Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um doce amanhecer

por Moira, em 19.06.09

A ameixieira da minha cunhada está no auge de "produção", parece que todas as flores se transformaram em pequenas ameixinhas, que começaram a cair ao chão com a mais leve brisa.

Este foi o prenúncio de que íamos ter muitas ameixinhas:

Outro dia comecei a apanhar as ameixas caídas, que tinham apenas uns leves arranhões e resolvi fazer uma compota.

Na altura não coloquei por aqui nada, achei que era apenas mais um doce, isto foi há uma semana atrás.

Hoje ao pequeno almoço, o marido perguntou-me já só há este doce?

Nós já comemos isto tudo?

É verdade, numa semana demos cabo de um frasco enorme de doce, o que prova que estava muito bom, é preciso mencionar que cá em casa somos apenas dois, e nem sequer somos gulosos.

Compota de Ameixa

Ingredientes:

  • 400 g de ameixas, descascadas e descaroçadas
  • 250 g de açúcar

Preparação:

Misturar a fruta com o açúcar e levar ao lume mexendo até dissolver todo o açúcar.

Deixar ferver em lume brando, mexendo de vez em quando e retirando a espuma que se forma à superfície, até ter a consistência certa.

Coloque num frasco escaldado e seco, tape e vire de "patas para o ar" para criar vácuo, mas não os deixe arrefecer assim. Claro que esta última parte eu não preciso de fazer pois só faço um frasco de doce e ele desaparece numa semana, mas é importante fazê-lo quando se fazem grandes quantidades de doce.

Para saber se o doce está na consistência certa ponha uma colher de doce num prato, deixe arrefecer e passe o dedo, se o doce enrugar e está no ponto certo.

Ameixinha, esta é para ti.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:02

Hoje abro uma excepção...

por Moira, em 17.06.09

Porque neste blog qualquer desafio só faz sentido se for para falar de comidinhas, hoje abro uma excepção e vou falar de memórias, aquelas que gostaria de reviver em "slow motion", mas como nas memórias há sempre algo saboroso envolvido deixo-vos aquela receita que andava à procura faz tanto tempo, a das Rosquilhas de Azeite da minha terra.

 

Rute desafiou-me para  descrever cinco momentos da minha vida que gostaria que passassem em "slow motion" e eu de repente percebi que tenho tantos momentos felizes que a dificuldade está em escolhe-los, mas então aqui vai:

  • A minha infância, porque toda a minha infância foi feliz, mas tenho que destacar dois momentos: a minha passagem pela ilha de S. Tomé, ilha que ainda hoje consigo recordar com saudade apesar de lá ter estado com apenas 7 ou 8 anos e a minha estadia em Angola com especial destaque para uma viagem que fiz por picadas (estradas de terra batida) pelo meio da selva desde o sul até à cidade de Malange onde passava férias com os primos do meu pai, descrever essa viagem aqui era impossível tantos são os pormenores que tenho na minha memória, mas numa palavra só, posso dizer que foi inesquecível. 
  • O dia do meu casamento, porque foi diferente de todos os casamentos que conheço, só tenho pena que não me "tivessem deixado" casar de Jeans, acho que tive que fazer algumas cedências. 
  • A minha estadia na Alemanha, onde passei dois meses a estudar Alemão no Göethe Institute de Kontanz, com colegas do mundo inteiro, foi uma experiência muito agradável e uma aprendizagem de vida. No final acho que saí de lá a falar melhor Castelhano do que Alemão, mas em compensação conheci toda a zona dos Alpes, um dos mais belos locais para quem gosta de estar em contacto com a natureza.
  • A minha viagem a Itália em que passei um mês inteiro a percorrer várias cidades, vilas e aldeias, com um percurso pouco usual feito pelo meu amigo italiano que vive perto de Milão. Em Florença, quando visitei a pequena igreja que fica junto à casa onde viveu Dante, o mesmo que escreveu "A Divina Comédia", o espaço em questão era de uma simplicidade pouco vista nos monumentos italianos, e lá dentro senti uma paz de espirito que nunca tinha experimentado, e perto de Piacenza uma festa de aldeia, com comidinha caseira feita pelas "mamas" e um grupo coral que cantou cantigas do tempo da resistência, eu e o meu marido eramos os únicos estrangeiros por lá e fomos tratados como príncipes, inesquecível!
  • Por fim os jantares com os meus amigos, eles sabem quem são. Estes jantares são sempre muito especiais começando com a programação das ementas, passando pela confecção das refeições, muitas vezes feitas em conjunto, finalizando com momentos muito saudáveis de convívio e cumplicidade que só se têm com amizades tão antigas como as nossas.

