Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Do México para o Dia da Cor

por Moira, em 05.07.09

A receita de hoje veio directamente do México para animar o Dia da Cor e a sua grande mentora a Mary que criou um novo blog para estas nossas experiências culinárias coloridas.

A maioria das pessoas associa a gastronomia mexicana apenas a tacos, tortilhas, tequilhas e muito picante, mas ela é muito mais do que isso, é o resultado de uma fusão dos hábitos alimentares indígenas com os dos seus colonizadores Espanhóis.

As origens do chocolate remontam a muito antes da conquista do chamado Novo Mundo. Em 4000 a.c. já havia plantações de cacau Gravura Olmecanas zonas onde hoje temos o México e a Guatemala, tendo sido os Olmecas um dos primeiros povos a cultivar o cacau, só posteriormente os Maias,  e mais tarde os Toltecas e os Aztecas continuaram a tradição.

Os aztecas torravam e moíam as sementes de cacau, misturavam-nas com água, adicionavam malaguetas, canela, pimenta, baunilha e por vezes farinha de milho para engrossar, obtendo assim uma bebida amarga, mas muito energética a que chamavam xocolatl (xoco de amargo + atl de água). Esta bebida estava reservada apenas a governantes e soldados e era usada para celebrações e rituais.

A receita de hoje  chama-se Mole Poblano, é uma especialidade culinária da cidade de Puebla no México, também ela confeccionada em dias de celebração, consiste num molho com uma variedade enorme de ingredientes que é vazado por cima de frango ou perú, o original leva vários tipos de malaguetas impossíveis de encontrar no nosso país, por isso podem usar-se quaisquer malaguetas mais ou menos picantes consoante o gosto. Como eu pessoalmente não gosto de picante usei Jalapeños, que de todos me parecem os menos picantes.

A história do mole remonta à época pré-colombiana, diz-se que os Aztecas já preparavam para os grandes senhores um prato completo chamado "mulli", que significa guisado ou mistura. O mole poblano, cuja receita original utilizava cerca de uma centena de ingredientes, pode levar cacau ou chocolate em tablete, com ou sem açúcar, cinco variedades diferentes de malaguetas, amêndoas, nozes, passas, cravo, canela, salsa, pimenta, alho, e tortilhas. Não existem proporções certas e alguns ingredientes podem omitir-se ou variar em proporção. Apesar de ser um prato com um elevado número de ingredientes fortes e muito condimentado, um mole bem preparado não é pesado para o estômago.

 

Mole Poblano de Frango

Ingredientes:

Para cozinhar o frango:

  • 1 frango
  • 2 dl de vinho branco
  • 3 dl de água
  • 1 folha de louro
  • 4 cravinhos (cravo de cabecinha)
  • sal q.b.

Para o mole:

  • 10 g de sementes de coentros
  • 10 g de erva doce
  • 20 g de sementes de sésamo (gergelim)
  • 20 g de amendoins torrados
  • 40 g de amêndoas em lascas sem pele
  • 1 dente de alho picado
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 5 malaguetas (coloquei 10 g de jalapeños em conserva)
  • 40 g de sultanas douradas (passas de uva sem sementes)
  • 1 cebola
  • 1/2 pau de canela
  • 250 g de tomate maduro descascado e sem sementes cortado aos cubos
  • 250 ml de caldo de frango
  • 40 g de chocolate amargo

Preparação:

No dia anterior corte o frango aos pedaços, retire-lhe a pele e coza-o no vinho branco com a água, a folha de louro, o cravinho e um pouco de sal, cerca de 20 a 30 minutos, reserve.

Leve uma frigideira ao lume e  torre ligeiramente as sementes de coentro, a erva doce, as sementes de sésamo, as amêndoas lascadas, os amendoins e o alho picado.

Noutra frigideira coloque o azeite e refogue a cebola picada com as malaguetas sem sementes, o pau de canela e as passas de uva.

Num copo misturador coloque 250 ml do caldo de cozer o frango, adicione o conteúdo das duas frigideiras, retirando o pau de canela e triture juntamente com o tomate maduro.

Passe esse molho para um tacho e deixe levantar fervura, adicione o chocolate ralado e mexa para derreter, adicione o frango e deixe levantar fervura de novo mexendo com uma colher de pau para não pegar, tape e deixe repousar até ao dia seguinte.

No dia seguinte ponha de novo o tacho ao lume para aquecer, mexendo frequentemente para não pegar. Faça um arroz branco para acompanhar.

Notas: Um prato exótico e saboroso, mas muito trabalhoso. Quem provou, gostou, sem achar excepcional.

