Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Penha Garcia - 490 Milhões de Anos Depois

por Moira, em 14.05.10

Penha Garcia fica na encosta da Serra com o mesmo nome na margem direita do Rio Pônsul, foi povoada no neolítico, foi castro lusitano e por lá também passaram os Romanos.

O seu castelo foi edificado, sobre um castro Romano, pelos Templários e dele ainda restam algumas muralhas em bom estado de conservação, lá em cima a vista é deslumbrante e impossível de descrever por palavras, no vale temos ao longo do rio inúmeros moinhos azenha

Ao fazermos o percurso pedestre que desce do castelo até à barragem a boca abre-se de espanto, quando entramos pelos caminhos junto ao rio, é que nas fragas de Penha Garcia de rocha quartzítica, encontram-se a céu aberto, inúmeros fósseis marinhos, a maioria deles são rastos de trilobites, um dos seres que habitou o fundo dos mares há mais de 490 milhões de anos atrás

Depois de há uns anos atrás ter visitado as gravuras do Vale do Côa e ter ficado fascinada, para quem não sabe eu sou uma aficionada nesta matéria, ao visitar o parque geológico de Penha Garcia, senti um arrepiozinho na espinha ao perceber logo pelo caminho que a meus pés gravados na pedra estavam milhões de anos de história.

Aos rastos das trilobites visíveis nas fotos acima chamam-se Cruzianas, embora sejam conhecidos pelo povo como cobras pintadas.

 

Fizemos o percurso pela manhã de uma sexta-feira, dia de trabalho para o comum cidadão, não havia mais ninguém por lá, por isso a visita guiada foi feita em exclusivo para nós por um vigilante que era de uma enorme simpatia e cujo nome imperdoavelmente não perguntei.

Dos vários moinhos-azenha, alguns foram restaurados e estão prontos a funcionar para deleite dos visitantes mostrando como era moído o grão que se transforma em farinha e que fazia os pães da zona que ainda hoje são muito afamados. Intactas estão ainda as casas dos moleiros com os diversos utensílios necessários para o seu dia-a-dia.

O percurso pedestre tem cerca de 3 km e far-se-ia numa hora, não fosse eu parar a cada 5 minutos para apreciar cada pequeno pormenor, o vale ao longo do rio Pônsul é muito bonito e sentimo-nos em directa comunhão com a natureza, apetece ficar por ali a preguiçar mais umas umas horas, mas temos que seguir viagem.

E para homenagear esta bela região e o trabalho dos moleiros, nada melhor que um pão, não é o de Penha Garcia, cuja receita desconheço, mas um pão à minha maneira.

Pão de Trigo e Cevada

Ingredientes:

  • 350 g de Farinha de Trigo T65
  • 100 g de Farinha de Trigo Integral
  • 50 g de Farinha de Cevada
  • 1 colher de chá de sal
  • 350 ml de água tépida
  • 1 pacote de Fermipan
  • 1 punhado de sementes de linhaça para decorar

Preparação:

Numa taça colocar as farinhas, o sal e o fermento, adicionar a água, amassar e deixar fermentar durante cerca de uma hora em local abrigado, ou até que a massa dobre de volume.

Com as mãos enfarinhadas dar forma ao pão e deixar de novo a fermentar, pincelar com água, polvilhar com as sementes de linhaça, fazer uns golpes ao longo do comprimento do pão e levar ao forno quente por cerca de 30 minutos ou até estar cozido.