Para acompanhar este desafio uma receita dos meus sabores de infância que encontrei por acaso este mês na revista do Clube de Consumidores da Lusitana e que foi enviada pela Dª. Licínia Monteiro Nobre, a ela também o meu agradecimento.

Rosquilhas de Azeite

Ingredientes:

  • 250 g de farinha de trigo fina (self-raising) - Usei farinha normal sem fermento
  • 40 ml de azeite (usei azeite aromatizado com louro e oregãos)
  • meia colher de café de sal
  • Água morna q.b (usei 100 ml)

Preparação:

Numa tigela deite a farinha e faça uma cova no meio, deite lá o azeite e o sal e amasse deitando àgua aos poucos até envolver toda a farinha e ter uma massa dura para poder moldar as rosquilhas, conforme fotos abaixo. Vão ao forno aquecido a 180º durante cerca de 15 minutos ou até apresentarem uma cor ligeiramente dourada.

Rende 16 pequenas rosquilhas que ficam estaladiças como os gressinos.

Espero ter satisfeito a curiosidade da Rute e dos outros leitores, quanto à passagem deste desafio, eu sempre fui muito rebelde e não gosto de seguir normas, mas ficaria feliz se alguma blogueira das que passam por aqui e que ainda não foram desafiadas por ninguém, tivessem a coragem de pegar neste desafio.

Se isso acontecer digam-me qualquer coisa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:46

Na natureza, nada se cria, nada se perde...

por Moira, em 15.06.09

Sem muitas palavras porque a minha inspiração anda em baixa, mas fazendo jus às palavras de Lavoisier, segundo as quais "na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma", aqui pela minha cozinha estamos mais ou menos na mesma, criações novas "népia", deitar comida fora, nem pensar, mas transformei um resto de frango guisado com bacon e cogumelos, que não mereceu relato, nem fotos, num arroz de frango no forno que satisfez o nosso apetite no jantar de ontem á noite.

Arroz de Frango no Forno

Ingredientes:

  • Sobras de frango guisado ou estufado
  • 1 lata pequena de cogumelos
  • 1 cebola pequena
  • 1 dente de alho
  • 1 chávena de arroz

Preparação:

Faz-se um refogado com cebola e alho picado, acrescentam-se os cogumelos picadinhos, um pouco do molho do frango e água suficiente para fazer o arroz. Geralmente para uma chávena de arroz, utilizam-se duas chávenas de água.

Enquanto o arroz coze desfia-se o frango, retirando peles e ossos.

Depois do arroz feito, coloca-se metade num prato de ir ao forno, por cima coloca-se o frango desfiado e a outra metade do arroz, pode-se colocar umas tirinhas de bacon ou chouriço por cima e vai ao forno quente por uns dez minutos.

 

Esta é uma boa forma de aproveitar sobras de frango, num prato que costuma ser do agrado de todos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:17

O Popeye gosta de espinafres e eu também !

por Moira, em 11.06.09

Estou de regresso do planalto transmontano onde passei uns dias, com muitos passeios pelas arribas do Douro a apanhar cerejas, fui a uma festa tradicional, apanhei alguma chuva à mistura, mas isso são histórias para aparecer pelo outro blog.

Aqui tenho-vos a contar que me enchi de coragem, peguei na receita de massa de choux que a Leonor  tem no Flagrante Delícia e lancei-me à aventura, o resultado acho que não podia ser melhor, mas as fotos falam por si.

Sinto que ultrapassei uma grande etapa, e agradeço a Leonor a força que me deu para eu conseguir superar os meus medos. Afinal esta massa não é nenhum bicho de sete cabeças.

