Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Tertúlias da Mallory

por Moira, em 29.11.09

A minha última convidada, é estrangeira,  chama-se Mallory Elise,  tem um blog chamado The Salty Cod o que traduzido à letra quer dizer Bacalhau Salgado, vive no Estados Unidos, mas já viveu em Paris, viajou por Portugal e pelo Brasil, é uma apaixonada pela língua portuguesa, ainda a dar os primeiros passos, gosta de azulejos, adora fotografia e é uma óptima contadora de histórias a par de ser também uma óptima doceira.

É com muito gosto que lhe entrego a última tertúlia de aniversário deste ano, deixo-vos o texto original, e vou de férias, quando voltar trago-vos a tradução, até lá deliciem-se com as fotos.

Foto da Mallory, gentilmente cedida para este evento

Cranberries
American Cranberry Bread with White Chocolate and Ginger
 
In this region of the world (the big one below Canada and above Mexico) the holiday season begins mid November and carries through the New Year. Mid November begins the Thanksgiving preparation, that is preparing a turkey filled menu for 8, maybe 15, maybe even 30 people. Thanksgiving is our big holiday here in the States, other than the 4th of July (which really is not so special as most countries celebrate an Independence or national day) Thanksgiving is our “look at us we're special and unique” day. Turkey, bread stuffing, mashed potatoes, and – cranberries. More than any other flavor, cranberries are the taste of the season. It doesn't matter what they are in, on, or around, anything with cranberries in it means dark days of winter, large holiday meals, and in no time at all, Christmas Eve festivities.
 
When Moira asked if my recipe could be American (as I am the special Portuguese-reading “foreign” guest), I was a little unsure what to make. American? What is American food? I am American and I can't even answer that. I have come to the conclusion that American food is anything that tastes good. Italian, Mexican, and Chinese – these, to me at least, are American foods. But when thanksgiving rolled around, and the bowls of cranberries started piling up, I realized that cranberries were not only a symbol of the holiday season, but more specifically the symbol of the American and Canadian holiday seasons (I'm half Canadian, so represent yo). Now don't throw out small statistics about Chile and Eastern Europe producing a few barrel fulls of cranberries every year, cranberries are without a doubt indigenous to North America, and have yet to really draw a huge international following. Why? Probably because lingonberries taste (nearly) the exact same, and there are plenty harvested in the Baltic. Over 90% of the world's cranberries are produced in America and Canada, from the Pacific state of Washington, to the Atlantic powerhouse producer of Massachusetts. So, what could be more American to post about than the tart and tiny cranberry. Maybe you have been able to find cranberries in Europe, but I remember full well how difficult it was to find them when I lived in France, and where did I find them? An American import store of course, and at 10 euros a can!
 
If you have never had a cranberry before, know that they are impossible to eat fresh from the bog. They grow in water bogs, floating on the surface like sparkling rubies. They are inedible when raw, and are found primarily in sauces, juices, baked goods, or sweetened and dried. Cranberry sauce is the traditional dressing for a holiday turkey, but cranberry juice is usually enjoyed year round. For bakers, cranberries mean one thing – cranberry bread. Every American has had cranberry bread at one time or another during this season, it is quite standard. Laced with citrus such as orange or lemon, covered in chocolate, or sprinkled with spices, like any type of quick bread you can doctor it any way you like, as long as it has cranberries in it.
Foto da Mallory, gentilmente cedida para este evento
It is very easy for one to say that they love every season; I love the heat of summer, oh but I love the beauty of spring, but the colors of fall are so vibrant, and then there is winter – you can't love every season now can you. Maybe I don't love any single one, but rather like them all equally. This year I am a bit more sentimental in maintaining the images of my holidays, habits, and traditions. I am moving out of the country in a few months to start a different life, and I am not sure when I will have my American Northwest holiday again. But smells, sounds, and tastes make the best memories. Even a million miles away, I know I will still be able to taste the cranberries.
 
Fotos da Mallory, gentilmente cedidas para este evento
 
Cranberry Bread with White Chocolate and Ginger
Ingredients:
  • 300 gr flour
  • 1 orange, zested
  • ½ cup orange juice
  • 2 tsp baking powder
  • ½ tsp baking soda
  • ½ tsp salt
  • 2 eggs
  • 200 gr sugar
  • 4 tbsp melted butter
  • 200 gr chopped cranberries
  • 1 tbsp freshly grated ginger
  • 2 tsp cinnamon
  • 175 gr chopped white chocolate
Method:
Sift together the flour, baking soda, baking powder, salt, and cinnamon. Set aside. In a separate bowl, whisk together the eggs, sugar, butter, juice, zest, and ginger. Add to the flour mixture and combine. Stir in the cranberries and chocolate chips. Divide the batter into greased loaf pans, and bake at 190 degrees celcius for 50 – 60 minutes. Use a wooden skewer to check if the inside is still liquid. Let cool, and drizzle with any remaining white chocolate.

