Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Fogaça uma Tradição Secular

por Moira, em 16.10.09

Para participar no World Bread Day 2009 cuja mentora é a Zorra, escolhi um tipo de pão tradicional português, que eu adoro, e cujas origens, se perdem no tempo.

Parafraseando o Professor José Hermano Saraiva, eu diria que foi exactamente aqui, neste local, que tudo começou, para quem não conhece, estou a referir-me a Santa Maria da Feira e ao seu maravilhoso castelo, cuja foto foi gentilmente cedida por J A Moutinho.

A Fogaça é um pão doce português muito agradável e tem uma festa que remonta ao séc. XVI, a  Festa das Fogaceiras que se realiza todos os anos em honra a S. Sebastião. 

Esta festa surgiu há muitos anos atrás depois da mortandade causada pela peste.

Na altura os Condes do Castelo da Feira, estipularam uma renda anual de 30 mil reis para que a festa se realizasse e ao longo da nossa história a sua organização foi passando de mão em mão até aos dias de hoje em que é organizada pela autarquia da Santa Maria da Feira.

Mas a importância da Fogaça não fica por aqui, também existe uma Confraria da Fogaça da Feira, e vale a pena dar uma voltinha pelo site deles, foi lá que eu encontrei a verdadeira receita da Fogaça, embora sem quantidades, mas nestas coisas não há nada como a experiência, encontrei no entanto uma lista de ingredientes com quantidades no Blog da Turma de Pastelaria de Milheiros de Poiares, que depois de devidamente reduzida em quantidades deu a receita que vos deixo.

Fogaça

Ingredientes:

Para o fermento

  • 200 g Farinha T55
  • 120 ml de água morna (utilizei 150 ml)
  • 50 g Fermento fresco de padeiro

Para a massa

  • 600 g de farinha T55
  • 150 g de açúcar
  • 10 g de sal
  • 120 g de manteiga sem sal
  • 3 ovos
  • 2 g  de canela em pó (+/- meia colher de café)
  • raspa de limão (+/- meia colher de café)
  • 30 ml de Vinho do Porto (não está na receita original)

Preparação:

Dissolve-se o fermento na água tépida e junta-se cerca de 200 g de farinha de trigo até se obter uma massa relativamente mole, que se deixa levedar entre 15 minutos a meia hora conforme a temperatura ambiente.
Depois, adiciona-se o açúcar com a canela, o sal, os ovos, a raspa de limão, o Vinho do Porto, a manteiga e a farinha necessária para se obter uma massa um pouco mais consistente do que a do pão. (das 600 g de farinha indicadas usei apenas 550g)

Deixa-se fermentar o tempo necessário para a massa dobrar de volume.
A seguir, pega-se na massa,  divide-se ao meio e molda-se cada uma das partes num rolo comprido semelhante a uma serpente, isto é, mais espesso num dos lados.

Espalma-se este rolo com a mão, ficando uma tira que se começa a enrolar pelo lado mais largo, resultando numa pirâmide.

À medida que se vão enrolando, vão-se colocando as pirâmides num tabuleiro forrado com um pano polvilhado com farinha onde voltam a crescer (entre 30 minutos e 1 hora). Pincelam-se com ovo batido e, com uma tesoura, dão-se 4 golpes no topo da pirâmide de que resultarão as "torres do castelo".


Introduzem-se as fogaças no forno quente a (200º, o ideal era um forno de lenha, mas não tenho disso cá em casa), 15 minutos depois, tiram-se para fora, à mão, separam-se as "torres do castelo", permitindo assim que o calor penetre no interior das fogaças, cozendo-as uniformemente. Voltam ao forno para acabar de cozer.


Para perceberem melhor o processo de preparação das Fogaças de Santa Maria da Feira, deixo-vos um pequeno video que encontrei no Sapo:

Notas:

  • Não é possível dizer com rigor a quantidade de farinha necessária. A massa deverá ser, como se disse, mais consistente que a do pão, havendo também que ter em atenção o tamanho da fogaça que se pretende fabricar.
  • O Vinho do Porto não está na receita original, mas como na receita da confraria menciona sumo de limão, e na lista de ingredientes dos alunos de pastelaria não menciona o sumo eu optei por adicionar Vinho do Porto e o resultado foi bom.
  • O fermento fresco de padeiro pode comprar-se na padaria, nas pastelarias de fabrico próprio ou nos hipermercados, na área de frescos junto à padaria. Se substituir por fermento de seco use tipo fermipan ou ramazoti, para esta quantidade de farinha, creio que um pacotinho chegará, mas não experimentei.
  • Para fazer estas fogaças, para além do trabalho normal de fazer pão, que para muitos é um prazer, é necessária muita paciência para respeitar os tempos de levedação da massa, resumindo é para se fazer sem pressas.

