Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Diz que é uma espécie de pão de leite

por Moira, em 30.01.11

Muitas vezes cá em casa faço coisas sem seguir qualquer tipo de receita, algumas vezes, mais do que aquelas que eu gostaria, sai asneira, outras até sai bem, foi o caso desta espécie de pães de leite, digo espécie, porque no final, apesar de ter sido feito com leite, nada tem a ver com o pão de leite tradicional.

Com o intuito de aproveitar um resto de açúcar com canela que tinha sobrado dos sonhos de Natal e que esperava ansiosamente, por um pão doce guardado num frasquinho, na desorganização da minha despensa, resolvi preparar com ele alguma coisa e foi este o nosso lanche de domingo.

Pão de Leite Perfumado com Limão e Canela

Ingredientes:

  • 500 g de farinha
  • 100 g de açúcar com canela
  • 25 g de fermento fresco de padeiro
  • 250 a 300 ml de leite
  • raspa de meio limão
  • leite ou gema de ovo para pincelar (pincelei só com leite)

Preparação:

Bimby / Thermomix

Colocar no copo o leite com o fermento esfarelado, a raspa de limão e 100 g de farinha, programar 2 minutos, 37 º, velocidade 3.

Acrescentar a restante farinha e o açúcar e programar 3 minutos velocidade espiga.

Deixar a massa levedar até levantar o copinho.

Com as mãos untadas com óleo fazer bolinhas de massa e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal próprio para ir ao forno.

Pincelar com leite ou gema de ovo e deixar levedar até dobrar o volume.

Levar ao forno aquecido a 180º durante 15 a 20 minutos.

 

Tradicional

Numa taça colocar a farinha misturada com a raspa de limão, o açúcar e fazer um buraco no meio. Colocar lá o fermento esfarelado e dissolve-lo com um pouco de leite morno, deixar crescer um pouco até formar bolhinhas. misturar aos poucos o restante leite morno e envolver a restante farinha até obter uma massa que se solta das paredes da taça. Amassar alguns minutos e deixar levedar, tapada com um pano, até dobrar o volume.

Com as mãos untadas com óleo fazer bolinhas de massa e colocar num tabuleiro forrado com papel vegetal próprio para ir ao forno.

Pincelar com leite ou gema de ovo e deixar levedar até dobrar o volume.

Levar ao forno aquecido a 180º durante 15 a 20 minutos.

 

Rendeu 12 pães pequeninos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:18

Bolachas Salgadinhas

por Moira, em 27.01.11

Eu não costumo ser muito amiga de bolachas, quando tenho fome entre as refeições como uma fruta ou bebo um iogurte, mas de quando em vez tenho vontade de bolachas, prefiro as salgadas às doces porque ligam melhor com um cafezinho.

Estas são umas bolachas muito simples, farinha e água e pouco mais, o que as torna especiais é a farinha de espelta, que tem um sabor muito caracteristico.

São óptimas com um café, podem servir de aperitivo ou até mesmo acompanhar uma sopa, a escolha é vossa.

Bolachas de Espelta e Sementes de Papoila

Ingredientes:

  • 100 g de farinha de Trigo
  • 50 g de farinha de Espelta
  • 50 g de margarina
  • 6 a 7 colheres de sopa de água fria
  • sementes de papoila q.b.
  • flor de sal q.b.

Preparação:

Misturar as farinhas com a margarina até obter uma massa areada, adicionar a água a pouco e pouco até ter obter uma massa moldável.

Estender a massa com o rolo da massa o mais fino possível, borrifar ou pincelar com água, polvilhar com as sementes de papoila e a flor de sal.

Já em cima do papel vegetal que vai ao forno, cortar as bolachas e picá-las com um garfo.

Vão ao forno aquecido a 180º durante cerca de 8 a 10 minutos.

 

Notas: Pode substituir a farinha de espelta por outra a gosto. As sementes de papoila também podem ser substituídas por sésamo, linhaça ou outras da sua preferência.

Se não tiver flor de sal para pôr por cima, adicionar uma colher de café de sal fino à massa das bolachas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:48

Omelete ou Tortilha ?

por Moira, em 25.01.11

Se alguém me dá ovos eu não faço omeletes, faço tortilhas que é bem mais fácil.

Tenho que confessar aqui que não sei fazer uma omelete, eu bem que tento, mas no final a coisa não fica com aspecto nem de omelete e muito menos de ovos mexidos.

Já me explicaram vezes sem conta como deve estar o lume, o jeitinho para dar a volta, até já vi o video da Julia Child, mas sinceramente, acho que ela também não tinha muito jeito...

Eu não consigo fazer omeletes e por isso faço tortilhas, que mais dá?

O sabor está lá todo, só não leva dobras nenhumas.

