Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Soube que nem Ginjas !

por Moira, em 15.05.09

Chegou mais uma leva de ginjas cá a casa, fiquei indecisa em fazer mais umas garrafas de ginjinha ou um doce de ginjas e acabou por não sair nem uma coisa nem outra.

Saíram umas ginjas em calda que nos souberam que nem ginjas! 

Não sei de onde vêm esta expressão, nem onde a ouvi, mas que ficou bom aí isso ficou.

Ginjas em Calda

Ingredientes:

  • 360 g de ginjas sem caroços
  • 200 g de açúcar

Preparação:

Levar ao lume as ginjas com o açúcar, mexendo para dissolver o açúcar e deixar ferver em lume brando, mais ou menos 15 minutos, retirando a espuma que se vai formando. Guardar em frascos escaldados e secos.

Servir fresco simples ou com queijo.

Esta é uma caneca muito antiga, não sei exactamente a quem pertenceu na família, é loiça da Caldas da Rainha e estou desconfiada que pode ser uma "Bordalo Pinheiro" embora não lhe encontre nenhuma marca.

Entretanto guardei os caroços das ginjas, se eu puser na terra será que nascem?

Se houver por aí algum leitor perito no assunto faça o favor de dizer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:30


WOOK - www.wook.pt


33 comentários

De Palmira a 21.01.2010 às 18:40

Olá Nela!
Conheço as canecas das Caldas e sei quem as ofereceu à minha madrinha,ou seja à tua avó Palmira!
A minha mãe era irmã dela e gostava muito de levar lembrancinhas das Caldas onde moramos muitos anos!Sou prima em 1º grau da tua mãe e só recentemente ela me falou acerca da Tertulia de Sabores,que tenho consultado com certa frequencia.
Parabens pelo êxito deste espaço de culinária.
Bjs
Palmira Teles

De Moira a 21.01.2010 às 21:33

Olá Palmira,
A minha mãe já me tinha contado que a prima visitava o meu blog.
Fico muito feliz que goste de passar por aqui a ver as receitinhas que vou fazendo cá por casa.
A caneca é muito bonita e quando tem história ainda tem mais valor.
Beijinhos
Nela

De aoutraquesoueu a 25.07.2009 às 23:10

Estou a gostar desta troca de mensagens.
Eu aprecio muito as nossas coisas e tenho várias peças antigas. Algumas já mostrei.
Agora fiquei sem máquina fotográfica, por isso não as posso publicar mas se te deres ao trabalho de veres o início do meu blogue verás umas jarrinhas de louça verde lindissimas e outras de vidro amarelo, e em especial uma boneca de louça "a cigana" como a minha avó lhe chamava que guardo com o maior carinho.

De Moira a 25.07.2009 às 23:52

Já lá vou espreitar :)

De aoutraquesoueu a 25.07.2009 às 22:58

São lindas mesmo. Tenho várias peças de louça antigas de que gosto muito, das caldas tenho também uma cantarinha verde da mesma altura, também oferecidas pela minha avó.
Um dia vou fotografá-las e publicá-las no meu blogue.

De Moira a 25.07.2009 às 23:03

Acho que fazes bem em mostrá-las, pois são peças dignas de serem mostradas, aliás Portugal tem cerâmicas extraordináriamente bonitas.

De aoutraquesoueu a 25.07.2009 às 22:50

Tenho uma caneca igual que me foi oferecida pela minha avó há uns 58 anos atrás.

De Moira a 25.07.2009 às 22:52

E são lindas, não são?

De RENETE a 25.07.2009 às 01:27

Sou do Brasil e gostei das receitas, aqui ginjas se chamam "cerejas"

De Moira a 25.07.2009 às 22:57

Olá Renete,
Ginjas não são cerejas, é uma variedade diferente, a ginja é ácida e meio amargosa ao contrário da cereja que é doce. A ginja é mais pequenina e ligeiramente achatada e não se come simples como os outros frutos, mas serve para fazer doces e licores na perfeição.

De Verdinha a 16.06.2009 às 17:32

Moira vi pela primeira vez ginjas a venda... e ja que é tao raro nao me quero ficar só pelo licor... então vou fazer umas em calda... diz-me dos caroços sempre nasceu alguma coisa????

