Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Descontruindo e Reconstruindo

por Moira, em 05.06.10

Em minha casa tento não estragar nada, por isso quando sobra alguma coisa ela é aproveitada de novo e quase nunca na forma original, é o caso da receita de hoje, que acaba por nem sequer uma receita mas apenas uma ideia.

No domingo passado em que tive muita gente sentada à mesa acabei por fazer mais comida do que a que era necessária, foi assim que de três alheiras grelhadas sobraram quase duas, que estiveram a estagiar no frigorifico à espera de melhor sorte, ontem peguei nelas decidida a recriar um patê de alheira que comi recentemente num restaurante nas Termas de Monfortinho, mas depois de triturar a alheira a massa fazia lembrar a massa dos croquetes.

Acontece que eu nunca fiz croquetes na vida. Mesmo assim moldei a massa em pequenas bolinhas, passei-as por pão ralado e dispus-me a fritá-las, mas logo na primeira tentativa o meu primeiro projecto de croquete desfez-se em mil pedacinhos e eu passei ao plano B que foi pô-las no forno.

Agora vou ter que aprender a fazer croquetes que isto de uma Moira não saber fazer um dos clássicos da gastronomia Ibérica dá cabo da reputação de qualquer um.

Ainda sobre as alheiras, diz-se que a sua origem está ligada à presença dos judeus no nordeste transmontano, região com grandes tradições de enchidos, apesar de não estar provado que assim seja, as alheiras surgiram da necessidade de os judeus supostamente convertidos ao catolicismo, mas que continuavam a professar a sua religião às escondidas, criaram um enchido parecido com um chouriço mas que levava carne de aves ou de coelho, pão, alho e pimentão, e assim passavam por cristãos.

Moral da história? Às vezes é preciso estar de bem com Deus e com o Diabo.

No entanto, bem-aventurados sejam aqueles, que num laivo de lucidez e imaginação, inventaram tão maravilhoso pitéu.

Croquetes de Alheira Caseira

Ingredientes:

  • Sobras de alheira grelhada na chapa
  • ovo batido
  • pão ralado

Preparação:

Retirar qualquer pele que ainda se encontre na alheira, triturar tudo num robot de cozinha, pegar em pequenas porções de massa passá-las por ovo e pão ralado e colocar num tabuleiro de ir ao forno polvilhado com pão ralado, 15 minutos em forno bem quente e servir, quente ou frio conforme o gosto.

 

Notas: As sobras de alheira estavam bem frias quando as triturei e moldei e quando grelho as alheiras na chapa costumo esborrachá-las e ainda passar-lhes papel absorvente para absorver qualquer gordura que venha atrás.

As alheiras que usei são caseiras e por isso bastante diferentes das que se compram por aí cuja massa interior é na maioria das vezes uma papa molengona. Creio que tudo isto em conjunto contribuiu para o resultado final.

Cerca de uma alheira e meia rendeu mais ou menos doze bolinhas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:05


WOOK - www.wook.pt


27 comentários

De moranguita a 07.06.2010 às 17:36

nada se deita fora nestes tempos
e deixa çla tens tempo ainda mais que suficiente para aprender a fazer croquetes que eu adoro
estao uma sbolinhas bem apetitosas
beijinhos

De Moira a 07.06.2010 às 18:16

Não se pode estragar nada mesmo. E estes croquetes são mesmo bons :)

De SANDRA G a 07.06.2010 às 09:58

Bem facíl e muiittooo saboroso.Gosto bastante de alheira, mas grelhada porque aquela que fazem frita baaaaa, dispenso.

Eh, eh, não te preocupes não és a única a não saber fazer croquetes, eu também não!! Não aprecio muito e só os como quando são feitos pela minha mãe ou pela minha tia.

Bjs

De Moira a 07.06.2010 às 12:51

Sandra,
Só os Lisboetas é que comem alheira frita, eu sempre a comi grelhada por isso quando me apresentaram uma frita eu também detestei.
Quanto aos croquetes, eu acho também que já gostei mais do que o que gosto agora, mas quando são bem feitos são uma maravilha.
Bjs e boa semana

De alcina a 06.06.2010 às 22:57

Alheiras são boas de qualquer maneira mas que as bolinhas tem optima cara lá isso têm :-)
Essa história dos judeus também já conhecia assim e foi-me contada por um transmontano dedicado ás artes e ao estudo dos costumes por isso é capaz de ter algo de verdade :-)

De Moira a 07.06.2010 às 00:10

Esiste um livro sobre o assunto, mas como estou em contenção de despesas terá que ficar para mais tarde. É muito interessante saber sobre as diversas influências na nossa gastronomia.
E tens razão alheiras são boas de qualquer maneira :)

De Moira a 07.06.2010 às 00:11

Queria dizer Existe um livro e não "esiste" ;)

De Cacahuete a 06.06.2010 às 20:26

E que rico pitéu conseguiste transformar alheiras em croquetes. Ficaram super perfeitos. Não sabia a história por detrás da alheira, mas agora cada vez que comer uma vou-me lembrar deste facto.

Beijinhos

De Moira a 07.06.2010 às 00:08

Cacahuete,
Há um livro sobre as heranças dos Judeus na gastronomia portuguesa, só ainda não comprei porque entrei em contenção drástica de despesas, mas ainda o hei-de comprar um dia pois é muito interessante.

De Marly a 06.06.2010 às 00:03

Os seus croquetes ficaram lindos; eu sempre prefiro os salgadinhos assados. E que máquina fotográfica boa essa tua, as imagens ficam esplêndidas! A foto acima foi tirada à noite ou durante o dia?

Beijinho, boa noite e bom domingo

De Moira a 06.06.2010 às 10:46

Marly,
A quase totalidade das fotos deste blog são tiradas à noite, eu diria 95%.
Sim, esta também foi tirada à noite.
Foi a primeira vez que fiz salgadinhos assados, mas vou repetir.
Bjs e bom domingo

De Ameixinha a 05.06.2010 às 13:26

No forno até ficam mais saudáveis. Também nunca fiz croquetes :) Mas eu sou uma ameixa, a minha reputação passa a vida a ser arruinada he he

De belinhagulosa a 05.06.2010 às 10:13

Não se pode estragar nadinha há pois não acredito de volta da morcela sobraram mais coisas hihhii,ficou excelente amiga,jinhos grandes

De Moira a 05.06.2010 às 23:05

Pois foi o que deu muita fartura, mas se assim não fosse nunca me teria lembrado de fazer esta iguaria :)
Bjs

De Noêmia a 05.06.2010 às 09:04

Adoro inventar e descobrir com as sobras! Elas colocam nossas células cinzentas para trabalhar e os resultados, muitas vezes, são melhores que o prato inicial!
:O)

De Moira a 05.06.2010 às 23:06

É verdade! E estes ficaram muito bons :)

De argas a 05.06.2010 às 08:57

Que bolinhas tão lindas e, na minha opinião, bem melhores do que se fossem fritas. bjinho e bom fim-de-semana

De Moira a 05.06.2010 às 23:07

Ficaram com uma textura óptima e sem o óleo da fritura :)
Bjs e bom fim de semana

De aespumadosdias a 05.06.2010 às 08:24

Ontem comi alheira ao jantar. Fiquei muito cheio. Por isso depois fui andar para o Parque das Nações.

De Moira a 05.06.2010 às 23:07

É verdade, a alheira enche bastante.

Comentar post


Pág. 1/2



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D