Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Projecto Reciclar

por Moira, em 09.12.10

 

O desafio do Delícias e Talentos que está a decorrer até ao dia 11 de Dezembro propõe-nos Reciclar na Cozinha, nome bonito para aquilo a que habitualmente chamo aproveitamento de sobras e a que tenho uma Tag dedicada no blog.

Conheço muito boa gente, alguma até menos abonada que não gosta de comer o que quase sempre resta de uma ou outra refeição, boquinhas finas como diria a minha avó, mas se essas sobras forem reaproveitadas em pratos completamente distintos do original, provavelmente comem e nem dão por isso.

Cá por casa já é usual reaproveitar-se tudo, e só mesmo por um descuido inaceitável alguma coisa irá parar ao lixo, mas nem sempre foi assim, como se costuma dizer, a vida ensina-nos muita coisa e eu aprendi, não propriamente à minha custa, mas por vicissitudes do destino,  a fazer esticar o que havia na carteira.

A crise por que passamos neste momento não é novidade para muitas famílias, ou pelo menos não é para a minha, tempos houve em que uma sopa alegrava o jantar, ou uma jardineira podia dar para muitos acrescentando mais batata, cenoura ou ervilhas.

Andando ainda mais para trás no tempo, a minha avó falava muitas vezes que uma sardinha dava para dois ou para três. Claro que não é isso que se pretende, e para aqueles que me lêem, que neste momento têm acesso à net, considerem-se uns priveligiados, muitos há que dormem na rua, vivem da caridade dos amigos e vizinhos, passam frio e fome, e acreditem que não são esses que têm acesso ao rendimento mínimo, mas como este não é o blog correcto para fazer crítica social voltemos ao assunto da reciclagem na cozinha.

Reciclar é reaproveitar, é usar um ou mais elementos, transformando-os e apresentando-os como novos. Difícil? Claro que não, na cozinha é muito fácil reciclar, por exemplo:

  • Se sobrarem legumes cozidos eles podem ser de novo servidos, salteados em azeite e alho, em puré, num soufflé, em pequenas empadas, numa quiche, num "cake" salgado, ou na sua forma mais básica triturados numa sopa.
  • Se falarmos de carne ou de peixe é exactamente a mesma coisa, podemos fazer rissóis, croquetes, empadas, quiches, empadões, sandwiches e estou a lembrar-me de um dos mais emblemáticos pratos de época natalícia em casa da minha mãe e também da minha sogra, a Roupa Velha, que é confeccionado com as sobras de bacalhau, couves e batatas que sobram do jantar da Noite de Consoada.
  • Se as sobras forem de pão, podemos fazer pão ralado, migas, açordas, pudins, bolos, quem não se lembra do famoso pudim de pão ou do bolo de pão ralado, e até dos falsos ovos moles feitos com sobras de miolo de pão.
  • Com a fruta que amadureceu de repente, podemos fazer compotas, gelados, batidos e molhos.

Como vêem é muito fácil reciclar na cozinha, mas para quem tem em casa "boquinhas finas" quando lhe perguntarem o que é o jantar? Nunca, mas nunca respondam que é o resto do almoço, ou o resto do jantar do dia anterior, transformem primeiro e apresentem algo novo.

Mas a importância da reciclagem, não pode ser vista como uma obrigação em tempos de crise, ela tem que ser encarada como um gesto natural do dia a dia, de todos os dias, uma forma de estar na vida. Sei que para muitos será difícil pois já nasceram numa sociedade cada vez mais consumista e têm hábitos há muito enraízados e difíceis de ultrapassar, por isso o meu conselho é que vejam isto como uma escolha, uma opção  saudável e vão ver que para além de pouparem uns tostões ao fim do mês vão sentir-se muito melhor como pessoas.

