Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Uma Doçura de Páscoa

por Moira, em 25.04.11

Os meus últimos dias foram passados no nordeste transmontano, desta vez tive o privilégio de poder ajudar na elaboração de um dos doces mais emblemáticos da semana santa, a Bola Doce transmontana.

Éramos cinco na cozinha, a ocasião assim o exigia, numa tarde fizemos pão, folares, bolas e outros tantos doces.

Não sei quantos quilos de farinha gastámos, mas consegui contabilizar 228 ovos, o forno a lenha não teve descanso e fornada após fornada os aromas iam tomando conta da cozinha, primeiro os folares, de que falarei noutro dia, depois o pão, a seguir foram as bolas doces, depois uns bolinhos secos e eu finalizei o dia com um pão de ló.

Dª Preciosa fez-nos companhia, atenta a todo o reboliço, falou-me do seu tempo, das suas memórias e da sua arte com um brilhozinho nos olhos, foi padeira toda a vida, agora com 92 anos, as suas mãos estão cansadas, tenho a certeza que se pudesse voltava a pôr as mãos na massa, mas agora já não tem força nos braços. Fico comovida e guardo parte das suas memórias, que só agora se cruzaram com as minhas e sinto-me mais rica.

Bola Doce Transmontana

Ingredientes:

Para a massa

  • 6 ovos
  • 1 copo de óleo
  • 250 g de margarina
  • 50 g de fermento de padeiro ou 1 saqueta de fermipan (11 g)
  • 1 chávena de água morna
  • Farinha que baste para tender (+/- 1Kg)

Para o recheio

  • 2 chávenas de açúcar amarelo
  • 1 pacote de canela
  • 1 chávena de licor de figo ou vinho do porto

Preparação:

Dissolve-se o fermento em água morna com um pouco de farinha, misturam-se os restantes ingredientes até obter uma massa elástica, que se deixa levedar até dobrar o volume.

Misturar o açúcar com a canela e reservar.

Quando a massa tiver duplicado de volume, estende-se bem fina com um rolo da massa e forra-se um tabuleiro muito bem untado e enfarinhado, polvilha-se o fundo do tabuleiro com açúcar e canela e borrifa-se abundantemente com o licor. Estende-se mais um pouco de massa, desta vez apenas o suficiente para tapar o fundo do tabuleiro e colooca-se sobre o açúcar da camada anterior. Volta-se a polvilhar com açúcar e canela e a borrifar com o licor. Vai-se esticando mais massa e vai-se sobrepondo em camadas intercaladas sempre por açúcar e canela e borrifadas por licor até chegar ao cimo do tabuleiro. a última camada de massa não se polvilha, voltam-se por cima dela os excedentes da primeira massa que forrou o tabuleiro e pica-se com um garfo, mas tendo o cuidado de nunca picar a parte de baixo da massa para não se escoar por lá o licor.

Deixa-se descansar nos tabuleiros até a massa crescer de novo e vai ao forno quente a cozer. Assim que estiver cozida desenforma-se.

Notas: É importante estender a massa bem fina pois ao levedar ela cresce bastante. A explicação pode parecer confusa, mas abaixo fica o passo a passo para perceberem como se processa e apesar do trabalho, garanto-vos que é uma delícia.

Para quem não goste de canela, há quem, apesar de fugir à tradição, a polvilhe com açúcar e cacau em pó.

O resultado final é um pão doce, formado por camadas separadas por açúcar e canela que se dissolve com o licor e derrete do forno por acção do calor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:44


WOOK - www.wook.pt


50 comentários

De Emília Oliveira a 05.04.2015 às 10:45

Bom dia.
Está no forno. O cheiro é uma tentação!
Muito obrigada pela partilha.
Boa Páscoa para si e para a sua Família.
Emília Oliveira

De Susana Gomes a 30.03.2013 às 21:26

Que delícia! Ao ler o teu texto lembrei-me dos folares transmontanos que fazia na aldeia dos meus tios quando lá passava a Páscoa em miúda. Tantos ovos! :)
Bj grande uma Páscoa Feliz.

De moranguita a 24.05.2011 às 23:14

Moira desculpa a minha falta de visistas. mas nao tem dado tempo com muita pena minha,
este folar esta deveras delicioso.
esta ebm bonito
parabens
beijinhos

De Moira a 25.05.2011 às 14:57

Moranguita,
ès sempre bem vinda, mesmo que apareças só de vez em quando.
Este é um pão doce muito típico na região, acho que deves gostar.
Beijinhos

De Tathiana a 12.05.2011 às 19:04

Olá, boa tarde!!!

Sou brasileira, com descendência portuguesa e sonho conhecer o país dos meus antepassados.
Amo seu blog e sempre o acompanho.

Tenho uma dúvida nessa receita, precisaria substituir o licor de figo ou vinho do porto por uma bebida não alcóolica, é possível?

Obrigada,
Bjs
Tathi

De Moira a 12.05.2011 às 22:55

Olá Tathiana,
Eu nunca ouvi falar que fosse possível substituir o licor por uma bebida não alcoólica, mas você pode tentar substituir suco de laranja ou chá, mas não sei se vai dar certo, só mesmo experimentando. Mas posso dizer que no final não se nota nada que tem bebida.
Outra sugestão é ferver o licor ou o vinho do porto ou outro vinho doce para evaporar o álcool.
Se experimentar alguma destas soluções depois me diga para eu colocar aqui uma nota para outras pessoas que possam estar interessadas.
Bjs

De Tathiana a 20.05.2011 às 16:05

Oi Moira,

No fim decidi fazer o pão com suco de uva integral com um pouquinho de açúcar e acho que deu certo, ficou muito gostoso!!
Talvez para o paladar brasileiro, um pouco sem açúcar, o que resolvi polvilhando um pouco depois de fatiado.
Ficou lindo e delicioso! Ouvi muitos elogios em uma deliciosa tarde em família.

