Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ginja com elas...

por Moira, em 12.05.09

Para mim ginja é sempre com elas... ainda não me decidi se gosto mais da ginjinha ou das ginjas, pelo que vou continuando a beber o licor e a comer as ginjas.

Elas chegaram de novo, talvez sejam difíceis de encontrar à venda nas cidades, mas eu tenho a sorte de a minha mãe ter uma ginjeira no quintal que todos os anos nos presenteia com os belíssimos frutos.

O meu compadre tem uma ginjeira num dos terrenos que tem lá pelas arribas do Douro, e as ginjas ficavam sempre na árvora até os pássaros as comerem ou caírem para o chão, num dia que passamos por lá para ver as vinhas, vi a árvore carregada e perguntei-lhe porque não as apanhava, ao que ele me disse que aquilo não prestava, que eram bravas e azedas, ainda assim eu que sou uma mulher persistente, agarrei num saco e apanhei para aí um quilo ou dois de ginja, cheguei a casa lavei-as, tirei-lhes o pé, sequei-as com papel absorvente e vá de as pôr numa daquelas garrafas gigantes de whisky que se costumam ver nos bares, juntei-lhes o açúcar e o pau de canela, mandei-o pôr a aguardente no dia seguinte e disse-lhe que depois a guardasse e a esquecesse por um ano. Assim foi, quando lá cheguei no ano seguinte perguntei-lhe pela garrafa e ele só me respondeu:

- Ouve aquilo é uma "pomada" há anos que não provava nada tão bom, os amigos estão fartos de me perguntar como se faz.

Foi assim que ele começou a cuidar da árvore e a colher as ginjas todos os anos para fazer a tal "pomada", que já faz sozinho e na perfeição. Não é assim compadre Zé?

A receita da ginjinha já está no blog desde o ano passado, de qualquer das formas aqui fica de novo desta vez com quantidades para uma garrafa de litro.

Ginjinha

Ingredientes:

  • 1 garrafa de de boca (pode ser daquelas da polpa de tomate)
  • 2 punhados de ginjas
  • açúcar mais ou menos a gosto
  • 1 pau de canela
  • 7,5 dl de aguardente

Preparação:

Lave as ginjas, retire-lhes o pedunculo e seque-as com papel absorvente.

Coloque-as na garrafa e cubra-as de açúcar (eu uso sempre do branco pois o amarelo deixa pé quando a ginja está pronta a consumir.)

Deixe assim as ginjas a macerar no açúcar por pelo menos 24 horas a 48 horas.

Acabe de encher a garrafa com aguardente e acrescente o pau de canela.

Coloque a garrafa num local escuro e agite-a nos primeiros dias para ajudar a dissolver o açúcar.

Aguarde entre 3 a 6 meses e está pronta a consumir.

Em minha casa costumo guarda durante um ano antes de abrir para provar.

Notas: A mesma receita  também funciona com ameixas vermelhas, mas tem que ser feita em frascos por causa do tamanho da fruta. Entretanto experimentei com framboesas, com amoras e com groselhas, mas ainda não vos sei dizer o resultado, porque ainda não provei, mas acredito que estará bom, pelo menos a julgar pela cor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:04

Um destaque merece comemoração!

por Moira, em 03.03.09

O Tertúlia começou há um ano e tal atrás, devagarinho, um pouco a medo, com muitas ideias mas sem saber bem como concretizá-las, sim que isto de "internetes" é coisa recente para mim.

Resumindo, o que eu sei fazer mesmo é cozinhar, a fotografia veio por obrigação, sim porque um blog de comidas sem fotografias é como um jardim sem flores, excepção feita para o blog Ardeu a Padaria cujo dono tem o dom da palavra e nos transporta para a sua cozinha sem uma única foto.

