Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Arrufadas de Coimbra para o World Bread Day 2013

por Moira, em 16.10.13

Desde que conheci o Blog da Zorra em 2008 que me tornei habitué deste evento, que já vai na sua 8ª Edição, e desde essa época que tento, sempre que possível, fazer um pão tradicional português. Uma forma singela de homenagear o meu país dando a conhecer os nossos pães tradicionais num evento que tem vindo a crescer ano após ano e que hoje em dia junta bloguers do mundo inteiro, numa verdadeira festa do pão.

Este ano escolhi um pão doce tradicional de Coimbra, terra natal do meu pai. A receita foi retirada do mais emblemático livro de receitas português, Cozinha Tradicional Portuguesa de Maria de Lourdes Modesto.

Arrufadas de Coimbra

Ingredientes:

  • 1 kg de farinha de trigo T65
  • 1 dl de leite
  • 11 g de fermento de padeiro granulado 
  • 250 g de açúcar
  • 1 colher de chá de canela
  • 5 ovos (a minha levou 6 médios)
  • 125 g de manteiga derretida (usar morna)

Preparação:

Colocar a farinha num alguidar, fazer um buraco no meio e colocar lá o fermento e o leite mexer para misturar um pouco de farinha e deixar levedar até parecer uma esponja. Juntar os ovos, o açúcar, a canela e amassar até formar uma bola, se necessário adicionar um pouco mais de leite, mas muito pouco. Por fim adicionar a manteiga derretida e amassar bem para incorporar na massa. Tapar com um pano e deixar levedar, em local ameno duas a três horas, se usar apenas uma colher de fermento pode deixar levedar durante a noite.

Formar bolas com cerca de 100 g de massa cada uma e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal untado e enfarinhado, fazer rolinhos de massa e colocar por cima de cada arrufada como se fosse uma coroa. Voltar a tapar com um pano e deixar levedar de novo até dobrarem de volume. Antes de irem ao forno pincelam-se com gema de ovo diluida num pouco de leite.

Vai ao forno quente a 200º C durante cerca de 15 a 20 minutos conforme o forno. 

 --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- --- 

English Version

Since I met Zorra's Blog in 2008, I became an habitué of WBD, which is in its 8th Edition, and I try since then, whenever possible, bring a traditional Portuguese bread. A simple way to honor my country in an event that has been growing year after year and that brings together bloggers from all over the world.
This year I chose a traditional sweet bread of Coimbra, Portugal, homeland of my father, and took the recipe from the most emblematic Portuguese cookbook: "Traditional Portuguese Cuisine" of Maria de Lourdes Modesto.

Arrufadas de Coimbra

Ingredients:

  • 1 Kg all porpose flour
  • 1 dl milk
  • 11 g dried yest
  • 250 g sugar
  • 1 tsp cinnamon
  • 5 eggs (mine took 6 medium eggs)
  • 125 g butter

Preparation:

Put the flour in a bowl, make a hole in the middle and put there the yeast and milk, mix with a little of flour and let rise up until it looks like a sponge. Add the eggs, sugar, cinnamon and knead until it forms a ball, if necessary add a little more milk, but very little. Finally add the melted butter and knead well to incorporate into the batter. Cover with a cloth and let rise in warm place for two or three hours. If you use a little less yeast let it rise during all night.
Form balls of dough with about 100 g each and place them on a tray lined with greased parchment paper and floury, do mass rolls and put on top of each arrufada as if it were a crown. Recap with a cloth and let rise again until double in volume. Before going to the oven brush with egg yolk diluted in a little milk.
Go to oven eated to 200º C for about 15 to 20 minutes, depending on the oven.

 

World Bread Day 2013 - 8th edition! Bake loaf of bread on October 16 and blog about it!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:13

Oficina de Pão

por Moira, em 04.01.13

O Paulo do Zine de Pão de passagem por Lisboa e a Mercearia Criativa organizaram uma Oficina de Pão a que eu tive o privilégio de assistir.

Aprendemos a amassar, falámos da importância dos ingredientes e dos diferentes tipos de fermento, falámos do isco, como se prepara e como reconhecer o ponto de fermentação em que está, aprendemos a tender a massa e a dar-lhe diferentes formas.

Foram 3 horas muito produtivas, que pareceram apenas alguns minutos, em que o Paulo nos transmitiu a sua sabedoria com uma enorme paixão, que acredito, deliciou todos os presentes.

Amanhã, sábado, há mais uma Oficina de Pão, mas creio que há muito que está esgotada. Quem sabe teremos mais num futuro próximo, no entanto se ficaram curiosos e querem aprender um pouco mais, passem pelo Zine de Pão, leiam cada um dos seus posts e partam para a prática sem medos, que a vida é feita de aprendizagem constante.