 

A receita de hoje é feita com sobras de Cozido à Portuguesa, comida que raramente faço em casa, isto porque para ser bem feito dá algum trabalho e também porque tenho um restaurante a 100m de casa que o faz na perfeição. Acontece que as doses deles são grandes, pelo menos para mim e sobra sempre imenso Cozido que em vez de ir para o lixo eu peço para levar para casa. Vergonha? Não tenho nenhuma e digo-vos que eles estão mais que habituados pois eu não sou a única a fazê-lo. É assim, que há uns fins de semana atrás eu vim para casa com os meus restos de Cozido, e como para mim Cozido requentado não tem muita graça acabo sempre a fazer algo diferente com ele, desta vez foi um arroz de forno que preencheu a nossa barriga e serviu para estrear o mini alguidar de barro que a Mª José tão simpaticamente me ofereceu, passemos então à receita.

Arroz de Forno com sobras de Cozido à Portuguesa

Ingredientes:

  • Restos de cozido: carne de vaca, galinha, couves, cenoura e chouriço.
  • 1 chávena de arroz
  • 1 cebola picada
  • 1 dente de alho picado
  • 2 chávenas e meia de caldo do cozido
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • sal q.b.

Preparação:

Leve um tacho com o azeite ao lume e refogue a cebola e o alho picados só até a cebola ficar translúcida, deite-lhe as cenouras aos cubinhos e as carnes desfiadas, acrescente o arroz e o caldo e deixe cozinhar em lume brando. A meio da cozedura acrescente as couves picadas, mexa e rectifique o sal.

Assim que o arroz estiver cozido transfira para um recipiente que possa ir ao forno, decore com toucinho fatiado ou com chouriço e leve ao forno só o tempo suficiente para secar o arroz e dourar o chouriço.

 

Sugestão: Acompanhe com um bom vinho tinto, afinal isto são sobras, mas das boas, se é que me entendem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:03


WOOK - www.wook.pt


46 comentários

De Carla a 09.12.2010 às 12:13

Moira,
Lá em casa também só por descuido é que vai a comida para o lixo e se há coisa que me doí nesses momentos é pensar nas pessoas que simplesmente não têm que comer. Penso que evitar o desperdício é também uma forma de responsabilidade social, para não falar na poupança doméstica. Quando deitamos comida fora estamos a desperdiçar duas vezes: a comida e o dinheiro que gastamos nela. Se há 101 maneiras de cozinhar quase todo o ingrediente, então há 1001 maneiras de aproveitar as sobras e que refeições nascem dessas reciclagens...vejam só esse arroz fantástico!
Parabéns por tão saborosa reciclagem.
Beijinhos

De Moira a 09.12.2010 às 15:36

Tens razão! E às vezes as reciclagens ainda saiem melhores que o prato original.
Bjs

De moranguita a 09.12.2010 às 12:06

Por acaso ja ha algum tempo que nao fazemos al em casa
e e tao bom
bela mabneira de aproveitar as sobras
afinal pagaste tudo nao foi?;.)
beijinhos

De Moira a 09.12.2010 às 15:36

É verdade, se pagamos porque não levar os restos para casa?
Bjs

De Sandra G a 09.12.2010 às 12:02

Eu também me lembro das minhas avós falaram de terem que dividir uma sardinha.Mas depois disso veio a época da abundância
e algumas das pessoas esqueceram que é necessário não deitar fora o que sobra.Sempre fui habituada a nunca deitar fora principalmente comida.Faz-me imensa confusão.

Bem ao ver esse teu arroz feito com sobras de cozido, deu-me a vontade de comer cozido, já há tanto tempo que não como!!!
Bem este fim de semana não escapa!!! Mas vou fazê-lo na maquineta!! :)

Bjs

De Moira a 09.12.2010 às 15:38

Não me imagino a fazer cozido na maquineta ;) mas ontem fiz o bolo rainha da Helena e ficou perfeito. A minha maquineta tem um mestrado em padaria hehehehe
Bjs

De risonha a 09.12.2010 às 11:18

ora aí está uma bela maneira de aproveitar o cozido à portuguesa.
eu na minha casa aproveito-o sempre em sopa, faço a chamada "massa do caldo da couve" ou "sopa do cozido" que já postei em tempos.
eu acho abominável que certas pessoas joguem comida para o lixo.