 

E isto é o que não devia ter acontecido... Mas nem sempre corre tudo bem, esta desmaiou:

In English:

The Fogaça is a Portuguese sweet bread, from Santa Maria da Feira which has a festival that dates back to the XVI century., “Festa das Fogaceiras” is held every year since then, in honour of St. Sebastian.

 

Fogaça de Santa Maria da Feira

Ingredients:

For the yeast

200 g Wheat flour T55

120 ml of warm water (150 ml used)

50 g fresh baker's yeast

 

For the dough

600 g Wheat flour T55 (I used only 550 g)

150 g sugar

10 g salt

120 g unsalted butter

3 eggs

2 g ground cinnamon (+/- half teaspoon)

lemon zest (+/- half teaspoon)

30 ml port wine (not in original recipe)

 

Preparation:

Dissolve the yeast in warm water and join about 200 g of wheat flour until dough is relatively soft, and let it rise for between 15 minutes to half an hour it depends on room temperature.

Then add the sugar with the cinnamon, salt, eggs, lemon zest, Port wine, butter and enough flour to obtain a dough a little more consistent than bread dough.

 

Then, take the dough, divide it in half and shape each part in a long roll like a snake that is thicker on one side. Roll the dough beginning from the largest side in order to form a pyramid.

As we go rolling we put the pyramids on a tray sprinkled with flour and let them rise again for about 30 minutes to an hour.

Brush them with beaten egg and cut the top of the pyramids with a scissor forming 4 hits in the top of the pyramid which will result in the "towers of the castle".

 

Put the fogaças in hot oven hot (200° C), (the ideal was a wood oven, but I haven’t it at home), 15 minutes later, take the Fogaças out of the oven, and separate the "towers of the castle" by hand, allowing heat to penetrate inside the Fogaças to cook them evenly. Return them to oven to finish baking.

 

Notes:

I can not say exactly the amount of flour needed. The dough should be, as I said, more consistent than bread dough.

The original recipe takes lemon juice, but I used Port Wine instead and the result was very good.

Patience is required to do this recipe, is very important to respect rising times, otherwise dough wouldn’t rise properly.

In the video above you can see more or less the way to form the Fogaça.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:05


WOOK - www.wook.pt


69 comentários

De Inês Ginja a 25.11.2015 às 11:58

Manuela, que linda! Perfeita!
Adoro fogaça, e nunca fiz em casa, ou me oferecem ou costumo arranjar sempre nas feiras medievais duas vezes por ano.
Acho que este natal me vou divertir a tentar fazer esta tua receita, e as serpentes e pirâmides!
Aposto que a minha avó vai adorar.
Um beijinho e obrigada pela receita.

De Joaquim a 07.10.2015 às 18:18

Lamento que haja uma "reportagem" com alguns apontamentos sobre a fogaça, a sua história com bastante falta de rigor histórico e gastronómico.

1º - as fotos não são, de modo algum, fotos da verdadeira Fogaça da Feira. Aconcelho uma visita a Santa Maria da Feira e comer e saborear a verdadeira Fogaça da Feira. Basta olhar para o aspecto de uma e de outra e vê a diferença.
2º - Já agora uma correcção histórica, não foram os "Condes do Castelo da Feira, estipularam uma renda anual de 30 mil reis para que a festa se realizasse" mas sim em 1753 ano em que por Alvará de 30 de julho, o Infante D. Pedro, irmão de D. João V, determinou à Câmara Municipal que assumisse definitivamente a realização da “Festa das Fogaceiras”, para o que despenderia 30.000 Réis!
e assim está posta alguma verdade dos factos

De Moira a 12.10.2015 às 12:34

Joaquim,

1º Isto não é uma reportagem porque eu não sou jornalista, nem pretendo ser, e para quem estiver interessado em factos históricos e gastronómicos, está lá em cima o link para a confraria, não me ocorreu melhor local para se ler sobre o assunto.
2º E claro que as fotos não são de uma verdadeira fogaça, se leu o texto sabe que esta foi a minha tentativa de reproduzir o sabor de uma fogaça em minha casa que fica a muitos quilómetros de distância da Cidade da Feira, e em lado nenhum digo que esta é a verdadeira fogaça.
De qualquer das formas, agradeço a sua visita e o seu comentário.
Tenha um Bom Dia!

De italianoinvaligia a 16.02.2013 às 17:12

Muito obrigada, aproveitei da vossa explicação para fazer uma ligação com o mome italiano focaccia, da mesma etimologia, com que normalmente se indica uma espécie de pão que pode ser dolce ou salgado. Isso varia a segunda das regiões de Itália e também da época do ano.

De Turtle a 15.09.2012 às 18:41

Thank you for the recipe. I was just recently in Santa Maria da Feira and loved the fogaca that I tried!