No final da Oficina de Pão levámos uma porção de massa para cozer em casa, a minha massa ainda viajou para lá de Vila de Rei e foi cozida no pior forno do mundo, ainda assim o pão dela resultante recebeu muitos elogios e quando dei conta já só havia meia fatia que foi fotografada no dia seguinte.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:50

World Bread Day 2012

por Moira, em 16.10.12

É no Dia Mundial da Alimentação, que me junto a mais uma edição do World Bread Day, a 7ª,  promovida pela Zorra.

Este ano tenho andado um pouco perdida no tempo, pelo que não tive oportunidade de procurar uma receita típica portuguesa.

Mas isso não era motivo para não participar, por isso, deixei-me levar pela imaginação e fiz um pão com leite de coco e ameixas pretas.

O resultado não foi exactamente aquele que eu esperava, porque não se sente o sabor do coco, no entanto ficou muito agradável e por isso digno de partilhar.

Pão Doce com Ameixas Secas

Ingredientes:

  • 700 g de farinha de trigo
  • 50 g de açúcar
  • 100 g de manteiga
  • 250 ml de leite de coco
  • 2 ovos
  • 150 g de ameixas secas descaroçadas e cortadas
  • 1 colher de chá de sal
  • 1 saqueta de fermento seco de padeiro (11 g)
  • 1 cálice de vinho do porto
  • gema de ovo para pincelar

Preparação:

Tradicional

Colocar as ameixas secas numa taça e regá-las com o vinho do Porto, reservar por  1 a 2 horas.

Numa taça colocar a farinha, o fermento seco, o açúcar e o sal, misturar e fazer um buraco no meio.

Amornar o leite de coco juntamente a manteiga durante 30 a 40 segundos no micro-ondas, se aquecer de mais esperar até ficar morna antes de utilizar, para não matar o fermento.

Juntar os ovos, o leite de coco e a manteiga à mistura de farinha e amassar até obter uma massa homogénea que se solta das paredes da taça formando uma bola.

deixar levedar numa taça untada e em local morno, até dobrar o volume pode demorar entre 30 minutos a 1 hora ou mais, consoante a temperatura ambiente.

Divida a massa e forme três rolos iguais, espalme-os para formar 3 rectângulos iguais, coloque as ameixas picadas no meio, no sentido do comprimento e enrole de modo que as ameixas fiquem no meio e obtenha de novo 3 rolos. Proceda de igual forma com as outras duas partes de massa. Forme então uma trança, coloque no tabuleiro  de ir ao forno, sobre uma folha de papel vegetal e pincele com gema de ovo ou com o resto do vinho do porto onde as ameixas estiveram a hidratar.

Deixe a massa levedar mais 30 a 40 minutos e leve então ao forno aquecido a 180º C durante 30 a 40 minutos.

Se necessário tape com papel de alumínio para não queimar por cima. 

Bimby

Colocar as ameixas secas numa taça e regá-las com o vinho do Porto, reservar por  1 a 2 horas.

Colocar no copo o leite de coco, a manteiga e o açúcar e programar 2 minutos, 37º, vel. 2.

Juntar os ovos e o fermento e programar 10 segundos, velocidade 6.

Por fim juntar a farinha e o sal e programar 3 minutos, velocidade espiga.

Retirar a massa do copo, formar uma bola e deixar levedar numa taça untada e em local morno, até dobrar o volume pode demorar entre 30 minutos a 1 hora ou mais, consoante a temperatura ambiente.

Divida a massa e forme três rolos iguais, espalme-os para formar 3 rectângulos iguais, coloque as ameixas picadas no meio, no sentido do comprimento e enrole de modo que as ameixas fiquem no meio e obtenha de novo 3 rolos. Proceda de igual forma com as outras duas partes de massa. Forme então uma trança, coloque no tabuleiro  de ir ao forno, sobre uma folha de papel vegetal e pincele com gema de ovo ou com o resto do vinho do porto onde as ameixas estiveram a hidratar.

Deixe a massa levedar mais 30 a 40 minutos e leve então ao forno aquecido a 180º C durante 30 a 40 minutos.

Se necessário tape com papel de alumínio para não queimar por cima. 

 

Nota: Se preferir adicione as ameixas picadas à massa antes de a pôr a levedar.

Em vez de uma trança, pode fazer bolinhas ou pequenos pães.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:12

Boa Páscoa

por Moira, em 06.04.12

O tempo passa depressa, fui de férias, já voltei e sendo a Páscoa uma época festiva, não podia passar sem um doce para pôr na mesa.