Será que vale a pena por?? E enquanto nao os planto, guardo onde?? No frigorifico??

beijinho :)

De Moira a 16.06.2009 às 17:37

Olá Verdinha,
Ainda não os plantei, deixei-os secar ao ar, mas se tens um local manda-os para a terra hehehe decerto algum há-de nascer.
Depois quero ver o resultado das tuas experiências.
Beijocas

De Susana a 03.06.2009 às 18:35

Essa canequinha trás-me boas recordações. Havia uma em casa da minha avozita , e sempre que lá ia ela tirava a caneca de cima da chaminé e deixava-me usa-la ... só mesmo pelo gozo de ver o sapinho no fundo ;)

De Moira a 03.06.2009 às 19:01

É muito engraçado, epois de ter posto a foto da canequinha aqui no blog, já várias pessoas me vieram dizer que tiveram ou viram uma igual, e todas elas têm recordações felizes. Fico tão satisfeita com isso.
:)

De A. Madeira a 02.06.2009 às 18:26

Boa tarde!
Espero que experimente esta receita e, já agora que goste. Vou ser sincero, não é o licor (daqueles que eu faço) que mais aprecio, mas bem fresquinho vou bebendo.
A receita é bem simples de fazer. Ela aqui vai:

Licor de Folha de Figueira

Ingredientes:
15 folhas de figueira
1 kg de açúcar
1 L água
1 L de aguardente
Preparação:
Na panela, deite a água, o açúcar, e as folhas de figueira.
Leve ao lume e deixe ferver em lume brando durante 10 minutos.
Retire do lume e deixe arrefecer. Junte a aguardente, misture bem, filtre e engarrafe.

De Moira a 02.06.2009 às 18:40

Obrigado, vou fazer sim e hei-de publicar por aqui. Acho que vou é fazer só meia dose, para ver como sai.
Fica logo pronto a consomir, não precisa de estagiar?
Cumprimentos

De A. Madeira a 02.06.2009 às 15:23

Boa tarde Moira!

Como prometi e, como estamos no tempo das ginjas, aqui fica a receita desse belo licor:

5 litros de aguardente,
2 kl. de ginja,
3 kl. de açúcar amarelo,
2 Lt. de água,
1/2 Lt. de vinho ( carrascão ),
1 Limão,
5 paus de canela,
3 colheres de caramelo.

Lavar bem as ginjas, retirar o pé, escorre-las, juntar o caramelo e deitar num recipiente de boca larga, juntamente com a aguardente durante 2 meses. Passado esse tempo, separe as ginjas da aguardente. Deite num tacho o açúcar, o sumo de limão e a água, tape e leve ao lume; quando começar a ferver,( lume médio ) destape, conte 3 minutos exactos e retire do lume. Fora do lume e longe da chama, deite o vinho e a aguardente das ginjas no açúcar. Em frascos ou garrafas de boca larga deite as ginjas e depois o licor e o pau de canela e feche bem as garrafas.
Passados poucos dias, prove o seu licor de ginja.
Nota:
Estas são as quantidades que faço todos os anos, mas algumas garrafas são para oferta, não bebo assim tanto...
Prometo voltar com mais receitas dos licores que vou fazendo, bebendo e, dar a beber.

De Moira a 02.06.2009 às 15:42

Olá A. Madeira,
Obrigado pela receita! Este ano já fiz a minha ginja, cuja receita é bastante diferente desta, mas para o ano experimento a sua para ver como sai. Uma das grandes diferenças é que nunca uso açúcar amarelo, pois a única vez que experimentei a ginja ficou com imenso pé. Se quiser dar uma vista de olhos: http://tertuliadesabores.blogs.sapo.pt/tag/ginjinha
Vou ficar a aguardar a de figo, pois já provei em casa de uns amigos e adorei, e a minha cunhada tem duas figueiras por isso matéria prima não me falta.
Cumprimentos

De avo dos mais giros a 22.05.2009 às 17:41

Sim normalmente nasce tudo o que se põe na terra pois ela é muito generosa com as oferendas que nos dá.Eu confesso tenho aqui um bom pedaço de terra mas não dispenso as ervas aromáticas pertinho de mim,ate moranguinhos para mostrar aos meus netinhos(os mais giros)como nascem as coisas que comemos tão boas!!!temos é que ter cuidado e não juntar as especies quando conhecemos pouco,hoje mesmo ao almoço fiz esparguete pró almoço e não resisti a uns salpicos de manjericão aqui do vasinho que tenho à porta o resultado é de lamber(os beiços).oh!Moira gostei tanto do seu blog que tenho a sensação de a conhecer há secúlos .BECITOS DA AVO

Comentar post


Pág. 1/2



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D