Obrigada,
Tathiana

De Moira a 20.05.2011 às 20:13

Obrigada pelo feed-back.
Para a próxima tem que polvilhar com mais açúcar entre cada camada. Fico feliz que tenham gostado.

De Inmaculada a 07.05.2011 às 06:29

Muchas, muchas gracias por esta maravilla de receta y por compartir también la historia detrás de ella.
Aunque debido a problemas de salud no suelo hacer bollos dulces (tengo problemas con el azúcar), creo que voy a preparar este bollo en cuanto tenga oportunidad. Seguro que a mi familia va a encantarle.
Gracias también por enseñarnos un poco más de esa fantástica cocina portuguesa que a mi me atrae muchísimo debido a que donde yo nací (Badajoz) y vive toda mi familia, la cocina de Portugal está siempre presente también en la cocina extremeña.
Cuando visito a mi familia siempre intento ir a Portugal (está solamente a 7 Km. de distancia), a un pequeño pueblo que se llama Elvas, donde compro muchos productos portugueses y comemos los maravillosos arroces que preparan. También me gusta muchísimo la cocina Alentejana (las migas son mis favoritas).
Aunque yo crecí en Madrid y ahora vivo en la preciosa isla de Mallorca, nunca olvidaré la cocina de mi tierra y de su vecina Portugal.
Un abrazo.

De Moira a 07.05.2011 às 19:13

Hola Adi,
Para quien tiene problemas con los azucares esto no es nada recomendable, mismo que lo hicieras con fructosa seria una "bomba" :)
Ya estuve en Mallorca por dos veces pero como estaba en un hotel no se como es la comida tradicional mallorquina.
Si un día volver a Mallorca te visitaré :)
En Portugal y en España me encanta la comida que se hace en los pequeños pueblos, aún que conozca mas el norte.
La comida Alentejana es buenísima, a mi me también me gustan mucho la migas.
Un abrazo

De Manuel Luzia a 04.05.2011 às 08:52

Bom dia!

bem, essa bola doce deve ser uma maravilha, fiquei animado para um destes dias experimentar. Parabéns pela reportagem.

Cumprimentos

De Moira a 07.05.2011 às 19:03

Obrigado Manuel!
Se chegar a fazê-la queremos saber a opinião.

De belinha a 30.04.2011 às 01:01

Moira

Antes de mais vou felicita-la pelo seu blog, que sigo desde há mt tempo. Apesar de ser uma seguidora assídua é a primeira vez que estou a deixar um comment. Não consegui resistir.... Sou transmontana, nascida e criada em Macedo, apesar de estar a estudar em Lisboa, o meu coração está entre a Terra Fria e a Terra Quente e não posso deixar de ficar feliz quando alguém dá valor ao que melhor se faz em Portugal :)

Os meus parabéns, e espero que o folar tenho estado tão bom quanto o nosso lá em casa! :)

De Moira a 30.04.2011 às 11:18

Olá Belinha,
Eu não sou transmontana mas tenho um afilhado em Sendim e já para lá vou há quase 30 anos, adoro as terras, os costumes e as gentes, é tão distinto do resto do país.
O folhado estava óptimo :)

De Ameixinha a 28.04.2011 às 22:17

Cum caraças, as galinhas devem ter ficado com o rabiosque a arder he he Este faz-me lembrar um bocadinho o folar de olhão :) Deve ser uma delícia!

De Moira a 28.04.2011 às 22:26

Ameixinha,
Já tinha comentado com alguém que também o achava parecido com o folar de olhão, cheira-me que deve ser alguma herança árabe ;)
Quanto às galinhas, eu verifiquei in loco que eram galinhas felizes, esgravatam na terra e tinham uma alimentação biológica e saudável, mas agora que falas nisso, no sábado e no domingo de Páscoa não puseram nem um ovinho, desconfio que estavam de greve hehehehe

De Babette a 28.04.2011 às 21:42

Que privilégio, esse de poder participar numa azáfama como essa. As tradições que se mantêm exigem essa continuidade de transmissão. Gerações que ouvem e vêem outras gerações. Que lindas mãos, aquelas que aos 92 anos vos acompanharam....
Babette

De Moira a 28.04.2011 às 22:27

É verdade Babette, senti-me uma privilegiada e nada melhor que aprender com quem sabe :)

De pakus lazy blog a 28.04.2011 às 14:54

Moira que post tan bonito, qué primera foto tan entrañable y que bueno parece ese postre formado por capas, que me recuerdan un poco a las torres de crêpes o frisuelos asturianos.

un abrazo graaaaande.

De Moira a 28.04.2011 às 15:09

Hola Paco,
Si en España las torrijas marcan la semana santa, en Sendim, un pueblo en las arribes del Duero y vecino de la provincia de Zamora, este pan es tradicional por la Pascua. No sé si tiene influencias asturianas, por alla tenemos muchas influencias leonesas, en la comida y incluso en la lengua mirandesa.
Besos

Comentar post


Pág. 1/3



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D