Acompanhamos com um vinho espanhol excepcionalmente bom, um Torres, Gran Coronas reserva 1998 (Cabernet Sauvignon)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:22


WOOK - www.wook.pt


53 comentários

De Paladares de Festa a 25.07.2009 às 01:23

Adoro comida Mexicana!
Esta receita parece-me ideal para um jantar divertido entre Amigos, boa conversa e conforme aconselhas, regado com um bom vinho!
A confecção sendo trabalhosa, talvez deva ser partilhada entre os Bons Amigos, para tornar a refeição ainda mais deliciosa :)

Parabéns e Beijocas
Sónia

De Susana a 23.07.2009 às 09:40

Olá :)

Adorei este post :) Há dias comentava que tinha de fazer um jantar Mexicano aqui em casa- Se há coisa que adoro é fazer jantares "temáticos" para os amigos. Já passamos pela cozinha Japonesa, Indiana, Italiana e ando há tempos fazer um jantar dito mexicano mas .... a ideia de oferecer tacos e afins não me estava a deixar nada entusiasmada. Esta receita veio assim reforçar a vontade de fazer o tal jantar. A receita parece-me magnifica... não consigo mesmo imaginar o resultado de tal combinação de sabores. Mas ... imagino que seja daqueles pratos bem especiais que gostamos de mostrar aos amigos ;) ´Vou aventurar-me com esta receita :D

Bjs

Su

De Gina a 22.07.2009 às 19:19

Oi, Moira!
Estou voltando para avisar que fiz o post sobre o desafio slow motion (parte I).
http://nacozinhabrasil-gina.blogspot.com/2009/06/pluft-e-o-pastel-de-vento.html
Bjs.

De Sonia Santos Pereira a 20.07.2009 às 09:39

Fiquei surpreendida por ver uma receita de Mole Poblano escrita por uma portuguesa. Por isso, não quis deixar de dar a minha contribuição uma vez que sou portuguesa e estou a viver no México. Isto significa ter em casa uma empregada que é uma cozinheira de "mão-de-cheia" e que há cerca de 1 mês preparou um Mole divinal para a comunidade portuguesa em Xalapa.
Só para acrescentar que a receita também leva bolacha, pão, aniz e mais alguns coisas que não me lembro (confesso que é uma lista infindável...) mas prometo que assim que chegar a Xalapa, (estou de férias em Portugal) consigo a receita completa. Um abraço de uma nova fã

De Manuela © a 19.07.2009 às 23:11

Falhei o dia castanho, ando sem tempo para nada :(

Adorei a tua participação, adoro os ingredientes todos do mole, como é que quem provou gostou e não achou excepcional? Eu só de ler fiquei a salivar :)

De Marta Furtado a 16.07.2009 às 20:46

Boa tarde Moira Manuela.

Intrometo-me neste post para lhe dar a conhecer a Bubok.Pt, um serviço de auto-publicação online que dá a qualquer autor a possibilidade de editar e publicar as suas obras. Um pouco como o YouTube para os vídeos e o MySpace para a música, na Bubok.Pt o autor controla totalmente a sua obra e, no final, ainda recebe 80% dos lucros da venda do seu livro.

Um das áreas em que gostaríamos muito de ver crescer o número de publicações é exactamente a culinária. Acreditamos que um livro é sempre um bom "fim" para as receitas arquivadas em blogues com a qualidade do seu. Uma vez que o texto está pronto e quase sempre acompanhado de imagens, só precisa de uma breve revisão para ficar pronto para publicar na Bubok.Pt, dando a conhecer os seus cozinhados a todos os que queiram comprar o seu livro.

O processo de publicação é muito simples e rápido: basta seguir os 5 passos indicados em Bubok.Pt, do upload do ficheiro com a sua obra, à escolha do preço da obra. A Bubok disponibiliza os seus livros em E-book e em papel através de um serviço ecológico de Print On Demand, em que cada livro é impresso por encomenda e, por isso, sem tiragens mínimas ou excedentes poeirentos e poluentes.

Ficamos à espera da sua visita em http://www.bubok.pt. Se precisar de algum esclarecimento, não hesite! Estou disponível para qualquer dúvida que possa surgir.

marta.furtado@bubok.com

De Jean Claudi a 16.07.2009 às 19:57

Prezada Moira,

Que frango caprichado... muito interessante a postagem sobre as curiosidades gastronômicas da cultura pré-colombiana. Parabéns!

Um abraço,

Jean Claudi.

De moranguitq a 09.07.2009 às 11:50

esta muito bonitoe ste pratinho sim senhora. confesso que nao conheço bem a cozinha mexicana. fiqeui a conhecer mais um pouco agora. obrigada
beijinhos

De Ju a 09.07.2009 às 11:01

Obrigada pelas receitas e um blog tão delicioso!!

Beijinhos

Ju

De micas a 07.07.2009 às 22:14

Original, deve ser saboroso,
parabens
beijinhos

Comentar post


Pág. 1/4



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D