De Paulo Costa a 11.07.2011 às 11:51

http://youtu.be/1cUptgB5mMM UPS .. Esqueci do link Aqui vai fogaça da Feira

De Paulo Costa a 11.07.2011 às 11:50

Já Agora passo a partilhar aqui um video que fiz na Escola de Milheiros de Poiares com os meus alunos de pastelaria a fazer fogaça...

De Paulo Costa a 11.07.2011 às 11:42

Boas, Eu sou o autor do Blogue de Milheiros de Poiares que referiu no seu Post

Parabéns pela recolha e pelo trabalho, Relativamente a questão do Vinho do Porto dos aromas em Geral a Fogaça mesmo não leva VP so leva rapa de Limão e Canela em pó...

Mas obviamente que em termos domesticos até chouriço e queijo eu já adicionei.

Parabéns mais uma vez

De Moira a 11.07.2011 às 20:05

Olá Paulo,
Obrigada pela visita e pelo comentário, gostei de ver o video, e fiquei com uma enorme vontade de comer fogaça, agora parece fácil, mas na altura dei muita volta para conseguir acertar com o formato.
Já agora aproveito para perguntar se conhece um pão doce que se chama "bolo das Alhadas" creio que é idêntico ao de Ançã, distrito de Coimbra, tenho andado à procura da receita mas pelo que já percebi é um segredo bem guardado pois quase não se encontram referências ao mesmo.
Dá para ver o aspecto do bolo aqui: http://freguesiadealhadas.blogspot.com/2010/07/os-famosos-bolos-das-alhadas.html
Eu já fiz duas tentativas com uma receita de uma tia que já faleceu, mas é apenas uma lista de ingredientes, o sabor está lá, mas eu não consigo transformá-la num bolo decente, a massa fica demasiado mole e pegajosa.
Neste momento encontro-me de férias, mas quando regressar envio-lhe a lista de ingredientes, pode ser que com a sua experiência consiga decifrar o que me está a falhar.
Um abraço

De Paulo Costa a 11.07.2011 às 21:13

Olá de Novoraço


Realmente nunca me meti nessa "alhada" mas pelo aspecto da foto que deve ter mais do dobro da metade dos anos .. :) da para deduzir que seja uma massa tipo brioche enrriquecida e com um toque pessoal como por exemplo na fogaça o Limõ e canela , no Folar a erva doce e demais ...iguarias do genero,,,

Aguardo então que me mande a receita para ver de que se trata

Ab

De candida a 05.11.2009 às 17:33

eu passo. acho horrível.

De a 29.10.2009 às 12:25

excelente escolha tua.
pessoalmente ainda não provei... mas há pouco tempo vi a receita num blogue e decidi copiar porque adorei.
vou copiar a tua receita também, porque está mais pormenorizada.

De Moira a 29.10.2009 às 12:40

Nunca comeste fogaça? Tens que experimentar, é um pão doce muito especial, tem parecenças com o brioche françês, mas também com os folares da páscoa. O meu conselho é fazeres um passeio até Santa Maria da Feira, aproveitas e visitas o castelo que é único no género em Portugal e compras uma fogaça para o lanche e regresse de viagem.
Para teres ums noção como se faz, vê o video, pois é muito completo para perceber a técnica e a textura da massa.
Beijocas

De victor amorim a 12.01.2011 às 21:18

Foi fantastico o resultado, eu sou de Espinho e quando volto a
Portugal o cha das cinco é acompanhado com uma fogaça
de fabrico tradicional, mas confeço que fiquei deveras surpreendido com o resultado e neste preciso momento estou a preparar mais
2 fogaçinhas que daqui a 30 minutos irao cozer no forno.
Muito obrigado pela receita, embora existem varias esta é a melhor
sem duvida.

De Moira a 12.01.2011 às 21:29

Obrigada Victor, fico deveras contente com este seu comentário, mas na realidade o mérito da receita não é meu, é dos alunos de pastelaria da escola de Milheiros de Poiares, ou de um seu professor.
Apenas fiz a busca e acrescentei um "pózinho" que foi o vinho do Porto. Lembro-me de na altura ter sido muito dificil encontrar uma receita, não havia nada digno desse nome. Este mês voltarei a fazê-la pois dia 20 é a Festa das Fogaceiras e apesar de não viver por lá, faço questão de a comer nesse dia :)
Um abraço

De zorra a 24.10.2009 às 13:21

Wow, what an impressive Brioche. Well done.

Thank you for your participation in World Bread Day 2009 (http://kochtopf.twoday.net/stories/announcing-world-bread-day-2009-yes-we-bake/). Yes you baked! :-)

De Moira a 25.10.2009 às 23:11

Thank you Zorra, it was a pleasure take part of this event.

Comentar post


Pág. 1/4





Sobre


Perfil no SAPO
Subscrever por RSS
E-mail

Insira o seu endereço de e-mail:

Entregue por FeedBurner


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram


Follow Me on Pinterest



World Bread Day

World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D