Desta vez fiz uma tortilha de sobras, baseada numa conversa com a minha comadre que esteve por cá num destes fins de semana e me falou de uns ovos mexidos com espinafres e alheira ou farinheira, que eu rapidamente transformei numa tortilha para não ficar mal vista com o meu habitual mau jeito para cozinhar ovos.

Tortilha de Espinafres, Alheira e Pinhões

Ingredientes:

  • 4 ovos
  • 2 a 3 colheres de sopa de espinafres cozidos
  • meia alheira grelhada e esfarelada
  • 1 colher de sopa mal cheia de pinhões
  • 1 fio de azeite

Preparação:

Bater os ovos com uma pitada de sal

Aquecer a frigideira anti-aderente com um fio de azeite, deitar metade dos ovos batidos, colocar por cima montinhos de espinafres, a alheira esfarelada e os pinhões, adicionar os restantes ovos e deixar cozinhar com uma tampa por cima por uns 10 minutos em lume brando.

Entretanto deixar deslizar a tortilha para um prato, colocar a frigideira por cima do prato para a virar e voltar a levar ao lume para cozinhar mais 5 a 10 minutos do outro lado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:27

Um lanche com Poesia

por Moira, em 23.01.11

A minha tarde de ontem começou com um amontoado de livros sobre a mesa, a minha sobrinha tinha um trabalho para fazer e eu propus-me a dar-lhe uma mãozinha na escolha de 15 poesias de poetas portugueses do séc. XX.

Todos os poemas escolhidos integralmente por ela tinham que ter em comum a palavra "Mar", eu seleccionei os poetas e ele teve que ler um sem número de poemas à procura da palavrinha mágica.

A meio, deixei-a nas suas leituras e parti para a cozinha, pesei os ingredientes, meti tudo para dentro da máquina, e em menos de um minuto tinha a massa em cima da bancada, momentos depois os scones estavam no forno e o chá pronto a servir.

Meia hora depois estávamos sentadas à mesa, com um prato de scones, um chá fumegante e a companhia do Fernando Pessoa, da Sophia de Mello Breyner, do Eugénio de Andrade e de mais alguns nomes sonantes da nossa poesia, de fora ainda ficaram alguns, que a escolha como sempre é difícil, navegamos por mares e rios de palavras bonitas numa tarde fria de inverno, mas nem demos conta do tempo passar.

A receita dos scones é da Delia Smith e foi-me sugerida pela Azélia do Azélias Kitchen, uma amizade recente, ainda que virtual com uma portuguesa que vive há tantos anos no Reino Unido que quase esqueceu a nossa língua, mas que ainda assim conserva as suas raízes numa pesquisa constante dos sabores da sua infância.

Scones

Ingredientes:

  • 225 g de farinha com fermento
  • 40 g de açúcar
  • 1 pitada de sal
  • 75 g de margarina
  • 40 g de passas de uva
  • 1 ovo pequeno batido
  • 2 a 4 colheres de sopa rasas de iogurte (a receita original usa buttermilk)
  • Mais um pouco de farinha para estender a massa e cortá-la.

Preparação:

Ligar o forno nos 220º.

Numa taça colocar a farinha, o açúcar e o sal, adicionar a margarina fria aos cubos pequenos e misturar rapidamente até obter uma massa areada. Juntar as passas, o ovo batido e o iogurte aos poucos (pode não ser necessário todo) até obter uma massa que apesar de  ligeiramente mole, pode ser colocada sobre a mesa enfarinhada, polvilha-se também por cima e calca-se de forma a ter mais ou menos 1 cm a 1,5 cm de altura. Corta-se com um corta bolachas, e coloca-se sobre um tabuleiro também ele enfarinhado. Juntam-se as aparas, cortam-se os restantes scones que vão ao forno quente cerca de 10 ou até estarem ligeiramente dourados.

 

Bimby /Thermomix

Ligar o forno nos 220º.

Colocar no copo a farinha, o açúcar, o sal e a margarina, programar 10 segundos, velocidade 4.

Adicionar o ovo batido e duas colheres de iogurte, programar mais 10 segundos, velocidade 4.

Juntar as passas e programar 5 segundos, velocidade 2.

Polvilhar a mesa ou a bancada com farinha, retirar a massa do copo, polvilha-la também com farinha e calcar a massa de forma a ter mais ou menos 1 cm a 1,5 cm de altura. Corta-se com um corta bolachas, e coloca-se sobre um tabuleiro também ele enfarinhado. Juntam-se as aparas, cortam-se os restantes scones que vão ao forno quente cerca de 10 ou até estarem ligeiramente dourados.

 

Notas: se a massa estiver muito seca e não der para estender, adicionar uma colher de sopa de leite.