Em nossa casa não temos a tradição da Páscoa, no entanto aproveitamos estes dias para estar em família, por isso lembrei-me de vos trazer uma das nossas sobremesas preferidas.

Apresento-vos o nosso pudim de pão.

Pudim de Pão

Ingredientes:

  • 3 ovos
  • 6 colheres de sopa de açúcar
  • sumo e raspa de meio limão
  • 500 ml de leite
  • 1 pãozinho e meio (carcaça ou papo-seco)
  • Caramelo líquido q.b. para barrar a forma

Preparação:

Parta o pão aos pedacinhos, amorne o leite e deite-o sobre o pão para o amolecer, misture os ovos com o açúcar, a raspa e o sumo de limão.

Misture os ovos com o pão e coloque numa forma de pudim caramelizada.

Coze em banho maria no forno por cerca de 35 a 40 minutos, ou na panela de pressão contando 15 minutos a partir do momento em que começa a ferver. Desenformar só quando estiver completamente frio.

Nota:

Este é um pudim pequeno.

Para variar, em vez de carcaças ou papo-secos pode usar pão de leite ou brioche.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:26

From Portugal to WBD 2011

por Moira, em 16.10.11

Hoje é o dia mundial da alimentação e também o WBD 2011 que é como quem diz o dia mundial do pão.

Bake Bread for World Bread Day 2011

A história do pão confunde-se com a história da humanidade, e ele continua a ser a base da alimentação de milhões de pessoas.

Segundo o livro "O Pão em Portugal" de Mouette Barboff, uma espécie de bíblia do pão tradicional português, as primeiras espigas de milho chegaram a Espanha, em 1493, pelas mãos de Cristovão Colombo. Apesar de não podermos precisar a data da introdução do milho grosso em Portugal, certo é que os portugueses o adoptaram rapidamente e passou a fazer parte da alimentação principalmente no norte do país.

A broa, ou pão de milho como é chamado em algumas zonas, tem características diferentes de região para região, as minhas preferidas são a broa do Minho, que leva milho e centeio e a da região de Coimbra que é feita à base de milho e trigo, no entanto e apesar de muito popular no norte, a broa de milho, continua a ser considerada como pão de gente pobre ou humilde.

Para o WBD 2011 trouxe mais uma vez uma receita típicamente portuguesa, para ver o processo completo de como se fazia a broa de milho antigamente ver os videos dos links abaixo.

Video 1 - a moagem

Video 2 - preparar o crescente e escaldar a farinha

Video 3 - amassar a broa

Video 4 - moldar a broa e pôr no forno

Video 5 - tirar a broa do forno

Broa de Milho, Centeio e Trigo

Ingredientes:

  • 350 g de farinha de milho branco
  • 175 g de farinha de centeio
  • 175 g de farinha de trigo
  • 200 g de crescente ou massa velha
  • 12 g de sal
  • 4 g de fermento de padeiro granulado
  • 450 ml de água a ferver
  • +/- 150 ml de água morna

Preparação:e à

Colocar as farinhas numa taça grande e escaldá-las com os 450 ml água quente onde misturou previamente o sal, mexer com uma colher de pau (ver video ao minuto 7:40). Deixar arrefecer a massa até aos 38º C e adicionar então o crescente misturado com o fermento de padeiro e um pouco de água morna. Amassar à mão para incorporar bem todos os ingredientes e se necessário acrescentar mais água. A massa deve ficar com uma consistência húmida e ligeiramente peganhenta (ver video ao minuto 9).

Alisar a massa com as mãos molhadas, polvilhar com farinha, tapar com um pano e deixar repousar durante uma hora a hora e meia, sabemos que a massa está no ponto quando tiver aumentado de volume e apresentar gretas por cima.

Dividir em duas porções iguais, polvilhar uma taça média com farinha de milho, colocar uma porção de massa, polvilhar de novo com farinha e rodar a taça com as mãos para dar forma à broa (ver video ao minuto 5:50)

Levar ao forno previamente aquecido a 220º C durante 30 a 40 minutos. Sabemos que a broa está cozida quando batendo na base obtemos um som oco.

Notas:

Peneirar todas as farinhas é essencial para o resultado final.

O crescente que utilizei era um resto de massa de pão de trigo que na véspera alimentei com igual quantidade de água e de farinha de milho.

Não sendo eu uma grande entendida no assunto, parece-me que o crescente ou massa velha é equivalente ao "sourdough" e à "masa madre" dos espanhóis.

A quantidade de água, não pode ser precisa porque ela varia consoante as farinhas que estivermos a utilizar.

Happy World Bread Day 2011 to everyone!

Thank You Zorra for organising this event year after year.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:41


WOOK - www.wook.pt


Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day, October 16, 2017 World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D