos estéticos, é muitas vezes (eu diria demasiadas vezes) confrontado com jantares de família ou de amigos em que, se diz que está a fazer dieta ouve coisas do género:

  • Que disparate, para que precisas disso?
  • Eu cá não faço dietas, gosto de gozar a vida.
  • Um dia não são dias... um bocadinho de certeza que não faz mal

Se opta por não dizer que está a fazer dieta (esta é sem dúvida a melhor opção) tem que fazer escolhas, ou agradece o convite e diz que já tinha outra coisa marcada, ou vai e dentro daquilo que houver, escolhe aquilo que pode comer.

Na minha opinião, todas as dietas devem ser acompanhadas por um nutricionista, é a única forma de termos alguém com quem partilhar inseguranças, medos, vitórias e também dúvidas, muitas dúvidas. Será que posso comer isto? Será que posso comer daquilo?

Há uns anos atrás fiz uma dieta, sempre com acompanhamento médico em que não havia aquilo que hoje chamam o dia livre ou o dia do disparate, todos os dias eram compostos por uma alimentação específica em que aprendíamos a comer melhor. Muitas vezes me deparei com situações em que não sabia o que fazer, especialmente nos aniversários, quer da família, quer dos amigos, em que temos mesas fartas cheias de doces e tentações. O que fazer?

O conselho do médico foi: sobremesas só em situações muito especiais e para que a "desgraça" não seja muito grande prefira aquelas que não misturem hidratos de carbono e que também não tenham gorduras.

Difícil? Nem por isso se pensarmos que temos os pudins de ovos, as gelatinas caseiras sem adição de açúcar a não ser o da fruta, a mousse de chocolate e depois as natas na maioria das vezes podem ser substituídas por iogurtes magros, podendo assim fazer belíssimas sobremesas.

Convencidos? Afinal não custa nada, e se achar, ainda assim, que o suspiro é demasiado calórico opte por comer as frutinhas com o creme de queijo e iogurte. Vai ver que mata a fome de doces sem sentir que está a cometer o pecado da gula.

Pavlova

Pavlova com Creme de Queijo, Iogurte e Frutos Vermelhos

Ingredientes:

  • 4 claras de ovo
  • 1 pitada de Bonsalt
  • 200 g de açúcar
  • 1 colher de chá de maizena
  • 1 colher de chá de essência de baunilha
  • 1 colher de chá de vinagre
  • 250 g de queijo quark (20% de gordura)
  • 160 g de iogurte magro aroma de baunilha
  • Fruta a gosto e folhas de hortelã

Preparação:

Ligar o forno nos 150º.

Cortar uma folha de papel vegetal do tamanho do tabuleiro do forno.

Desenhar um círculo com cerca de 22 cm de diâmetro na parte de baixo do papel e untar a parte de cima do papel dentro do círculo e três dedos a toda a volta do círculo.

Misturar muito bem a maizena com o açúcar.

Bater as claras com uma pitada de Bonsalt em castelo bem firme, adicionar o açúcar aos poucos e por fim o vinagre e a essência de baunilha.

Colocar colheradas de merengue a cobrir o círculo para formar uma espécie de um ninho, tendo o cuidado de não ultrapassar os limites do círculo.

Baixar a temperatura do forno para 100º e colocar a pavlova a cozer durante 2 horas.

Quando estiver frio, retirar o papel de baixo com muito cuidado, colocar num prato.

Entretanto misturar o quark com o iogurte até obter uma mistura cremosa e reservar no frio até à altura de servir.

Na altura de servir distribuir por cima da pavlova o creme de queijo com iogurte, decorar com a fruta escolhida e as folhinhas de hortelã.

Notas: Não se pode abrir a porta do forno durante ou imediatamente após a cozedura.

Só se retira a pavlova do forno quando o mesmo estiver quase frio, retirando o papel e colocando-a num prato.

A pavlova cresce imenso, por isso um círculo de 22 cm vai aumentar para um diâmetro de cerca de 32 cm.

Pode fazer pavlovas individuais, também fica muito bem.

Nesta sobremesa as tradicionais natas foram substituídas por iogurte e queijo quark com apenas 20% de gordura, mas pode optar por mascarpone ou queijo fresco magro.