Fotos da Mallory, gentilmente cedidas para este evento

Mallory, muito obrigada por teres aceite o meu convite, adorei a tua sugestão, e como não tenho cranberries frescas farei com cranberries secas, que por aqui se conseguem arranjar nesta altura do ano.

 

A festa acabou, para o ano há mais, espero que tenham gostado tanto quanto eu deste desfile de receitas magnificas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:46

Tertúlias da Leonor Sousa Bastos

por Moira, em 27.11.09

O mês está a chegar ao fim e a festa Tertúliana também, a convidada de hoje, há muito que deixou de ser uma ilustre desconhecida para se tornar numa grande referência da doçaria na blogosfera portuguesa, apesar de não a conhecer pessoalmente não tenho dúvidas que é uma pessoa generosa, cheia de carisma e com uma enorme força interior que se evidencia em cada uma das suas criações.

Estou a falar, claro,  de Leonor Sousa Bastos e do seu extraordinário Flagrante Delícia.

A Leonor, tem tido uma enorme dificuldade em gerir o seu tempo, na calha está a preparação do seu livro, mas não quis deixar de celebrar o aniversário do Tertúlia trazendo flores e poesia.


"Foi para ti que criei as rosas."

Eugénio de Andrade

 

 

Foto da autoria de Miguel Coelho, gentilmente cedida para este evento.

 

Pétalas de Rosa Cristalizadas
Ingredientes:
  • 10 pétalas de rosa sem tratar
  • 1 clara de ovo pasteurizada
  • 50 g de açúcar
Preparação:
Lavar e secar as pétalas cuidadosamente.
Pincelar as pétalas com a clara de ovo.
Passar as pétalas com clara por açúcar cobrindo-as completamente.
Deixar secar num lugar sem humidade ou levar ao forno a 35ºC por algumas horas.
 
Obrigada Leonor, esta foi a rosa mais doce que alguma vez recebi e foi uma honra ter-te como convidada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:11

Continuamos à Descoberta de Espanha

por Moira, em 25.11.09

Desde há um tempo a esta parte que ando a descobrir os blogs de culinária da vizinha Espanha e tenho encontrado algumas preciosidades, como é o caso do blog Gastronomia y Cia que no seu cabeçalho tem a seguinte frase: "... No hay amor más sincero que el amor a la comida ..." e basta percorrer algumas das suas páginas para perceber esse amor, quer nas receitas e na apresentação dos pratos, quer nas fotografias gulosas que o nosso olhar namora.

Ontem deparei-me com esta receita  e mal cheguei a casa fui directa para a cozinha, não podia esperar mais tempo para a executar e pude constatar que é realmente deliciosa. Como a receita pedia molho de soja doce e eu só tinha do picante adicionei um pouco de vinho doce Pedro Ximénez que não fazia parte da receita mas que resultou na perfeição. Ao fazer as fotos percebi que me tinha esquecido da maçã seca para acompanhar, mas para a próxima vou inclui-la, não deixem de ler a receita original e percam-se numa visita demorada a este blog fantástico.

Ao prepará-la não pude deixar de pensar na Pipoka do Three fat Ladies, tenho a certeza que também fará as suas delícias.

Frango com Molho de Tangerina, Soja e Pedro Ximénez

Ingredientes:

  • 4 pernas de frango
  • sumo de 3 ou 4 tangerinas ou clementinas
  • 3 colheres de sopa de molho de soja (usei do japones que é ligeiramente picante)
  • 1 colher de sopa de vinho Pedro Ximenez (pode susbtituir por vinho do Porto)
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • 1 centímetro de gengibre fresco, descascado e cortado em rodelas bem finas
  • uma pitada de pimenta

Preparação:

Alourar o frango no azeite, adicionar o sumo de tangerina, o molho de soja e o vinho, adicionar a pimenta, de preferência moida no momento e deixar cozinhar em lume brando até cozer o frango e o molho ter um aspecto caramelizado. Se o molho começar a caramelizar antes de o frango estar caramelizado adicionar uma ou duas colheres de sopa de água.

Servi com puré de castanhas, que fiz cozendo as castanhas apenas em água e sal e esmagando-as com um garfo ou passando pelo passa-vite se fizer uma quantidade grande, incorporar umas colheres de sopa de leite e umas gotas de azeite.

E alho francês frito às tiras, que fica com uma textura de palha seca mas agradável. Se preferir pode acompanhar com o alho francês salteado num pouco de azeite.

Para beber, um vinho português, Terraços do Tejo tinto, que acompanhou muito bem a refeição.

 

Nota: Não adicionei sal ao frango porque o molho de soja é bastante salgado.

Esta receita pode também ser feita com peitos de frango, lombinhos de porco ou magret de pato.