Mas como ia dizendo, com os tachos a coisa funciona bem, já com a fotografia percebi logo de início que tinha muita coisa que aprender, é que fazer fotos de alimentos não é a mesma coisa que fazer fotos de paisagens e não basta ter uma boa máquina. Tem sido uma aprendizagem lenta mas que começa a dar os seus frutos, e acreditem que tudo o que aqui é postado foi provado e aprovado, pelo marido, pelos amigos ou pela família, eles são os meus mais fiéis seguidores embora nunca me deixem mensagens no blog.

Tudo isto para dizer que estou feliz, o Tertúlia está em destaque na página do Sapo, e já que não posso oferecer champagne ofereço um docinho aos Blogs do Sapo que este mês também estão de parabéns. Muito Obrigado!

Trufas de Chocolate Negro com Vinho do Porto e Amêndoa Tostada

Trufas de Chocolate Negro com Vinho do Porto e Amêndoa Tostada

Ingredientes:

  • 150 g de chocolate negro
  • 125 g de natas
  • 20 g de manteiga amolecida
  • 10 ml de Vinho do Porto
  • 50 g Amêndoa Picada para cobrir

Preparação:

Numa taça pôr o chocolate partido aos bocadinhos pequeninos e o vinho do Porto.

Ferver as natas e deitar sobre o chocolate mexendo bem para o derreter, por fim adicionar a manteiga amolecida, mexendo bem para ficar homogéneo.
Tapar a taça e guardar no frigorifico até ao outro dia.

Numa frigideira colocar a amêndoa picada e levar ao lume mexendo sempre para tostar, reservar.

No dia seguinte colocar a amêndoa tostada num prato.
Moldar pequenas bolas com as mãos untadas com óleo ou manteiga e passá-las pela amêndoa.

Acompanhe com um bom Vinho do Porto.

 

Nota:

Leonor desculpa-me isto não é concorrência desleal, mas esta receita era inevitável e tenho mais umas quantas ideias, depois de aprender a fazer as tuas trufas, estou a consolidar os conhecimentos e aventurar-me em novas experiências, só ainda não me atrevi a mexer na base... receios de principiante. Obrigado Leonor ! 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56

Uma sobremesa diferente

por Moira, em 24.02.09

Higos rellenos que traduzindo para português são figos recheados, é uma receita espanhola, país que tem uma abundância de figos na sua época e que por isso seca uma boa parte deles para consumo posterior.

Falar de figos numa altura destas cheira um pouco a fora de época, o que não acontece neste caso, pois os figos utilizados são exactamente os secos e que me tinham sobrado das festas natalícias.

A primeira vez que provei esta iguaria foi na ilha de Maiorca, no hotel onde fiquei hospedada e ficaram-me gravados na memória. Esta semana ao receber um livro de receitas de Espanha, a minha cara encheu- se com enorme sorriso ao ver que a receita lá estava e que o aspecto era exactamente o mesmo que eu recordava.

A receita em causa leva Xerez, um vinho que eu tenho que comprar urgentemente, pois entra na composição de inúmeras receitas espanholas, nesta receita foi substituído por Hypocras, um vinho medieval bastante doce.

Higos Rellenos (Figos Recheados)

Ingredientes:

  • 150 ml de mel claro
  • 100 ml de Xerez doce de cor escura (ver nota abaixo)
  • 1 colher de chá de canela
  • 14 figos secos
  • 300 ml de água
  • 14 amêndoas peladas

Preparação:

Coloque o mel, o xerez, a canela, os figos e a água num tacho em lume médio e deixe ferver.

Baixe o lume e deixe cozer por dez minutos em lume brando. Retire do lume e reserve tapado durante três a quatro horas.

Retire os figos da caçarola  com uma escumadeira e reserve o líquido. Leve-o de novo ao lume para espessar e ficar com o aspecto de um xarope.

Utilizado uma faca afiada faça um pequeno golpe nos figos e encha-os com uma amêndoa.

Sirva os figos recheados regados com a calda morna e acompanha com queijo fresco ou natas.

 

Nota: Eu comi-os sem recheio e sem acompanhamento. Ficam igualmente bons.