Como não tenho saco de pasteleiro coloquei a massa nos tabuleiros com a ajuda de duas colheres de chá, e depois foi um passo de mágica vê-los crescer e insuflar como se estivessem a ser soprados, no meio disto tudo esqueci-me de contar o tempo que estiveram no forno, mas creio que foi pouco.  

A massa que fiz hoje rendeu 40 pequenos profiteroles. Metade foram recheados com o recheio doce do costume e a outra metade foi recheada com uma mistura de espinafres, requeijão e nozes, que aqui vos deixo depois de vários pedidos que me fizeram.

Massa de Choux (receita retirada do Flagrante Delícia)

Ingredientes:

  • 130 ml de água
  • 130 ml de leite gordo
  • 1 colher de café de açúcar
  • 1 colher de café de sal refinado
  • 110 g de manteiga
  • 140 g de farinha de trigo
  • 5 ovos (utilizei ovos pequenos, cada um pesava cerca de 58 g com casca)

Preparação:

Levar um tacho ao lume com a água, o leite, o sal, o açúcar e a manteiga, mexendo de quando em vez até ferver.
Quando o líquido ferver, deitar a farinha de um só golpe e mexer com a colher de pau durante 2 a 3 minutos até que a mistura seque e se despegue das paredes do tacho formando uma bola.
Deixar arrefecer  a massa numa taça. Quando estiver quase fria adicionar-lhe um ovo mexendo muito bem até estar completamente incorporado na massa, adicionar então o segundo ovo, procedendo da mesma forma até ao último ovo.

Forrar um tabuleiro com papel vegetal próprio para ir ao forno e colocar pequenas porções de massa com a ajuda de uma colher de chá ou com o saco de pasteleiro. Não esquecer de deixar cerca de três dedos de distância entre cada bolinha porque elas vão crescer mais do dobro do volume inicial.

Levar ao forno aquecido a 190º, 5 minutos com a porta fechada e 18 a 20 minutos com a porta do forno entre-aberta. Como o meu forno é "supersónico" creio que devem ter estado ao todo uns 15 minutos. Mas como vos disse no início fiquei a vê-los crescer dentro do forno e esqueci-me de contar o tempo.

Recheio de Espinafres com Requeijão e Nozes

Ingredientes:

  • 200 g de espinafres cozidos e picados
  • 1/2 requeijão (usei de vaca, já experimentamos com o de cabra e fica um sabor muito forte)
  • 1 dente de alho picado
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 mão cheia de miolo de noz picado grosseiramente

Preparação:

Numa frigideira colocar o azeite e o alho picado e aquecer  sem deixar alourar o alho. Adicionar os espinafres picados, o requeijão esfarelado, temperar com pimenta moída no momento, mexer para misturar tudo e adicionar as nozes dando mais uma mexidela.

Rechear os profiteroles e servir quente.

Experimentamos regá-los com um fio de mel líquido e gostamos do contraste de sabores.

Nota: Este recheio também dá para rechear crepes salgados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:34

Um Doce Agradecimento entregue no Sapo

por Moira, em 05.06.09

Esta foi uma decisão tomada há muito tempo mas que só hoje foi possível concretizar. Ao pessoal do Sapo Blogs peço desculpa pela demora, tinha dito ao Pedro que haveria de mandar um doce, e o dito tardava em chegar, aos meus leitores habituais peço desculpa por trazer aqui mais do mesmo.

Como vou estar uma semana fora, impus a mim própria um prazo, e esse prazo era hoje, meti mãos ao trabalho e transformei a minha cozinha numa verdadeira linha de montagem, até o computador foi lá parar, e acreditem que dá um jeitão para ler as receitas, recheei uns profiteroles com creme de pasteleiro e "lambuzei-os" de chocolate para oferecer ao pessoal do Sapo, nomeadamente ao Pedro Neves, responsável pela nova imagem do Tertúlia de Sabores, que foi muito bem recebida pela blogosfera, pela família e pelo amigos.

Deixo-vos as fotos e a pedido de várias famílias a receita está aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22


WOOK - www.wook.pt



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day, October 16, 2017 World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D