Se não tiver essência de baunilha pode usar açúcar baunilhado ou aromatizar com raspa de limão ou de laranja.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:10

Números Redondos

por Moira, em 27.09.11

Este é o 500º post, chegar a este número redondo nunca foi uma meta, mas é sem dúvida uma etapa importante na vida deste blog.

Obrigada a todos os que permanecem desse lado.

Brindo-vos pois com este bolo que foi feito para o 44º aniversário da minha mana. Era para ser recheado com natas e frutos silvestres, o que para mim seria a ligação perfeita, mas como ela não gosta de natas optei por um creme de pasteleiro de chocolate.

Bolo de Chocolate com Frutos Silvestres

Ingredientes:

Para o Bolo

  • 4 ovos + 2 claras
  • 150 g de açúcar
  • 50 g de farinha de trigo
  • 10 g de amido de milho
  • 50 g de cacau em pó
  • 1 colher de chá de fermento em pó

Para o creme:

  • 250 ml de leite
  • 2 gemas de ovo
  • 40 g de açúcar
  • 30 g de amido de milho
  • 100 gr chocolate

Para Decorar:

  • 100 g de framboesas
  • 100 g de amoras

Preparação do Bolo:

Tradicional

Bater os ovos e as claras com o açúcar até duplicar de volume. Misturar a farinha, o amido de milho, o cacau e o fermento e adicionar aos poucos à mistura dos ovos envolvendo cuidadosamente com uma espátula para não baixar de volume, levar ao forno aquecido em forma bem untada, cerca de 15 a 20 minutos ou até estar cozido.

Bimby / Thermomix

Colocar a borboleta no copo, juntar os ovos as claras e o açúcar, seleccionar 5 m, 37º, velocidade 3, quando terminar, seleccionar mais 5 m, velocidade 3, mas sem temperatura.

Entretanto colocar numa taça a farinha, o amido, o cacau e o fermento e misturar com uma colher.

Seleccionar 20 segundos, velocidade 3 e adicionar a mistura de farinhas, aos poucos pelo bocal.

Levar ao forno aquecido em forma bem untada, cerca de 15 a 20 minutos ou até estar cozido.

Desenformar e colocar sobre uma grelha para arrefecer.

 

Preparação do creme:

Tradicional

Picar o chocolate e reservar.

Levar o leite o lume para aquecer.

Bater as gemas com o açúcar até dobrar de volume, juntar o amido de milho.

Juntar o leite quente aos ovos muito lentamente e mexendo sempre com uma vara de arames ou uma batedeira. Levar tudo de novo ao lume muito brando até engrossar. Retirar do lume juntar o chocolate e esperar um minuto ou dois para o chocolate derreter, mexer então com uma vara de arames até obter uma mistura homogénea.

Bimby / Thermomix

Coloque o chocolate no copo, pique-o com uns golpes de turbo e reserve.

Coloque no copo os restantes ingredientes e programe 8 minutos, 90º, velocidade 3.
Adicione o chocolate picado e espere 1 minuto.
Ao fim desse tempo, programe 1 minuto, 80º, velocidade 3

Retirar do copo para uma taça e deixar arrefecer coberto por película aderente para não ganhar nata.

 

Servir o bolo coberto com o creme de chocolate e as amoras e framboesas.

 

Notas: A ideia do creme de pasteleiro de chocolate veio daqui mas não sei porque o meu ficou tão claro.

Pode substituir o creme de chocolate por natas batidas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:35

499 posts e a minha primeira Charlotte

por Moira, em 22.09.11

A charlotte é uma sobremesa que sempre fez parte do meu imaginário, tem uma apresentação excelente e até parece muito elaborada, mas na realidade até é relativamente simples. Procuradas as receitas acabei por eleger esta a que fiz algumas alterações por minha conveniência e pareceu-me a escolha perfeita para um jantar de amigas, para uma em especial que vinha cheia de saudades de framboesas e outros frutos vermelhos.

A minha primeira charlotte não ficou bonitinha para colocar um laço à volta, mas o sabor compensou a pouca formosura.

Charlotte de Framboesas

Ingredientes:

Xarope:

  • 30 ml de água
  • 15 g de açúcar
  • 30 ml de Vinho do Porto

Creme:

  • 220 g de palitos de champanhe (lady fingers)
  • 80 g de framboesas e amoras frescas
  • 500 g de queijo quark com 20% de gordura
  • 150 g de açúcar
  • 6 folhas de gelatina incolor
  • 2 colheres de sopa de água quente
  • 200 ml de natas bem geladas
  • 2 colheres de sopa de sumo de limão

Decoração:

60 g de Framboesas

60 g de amoras

100 g de mirtilos

folhas de hortelã qb.