Nota: A farinha de cevada compra-se em lojas de produtos naturais tal como as sementes de linhaça.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:53


WOOK - www.wook.pt


34 comentários

De Rui a 09.06.2013 às 08:55

Daqui a duas semanas conto estar a explorar os recantos e maravilhas de Panha Garcia! :)
Depois faço um relato

De Patrícia Carvalho a 23.05.2010 às 15:04

Olá Moira;) (Gosto já que eu sou Lisboeta)
Visito este blogue delicioso todas as semanas, mas é a 1ª vez que faço um comentário. Adorei a associação de Penha Garcia com a receita do pão. Pois os meus amigos de Penha Garcia têm familiares que têm uma padaria em Penha Garcia!!! Vende pão para todo o distrito de Castelo Branco. Quando estamos juntos, aí estou eu a comer um pão sem nada;)
Adoro ir a Penha Garcia no verão para mergulhar na água límpida da serra com aquela paisagem maravilhosa!!!
Bjs

De Moira a 24.05.2010 às 23:55

Olá Patrícia,
Eu não sou lisboeta mas vivo em Lisboa, daí o Moira hehehehe
Tive oportunidade de provar o pão de Penha Garcia e adorei, é um pão à moda antiga.
Nos dias de calor aquelas águas devem ser fantásticas ;)
Bjs e volta sempre

De CRISTINA DINIS ROLDAO a 18.05.2010 às 22:44

Olááá ! ora só mesmo para dizer que ADORO este blog :o)

CRISTINA DINIS ROLDAO

De Moira a 18.05.2010 às 23:14

Obrigada Cristina!

De Carlita a 18.05.2010 às 15:13

Que paozinho mais apetitoso...
Uma fatia barrada com manteiga... já marchava :)

bjs

De Moira a 18.05.2010 às 16:52

Carlita,
Vieste lembrar-me que está na hora do lanche ;)
Bjs

De Isabel a 17.05.2010 às 20:08

Moira, que lugar lindo! Esse entrou definitivamente para a minha wishlist de lugares a visitar no nosso país.
O pão tem um aspecto magnífico!
Quanto aos macarons, enviei-te um e-mail.
Bjs

De Moira a 18.05.2010 às 00:11

Isabel,
Este local tal como os dos anteriores posts ficam todos perto uns dos outros e são absolutamente espectaculares, ficam no distrito de Castelo Branco e junto à fronteira com Espanha.
Quanto aos macarons, o e-mail não chegou :(
Podes enviar de novo?
Beijocas

De Não sou anónima, chamo-me Ana :P a 17.05.2010 às 16:58

Beijinhos :p

De Anónimo a 17.05.2010 às 16:56

Parabéns pelo teu blog :)
Tal como tu, adoro cozinhar e gosto imenso de fotografia, por isso acho fantástico o teu blog .

De Moira a 17.05.2010 às 17:20

Olá Anónima Ana LOL :)
Obrigada pela visita, já passo pelo teu cantinho para retribuir.
Beijinho

De Sandra G a 17.05.2010 às 10:47

Uma região com muita história sitios lindos!!!
Tudo isso e um belo pão é das coisas melhores para a alma de alguém.

Bjs

De Moira a 17.05.2010 às 17:19

É verdade Sandra!
Bjs

De Suzana a 17.05.2010 às 10:05

Moira,
É incrível como a história enquadra a comida e torna tudo mais fácil de compreender, desde os sabores aos saberes. Atrevo-me a dizer que no caso do pão devia ser sempre assim... Gosto muito de percorrer contigo estes caminhos de pedra e encontrar no final um belo pão. Nada mais perfeito!

Bj e boa semana

De Moira a 17.05.2010 às 17:23

Suzana,
Não imaginas como me senti criança quando o vigilante pôs o moinho a funcionar e nos mostrou os procedimentos, podia ser um trabalho duro, mas o pão era muito mais genuíno.
Agora restam-nos as lembranças para recordar.
Bjs e boa semana

De sofia a 17.05.2010 às 09:07

Adorei ver as fotos destes fosseis! realmente fascinante! E uma fatia do teu pao com manteiga e mesmo uma boa merenda para tal passeio!
boa semana!
sofia

De Moira a 17.05.2010 às 17:18

Sofia,
Estes pães ainda quentes com manteiguinha são o meu maior pecado ;)

Comentar post


Pág. 1/2



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D