Em vez de Xerez utilizei um vinho doce, de nome Hypocras que fiz para o Jantar Medieval há uns tempos atrás e cuja receita está aqui, mas creio que, embora alterando o sabor, poderão ser confeccionados com Vinho do Porto, Moscatel do Douro ou de Setúbal, ou com qualquer outro vinho doce e licoroso.

Para quem estiver interessado em saber, a toalha foi bordada pela minha mãe em ponto jugoslavo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Para um jantar entre amigos

por Moira, em 16.02.09

Os fins-de-semana fazem-se entre amigos, entre comidas e bebidas, porque a conversa não flui se estivermos com a boca seca.

Desta vez calhou-me fazer a sobremesa e o chocolate fez, mais uma vez, as honras da casa, aliado ao limão foi uma dupla quase imbatível. E digo quase porque fiquei com imensa vontade de experimentar a mesma receita mas com molho de tangerina ou laranja que decerto ficará muito bem.

A receita é mais uma vez da Revista Saberes e Sabores, de Abril de 2007, numa edição dedicada aos fondues, que foi exactamente o nosso jantar mas que relatarei num outro post.

Torta de Chocolate com Creme de Limão

Torta de Chocolate com Creme de Limão

Ingredientes:

Para o creme de limão:

  • ± 3 Limões (± 1,5 dl de sumo)

  • 250 g de açúcar fino

  • 3 Ovos grandes

  • 50 g de margarina Vaqueiro

Para a torta:

  • Margarina Vaqueiro Líquida

  • 4 Ovos

  • 100 g de açúcar

  • 2 colheres de sopa de água

  • 50 g de farinha

  • 30 g de chocolate em pó

  • 1 colher de chá de fermento em pó

  • açúcar em pó

Para a cobertura:

  • 50 g de amêndoas em lâminas
  • 100 g de chocolate negro
  • 30 g de margarina Vaqueiro (usei o mesmo peso de natas)

  • 2 a 3 colheres de sopa de rum (usei a mesma quantidade de Licor Beirão)

Preparação: 

Comece por preparar o doce de limão: Raspe a casca de 2 limões com um ralador e esprema os que forem necessários para obter cerca de 1,5 dl de sumo. Junte o sumo e a raspa do limão com o açúcar e misture bem. Adicione os ovos um a um, mexendo sempre com a vara de arames.

Leve ao microondas cerca de 8 minutos na potência máxima, interrompendo de minuto a minuto para mexer com a vara. Se achar que ao fim de 6 minutos o creme já está com uma boa consistência, dê por terminada a tarefa.

Sem parar de mexer com a vara de arames, adicione a pouco e pouco a Vaqueiro, bem fria e cortada em pedaços pequenos.

Depois de arrefecer completamente, dê mais um mexidela no creme e guarde-o em frascos que vedem hermeticamente. Conserve no frigorífico.

Ligue o forno e regule-o para os 180 °C.

Pincele o tabuleiro do forno com Vaqueiro Líquida, forre-o com papel vegetal e volte a pincelar com Vaqueiro Líquida. Parta os ovos para uma tigela e bata-os com a batedeira à medida que vai adicionando o açúcar até obter um creme fofo e esbranquiçado.

Sem parar de bater, adicione a água a ferver. Junte a farinha peneirada com o chocolate e o fermento em pó e envolva delicadamente no creme.

Deite o preparado no tabuleiro, alise a superfície e leve ao forno durante 10 a 15 minutos.

Desenforme o bolo sobre uma folha de papel vegetal polvilhada com açúcar em pó, retire a folha de papel que usou para forrar o tabuleiro e cubra com o mesmo tabuleiro até a massa estar completamente fria.

Entretanto, espalhe as amêndoas em falhas sobre uma frigideira antiaderente e leve a alourar sobre lume moderado. Deixe arrefecer.

Barre a superfície da torta com o doce de limão, enrole com a ajuda do papel e coloque sobre uma torteira.