 

Preparação:

Forrar com película aderente uma forma de charlotte com 19 cm de diâmetro e 9 cm altura.

 

Do Xarope:

Misturar a água com o açúcar, levar ao lume até o açúcar ficar dissolvido. Retirar do lume e juntar o rum, misturar bem e deixar arrefecer.

Pincelar os palitos com o xarope de vinho do Porto sem ensopar demasiado (senão não os vais conseguir manter de pé dentro da forma) e colocá-los na vertical a toda a volta da forma.

Cortar os restantes palitos em cubinhos, borrifar com o xarope e reservar.

 

Do Creme:

Misturar o açúcar com o queijo de forma a obter uma mistura lisa e homogénea.

Colocar as folhas de gelatina de molho em água fria por 2 ou 3 minutos.

Escorrer as folhas de gelatina e misturá-las na água quente, mexendo para dissolver. Deixar arrefecer um pouco e adicionar a gelatina à mistura do queijo creme e misturar bem até ficar homogéneo.

Entretanto, bater as natas geladas com duas colheres de sumo de limão até ficarem firmes. 

Com a ajuda de uma vara de arames envolver suavemente as natas na mistura do queijo creme.

 

Colocar 1/3 do creme na forma, espalhar  por cima alguns frutos e alguns cubos dos palitos reservados. Cobrir com mais um pouco de creme, colocar por cima mais alguns frutos e os restantes palitos cortados cobrindo com o restante creme.

É importante que o recheio da charlotte fique ao mesmo nível que os palitos dispostos na vertical, se isso não acontecer, faça uma camada com cubos de palitos até ficar com a mesma altura, ou leve assim ao frigorifico e antes de desenformar corte as pontas dos palitos com uma tesoura.

 

Levar ao frigorifico até solidificar (4 a 5 horas).

 

Na altura de servir, desenforme a charlotte para um prato e com cuidado retire a película aderente.

 

Decorar com os frutos silvestres frescos e folhas de hortelã. 

 

Notas: Esta receita foi ligeiramente adaptada da Charlotte de Framboesa da Andreia, a mentora do Blog Baunilha e Caramelo, um espaço repleto de coisas doces.

Ao todo usei 300 g de frutos silvestres, a Andreia faz um coulis para acompanhar a charlotte, eu optei por servir apenas com a fruta fresca.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:18

Doce de Amora para o Pequeno Almoço

por Moira, em 13.09.08

O que eu não faço por um bom pequeno almoço...

Quando a F. me trouxe as amoras eu já sabia o que fazer com elas, um belíssimo Doce de Amora para acompanhar as minhas torradinhas matinais.

pequeno almoço

O que é preciso para fazer um Doce de Amora?

Nada de muito especial, um passeio pelo campo, umas amoras silvestres, açúcar e umas gotas de sumo de limão, alguma paciência se fizer o doce no fogão, para mexer, mexer, mexer e deixar fluir os aromas pela casa...

Como eu sou uma rapariga prática, faço o doce no micro-ondas.

Pequeno Almoço

Doce de Amora (quantidade para 2 frasquinhos de doce)

 Ingredientes:

  • 400g de amoras
  • 300g de açucar
  • 2 colheres de sopa de sumo de limão

Preparação:

Pôr tudo numa taça de pirex larga e bastante funda para que o doce ao ferver não venha por fora, mexer e levar ao micro-ondas entre 15 a 20 minutos consoante a potência do seu aparelho, mexendo o doce a cada cinco minutos.

Entretanto escaldar os frascos onde vai guardar o doce, secá-los e colocar lá o doce com cuidado para não se queimar, fechar de imediato e deixar arrefecer, depois é só deliciar-se.

 

Como eu gostaria, que da minha janela se visse o rio para ver ao longe os barcos entrarem na barra nestas últimas manhãs de Verão...

Ode Marítima de Fernando Pessoa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:10

Oh minha amora madura...

por Moira, em 12.09.08

A minha amiga F. trouxe-me amoras silvestres... tão docinhas... amanhã ou depois vão ver o que lhes aconteceu.

Amoras silvestres

Obrigado amiga por te teres lembrao de mim.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:19


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D