Se se apresentar demasiado líquida adicionar uma ou duas colheres de soap de farinha.

Servir os scones quentes com manteiga e compotas de fruta.

 

E para que também a vossa tarde possa ser perfeita deixo-vos um poema de um dos meus poetas favoritos:

 

Eugénio de Andrade

 

Post Scriptum

 

Agora regresso à tua claridade.

Reconheço o teu corpo, arquitectura

de terra ardente e lua inviolada,

flutuando sem limite na espessura

da noite cheirando a madrugada.

 

Acordaste na aurora, a boca rumorosa

dum desejo confuso de açucenas;

rosa aberta na brisa ou nas areias,

alta e branca, branca apenas,

e mar ao fundo, o mar das minhas veias.

 

Estás de pé na orla dos meus versos

ainda quente dos beijos que te dei;

tão jovem, e mais que jovem, sem mágoa

- como no tempo em que tinha medo

que tropeçasses numa gota de água.

 

In “Palavras Interditas” (1950-1951)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:57

A última das bolachas

por Moira, em 18.01.11

Apesar da vigilância apertada, não consegui salvar a última das bolachas que permanecia na lata ao canto da cozinha desde meados do mês passado. Tinha-lhe prometido alguma glória nestas páginas e a coitada, ao ver o passar dos dias, sem que nada acontecesse, resolveu procurá-la por sua conta e risco.

A última vez que foi vista descansava numa redoma de vidro sobre a mesa da cozinha, mas triste por se encontrar tão só, desapareceu sem deixar rasto.

Foi um ar que se lhe deu, nunca mais ninguém a viu, mas antes de partir, deixou uma mensagem em código que abaixo transcrevo sem demoras.

Se a encontrarem por aí, digam-lhe que volte, a lata das bolachas nunca mais foi a mesma sem ela por perto.

Espirais de Baunilha e Chocolate

Ingredientes:

Para a Massa Clara

  • 250 g de farinha de trigo
  • 30 g de amido de milho
  • 100 g de açúcar
  • 150 g de margarina cortada em cubinhos
  • 1 colher de café de extracto de baunilha
  • 1 colher de café de fermento em pó

Para a Massa Escura

  • 250 g de farinha de trigo
  • 30 g de cacau
  • 100 g de açúcar
  • 150 g de margarina cortada em cubinhos
  • 1 colher de café de extracto de baunilha
  • 1 colher de café de fermento em pó

Preparação:

Tradicional

Proceder de igual forma, para cada uma das massas.

Colocar os ingredientes secos numa taça, fazer um buraco no meio colocar lá a manteiga e o extracto de baunilha, trabalhar a massa com os dedos até obter uma massa homogénea e moldável.

Numa superfície enfarinhada, estender cada uma das massas com o rolo da massa em formato rectangular.

Colocar uma massa sobre a outra calcar ligeiramente, enrolar como se fosse uma torta, embrulhar em película e guardar no frigorifico por cerca de hora e meia para a massa endurecer.

Forrar um tabuleiro com papel vegetal, cortar rodelas de massa com cerca de 4 ou 5 mm e colocar no tabuleiro com dois dedos de espaço entre elas. Levar ao forno aquecido a 180º durante cerca de 8 a 10 minutos. Retirar do forno e deixar arrefecer em cima de uma rede antes de guardar.

 

Bimby / Thermomix

Começar pela massa clara, colocar todos os ingredientes no copo e programar 20 segundos, velocidade 6.

Retirar a massa e reservar.

Sem lavar o copo, colocar todos os ingredientes da massa escura e programar 20 segundos, velocidade 6.

Numa superfície enfarinhada, estender cada uma das massas com o rolo da massa em formato rectangular.

Colocar uma massa sobre a outra calcar ligeiramente, enrolar como se fosse uma torta, embrulhar em película e guardar no frigorifico por cerca de hora e meia para a massa endurecer.

Forrar um tabuleiro com papel vegetal, cortar rodelas de massa com cerca de 4 ou 5 mm e colocar no tabuleiro com dois dedos de espaço entre elas. Levar ao forno aquecido a 180º durante cerca de 8 a 10 minutos. Retirar do forno e deixar arrefecer em cima de uma rede antes de guardar.

 

Nota: Se trabalhar a massa à mão e não a conseguir ligar por estar muito areada, adicione uma colher de sopa de leite ou de água e trabalhe a massa de novo, vá acrescentando um pouquinho de cada vez até a massa ligar. Se colocar demasiado líquido ela vai colar-se às mãos e não conseguirão estendê-la com o rolo da massa. Com esta quantidade de massa não será necessário mais que uma colher e meia de sopa, talvez menos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:21


WOOK - www.wook.pt

Pág. 1/2



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day, October 16, 2017 World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D