De Rute a 09.12.2010 às 14:30

Risonha, por acaso também me tenho lembrado da sopa de cozido que muita gente faz para aproveitar os legumes e as sobras de enchidos/carnes.
Desculpem lá meter a colherada :)) Apeteceu-me "tertúlia".

De Moira a 09.12.2010 às 15:27

Zézinha,
Curiosamente eu não aprecio sopa do cozido, mas assim no arroz pareceu-me perfeito. Deitar comida fora é que nunca .

De Rute a 09.12.2010 às 09:45

Texto extraordinário Moira! Embora seja extenso não consegui parar de ler, apesar do tempo ser pouco a esta hora da manhã.

A mensagem de consciêncialização, transmitida por ti, é importantissima, pois é baseada no testemunho de quem passou por tempos bem mais difíceis.

Também já ouvi da minha sogra que na infância dela na Serra da Estrela, a mãe que vendia peixe dáva uma sardinha para 3 filhos com batatas cozidas. De acordo com isto pode-se dizer que era batata com aroma a sardinha. Hoje vê-se precisamente o contrário, pessoas que comem 1 dúzia de sardinhas, sem tocarem nas batatas porque engordam! A gordurinha da sardinha não engorda.

Bem, mas para terminar parabenizo-te pelo belo aspecto do arroz de cozido assado e subscrevo o que dizes: "Nunca, mas nunca respondam que é o resto doutra refeição(...)". O impacto psicologico é completamente diferente, sem dúvida.

Beijinhos e muito obrigada pela tua exemplar participação.
Rute

De Moira a 09.12.2010 às 13:06

Só depois de ler o teu comentário percebi quão longo era o texto, acho que me entusiasmei hehehehehe.
Obrigada pelas tuas palavras!
É impressão minha ou o pessoal não está a aderir como de costume ? Fosse um desafio de bolos e a conversa seria outra :/
Beijinho

De Rute a 09.12.2010 às 19:55

O pessoal deve-se estar a guardar para último. É costume do Português e eu, geralmente, também não fujo à regra. Ando sempre fora de tempo.
Mas também há muitos blogs paraditos. Fartei-me de divulgar, vamos ver no que vai dar.
E pronto, deixo-te com o cozido :) Beijos finais.

De anasbageri a 11.12.2010 às 09:22

Moira,
Adorei ler este post sobre aproveitamentos. A minha avó também nos fala ainda da sardinha para várias pessoas, e da alegria que tinha quando podia comer um ovo estrelado sozinha.
Aqui em casa nada se deita fora! Se sobra comida congelamos em caixinhas prontas para um refeição.
Preparo a fruta madura em cubinhos e congelo, é excelente para smoothies.
Penso que talvez mais importante do que aproveitar o que temos em casa, é que haja uma certa disciplina na altura das compras. Compramos demais, gostamos da ideia de fartura, de ver os frigoríficos e as fruteiras cheias! Vi no outro dia um programa sobre "Freegans" e fiquei chocada com a quantidade de comida, que diariamente é deitada fora.
Não desperdiçar para mim é uma questão moral, a arrogância de quem compra 20 quando precisa de 5, e os que precisando de 2, nada têm.
Tenho pena de não ter participado no Projecto Reciclar, fica para a próxima.

Bom fim-de-semana e desculpem o tamanho do comentário.

Ana

Comentar post


Pág. 3/3



Fotos no Flickr




Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Tradutor



Também estamos aqui

Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram

Instagram


Pinterest

Pinterest


Networked Blogs


Eventos na Blogosfera

World Bread Day

World Bread Day, October 16, 2017 World Bread Day 2016 (October 16) World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D