Parta o chocolate em pedaços para uma tigela, junte a Vaqueiro cortada em pedaços e o rum e leve ao microondas durante 45 segundos. Mexa com uma vara de arames até a mistura estar uniforme e deixe arrefecer um pouco.

Barre a torta com a cobertura de chocolate e salpique com as amêndoas torradas.

 

Nota: Passei a receita à risca, tal como estava na revista, fiz apenas as alterações mencionadas nos ingredientes.

Ficou perfeito embora dê algum trabalho, uma receita sem dúvida a repetir, tanto pelo sabor como pelo impacto visual.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:29

O que é que se come aqui ?

por Moira, em 09.02.09

Existe um cantinho na internet que é um paraíso de doçura e que se chama Flagrante Delícia, já todos o devem conhecer, mas se nunca se cruzaram com ele, acreditem que não sabem o que têm andado a perder.

Tudo o que a Leonor faz tem um aspecto apetecível e capaz de nos fazer entrar num acesso de gula, coisa feia por sinal, mas perfeitamente desculpável perante as fotos do Miguel e os doces da Leonor.

A minha maior ligação com o chocolate são as trufas, uma espécie de bombom, que tal como os gelados italianos, se desfaz na boca com suavidade accionando todos os nossos sentidos.

Sempre pensei que as trufas eram coisas difíceis de fazer e por isso nunca pensei em fazê-las, acontece que a Leonor tem-nos brindado ao longo dos meses com diversas receitas de trufas, primeiro foram as de chocolate branco com pistacho, depois as de chocolate de leite com maracujá, a seguir as de caramelo e por fim as de chocolate negro com rum e laranja cristalizada.

Quando ela publicou esta última receita a minha cabecinha não conseguia parar de pensar em trufas e umas horas depois de a ler fui para a cozinha.

Primeiro azar... não tinha nem rum nem laranja por isso tracei de imediato um plano B.

Abri a garrafeira e saltou-me á vista uma garrafinha de Licor Beirão daquelas bem antigas que ainda traziam uma fitinha de tecido.

Foi assim, e parafraseando o anúncio "O que é que se bebe aqui? - Licor Beirão" que nasceu um novo slogan aqui no blog: O que é que se come aqui ? - Trufas de Licor Beirão

De resto não me atrevi a mudar rigorosamente mais nada e ainda bem pois as trufas saíram perfeitas. Escolham as vossas preferidas e mãos à obra, que o dia dos namorados é já no sábado e não há nada que ligue melhor com o amor do que um bom chocolate.

Eu fiquei com as mãos no estado em que se vê, a cozinha ficou com o delicioso aroma do chocolate, a toalha, a mesa e eu própria ficamos polvilhados de cacau em pó e assim que fiz as primeiras a sobrinha e o marido começaram a roubá-las, no final sobraram apenas sete para a foto de grupo.

Trufas de Chocolate Negro com Licor Beirão

Ingredientes:

  • 150 g de chocolate negro
  • 125 g de natas
  • 20 g de manteiga amolecida
  • 10 ml de licor Beirão
  • Cacau em pó para cobrir

Preparação:

Numa taça pôr o chocolate partido aos bocadinhos pequeninos e o licor.

Ferver as natas e deitar sobre o chocolate mexendo bem para o derreter, por fim adicionar a manteiga amolecida, mexendo bem para ficar homogéneo.
Tapar a taça e guardar no frigorifico até ao outro dia. (Esta é a parte que custa mais... ter que esperar tanto tempo.)
Pôr um pouco de cacau num prato.
Moldar pequenas bolas com as mãos untadas com óleo ou manteiga e passá-las pelo cacau.

 

Nota: Para moldar as bolas tive a ajuda de um instrumento que habitualmente é usado para fazer bolinhas de melão.

 A minha sobrinha, a maior fã de chocolate na família, a comer mais uma trufa, depois não me venhas dizer que precisas de fazer dieta...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:43


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day, October 16, 2017 World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D