Muitas são as diferenças entre a receita original e a minha, como disse acima usei soja picante em vez de soja doce, não usei sal fumado no puré de castanhas porque não tenho nem conheço, confesso que fiquei curiosa, e o gengibre devia ser ralado mas optei por o cortar às rodelas bem finas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:17

Das Astúrias para o meu Prato

por Moira, em 23.11.09

Não, ainda não foi o meu presente do AIG que chegou, mas se viesse das Astúrias não me importava nada, estas fabas comprei-as numa das minhas passagens por lá, e que boas que são. As fabas asturianas ou fabes são um tipo de feijão branco muito idêntico às nossas feijocas mas de sabor único e inigualável, são um produto exclusivo do Principado das Astúrias que se encontra protegido por denominação de origem, funciona mais ou menos como as regiões demarcadas para os vinhos. 

Um dos pratos mais típicos a usar as fabas é a Fabada Asturiana, um prato forte, típico das regiões montanhosas, parecido com a nossa feijoada mas em que as carnes são servidas à parte, tem um sabor intenso e reconfortante, próprio para os dias frios de inverno. Mas basta passar por esta página para encontrar dezenas de receitas com fabas, recomendo por exemplo as Fabas com Almejas que já comi por lá e são uma delícia, foi inspirada por essas receitas das Guisanderas de Astúrias que surgiu a ideia de fazer umas Fabas com Dobrada e Chouriço Picante espanhol que também tinha trazido de lá.

Fabas con Callos y Chorizo (Fabas com Dobrada e Chouriço)

Ingredientes:

  • 300 g de Fabas (pode substituir por feijocas ou por feijão branco apesar de não ter o mesmo sabor)
  • 200 g de Dobrada
  • 100 g de chouriço picante (utilizei chouriço regional espanhol, mas pode ser substituído pelo chouriço picante de Arganil)
  • 1 cebola pequena + 1 cebola pequena picada
  • 1 dente de alho picado
  • 1 folha de louro
  • 1 piri-piri
  • 1 fio de azeite
  • Sal q.b.

Preparação:

De véspera ponha as fabas de molho em bastante água fria. Para arranjar a dobrada, não é um bicho de sete cabeças, hoje em dia ela já vem limpa do talho, mas se tiver dúvidas, passe-a por água, esfregue com sal e limão, volte a passar por água e ponha a cozer também na véspera. Na panela de pressão a dobrada coze em cerca de 25 minutos.

Leve ao lume as fabes cobertas de água e uma cebola pequena, quando começar a ferver retire a cebola e deixe cozer as fabas até estarem macias, tal como se coze o feijão. Utilizei a panela de pressão, ao levantar fervura, retirei a cebola e fechei a panela de pressão e deixei cozer por cerca de 20 minutos. Entretanto faça um refogado com a outra cebola picada, o alho picado e a cenoura cortada aos cubinhos bem finos, juntamente com o chouriço cortado às rodelas, refresque com um copo de vinho branco. Adicione a dobrada cozida cortada aos pedaços pequenos, o piri-piri, uma folha de louro e adicione um pouco da água de cozer as fabas, rectifique o sal e deixe fervilhar em lume baixo até apurar.

Nota: Segundo as receitas de fabada asturiana este é o tipo de comida que sabe melhor no dia seguinte, por isso o meu conselho é que prepare com antecedência.

Para quem quiser experimentar esta receita com as verdadeiras fabas e não tenha a hipotese de viajar, crio que há à venda no El Corte Inglês.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:00

Rescaldo da Festa Tertúliana

por Moira, em 22.11.09

 

No dia 20 de Novembro a blogosfera reuniu-se para celebrar o 2º aniversário do Tertúlia de Sabores, por isso quero deixar aqui o meu agradecimento a todos, muitas foram as mensagens de carinho recebidas que me deixaram sensibilizada e por vezes até comovida.

A adesão à festa por parte da blogosfera foi muito boa e as escolhas mostram que houve meninas que tiveram tempo para fazer o trabalho de casa e foram passear até aos primeiros dias de existência do blog.

Hoje trago-vos as participações que consegui reunir, se faltar alguém por favor deixem-me um comentário para vos poder inserir na lista.

 

E que entrem os convidados!

 

Sopas e Entradas

Pratos de Arroz, de Peixe e de Carne

Pão

Bolos, Compotas e Sobremesas

Adorei as vossas participações, muito obrigado a todas. Mas como o mês ainda não chegou ao fim e a festa ainda não acabou, ainda faltam duas participações convidadas, o sorteio do presente só será feito no final do mês. Para as meninas que participaram com duas receitas o vosso nome só contará uma vez.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:55


WOOK - www.wook.pt

Pág. 1/5





Sobre


Perfil no SAPO
Subscrever por RSS
E-mail

Insira o seu endereço de e-mail:

Entregue por FeedBurner


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.



Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram


Follow Me on Pinterest



World Bread Day

World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D