Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


É da lota. É de confiança.

por Moira, em 06.02.16

A Junta de Freguesia de Arroios, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e a Doca Pesca, realizou, hoje, uma aula de culinária, no Mercado 31 de Janeiro

O intuito deste evento é levar pessoas ao mercado, bem como promover o consumo de cavala e carapau portugueses, provenientes da nossa costa. 

A aula esteve a cargo da Chef Maria João Fernandes e de alguns alunos da Escola de Hotelaria e Turismo de Lisboa.

Quando recebi o convite, não pensei duas vezes, inscrevi-me logo e fiquei a imaginar se seria desta que eu iria aprender a filetar peixe. Eles leram-me os pensamentos e fizeram-me a vontade. Estejam atentos à página do facebook do Mercado (link acima), parece que vão haver mais aulas destas num futuro próximo e não é preciso ser bloguer para se increver, estes eventos estão abertos à comunidade.

A aula foi muito agradável, e a Chef Maria João Fernandes, para além de ser muito boa a ensinar, esteve sempre atenta para nos ajudar a realizar a tarefa e ao mesmo tempo disponível para responder a todas as questões colocadas.

Cavala - IMG_9613

Filetes de Cavala com Couscous e Legumes Salteados

Ingredientes:

  • 2 cavalas
  • 2 cenouras aos cubinhos, préviamente cozidas
  • 1 courgete
  • 1 raminho de bróculos, (cortar raminhos pequenos e passá-los por água a ferver)
  • 2 dentes de alho
  • Umas folhinhas de tomilho
  • sal e pimenta q.b.
  • azeite q.b.
  • 125 g de couscous
  • sumo de meio limão

Preparação:

Começe por cortar o peixe em filetes (se não sabe ou não se sente à vontade para o fazer, peça à peixeira para os cortar.) Tempere-os com sal, pimenta, 1 dente de alho picado e sumo de meio limão.

Entretanto prepare os legumes, coloque um pouco de azeite na frigideira, deixe aquecer um pouco e adicione o alho picado, a cenoura, a courgete e deixe cozinhar, quando a courgete estiver macia, adicione os bróculos e o tomilho, rectifique o sal e deixe cozinhar até os legumes estarem ao seu gosto. (Eu gosto deles al dente).

Para preparar o couscous coloque-o num tacho com uma pitada de sal  e adicione igual volume de água a ferver, tape e deixe repousar por 5 minutos.

No final desse tempo, mexa com um garfo para soltar os grãos e junte aos legumes salteados.

Numa frigideira antiaderente, coloque duas colheres de sopa de azeite e deixe aquecer. Quando estiver quente coloque um filete de cada vez com a pele virada para baixo, fazendo uma ligeira pressão com a mão para que não se enrole. Deixe cozinhar apenas alguns minutos e vire o peixe para cozinhar do outro lado.

Coloque o couscous num prato, ponha por cima os filetes, regue com uma emulsão de azeite e sumo de limão e sirva de imediato.

Nota: A emulsão prepara-se, misturando muito bem 3 partes de azeite para uma parte de sumo de limão.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:44

Feliz Natal !

por Moira, em 23.12.15

Já está tudo a postos mas ainda lhe falta um docinho para acompanhar o café no dia de Natal?

Então este é o docinho ideal, é rápido e tão fácil de fazer que não vai atrapalhar a habitual azáfama natalícia.

Deixo-vos com a receita a cantarolar o Let it snow, Let it snow, Let it snow

Brrrrrrr... Está frio. Mais logo temos post no blog com estas trufas de chocolate branco e coco que se fazem em três tempos.

Trufas de Chocolate Branco e Coco Ralado

Ingredientes para 25 trufas:

  • 180 g de chocolate branco
  • 100 ml de leite condensado
  • 50 ml de leite de coco Ayam
  • 100 g de coco ralado 
  •  30 g de coco ralado para envolver  as trufas

Preparação:

Levar ao lume o leite condensado misturado com o leite de coco.

Pique o chocolate e junte-o ao leite condensado quente. Deixe repousar dois ou três minutos e mexa para envolver.

Adicione o coco ralado e coloque tapado com pelicula no frigorifico por uma hora para o chocolate solidificar.

Retire do frio e com a ajuda de uma colher retire pequenas porções e faça bolinhas do tamanho de uma noz pequena, passe-as por coco ralado e coloque num prato de servir ou em caixinhas de papel frizado.

Sugestões:

Pode colocar um pouco de ameixa seca dentro de cada uma das bolinhas, para isso forme a bola, achate um pouco como se fosse uma bolacha, coloque o pedaço de ameixa seca e feche envolvendo a ameixa. Conforme imagem abaixo:

IMG_9325

Notas: 

O leite de coco Ayam vem em embalagem tetrapack de 200 ml, o restante pode ser congelado para usar em outros cozinhados. Eu costumo congelar em couvetes de gelo, para poder usar em pequenas porções.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:45

E vão 8

por Moira, em 20.11.15

Estamos a ficar velhotes, por isso trouxe-vos um bolo de outros tempos, tempos em que nada se deitava fora, em que não se estragava comida e em que tudo se aproveitava. A minha avó fazia-o sempre que lhe sobravam claras depois de fazer arroz doce.

Nesses tempos a palavra reciclar não tinha o impacto que tem hoje, mas na realidade todos o faziam e era determinante na economia doméstica, tudo se recliclava, roupa e comida.

Não tenho muitas saudades desses tempos, foram tempos difíceis para a minha família, mas por outro lado foram determinantes para a minha formação enquanto pessoa.

E como me sobraram claras do último bolo que fiz, utilizei-as para este bolo singelo com o qual proponho comemorar estes 8 anos de blog.

E desse lado o que fazem quando vos sobram claras?

 

Bolo Prata

125 g de açúcar 

62 g de manteiga 

125 g de farinha de trigo 

1 colher de chá de fermento em pó

6 claras de ovo

Preparação:

Bater as claras em neve com uma pitada de sal. Reservar.

Bater muito bem o açúcar com a manteiga até obter uma mistura cremosa, juntar a farinha e o fermento peneirados, alternando com um pouco de claras batidas em neve. 

Por fim adicionar as restantes claras e envolver com uma espátula.

Levar ao forno quente a 180º C em forma de burado untada e enfarinhada durante cerca de 25 minutos.

Deixar esfriar e servir com um chá.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:27

Das Coisas Simples

por Moira, em 11.11.15

Este blog tem andado muito paradinho, não que não se tenha comido por aqui, apenas porque não há nada de novo, que na minha opinião seja passível de relatar.

Acontece que num destes dias calhou isso em conversa e, disseram-me que, o que para mim não merece relato para outros pode ser importante.

É assim que hoje vos trago o meu arroz preferido. Aquele que faço há anos, sempre da mesma maneira e que fica sempre do nosso agrado, mas não pensem que é algo muito especial, pelo contrário, é apenas um arroz muito simples, mas muito saboroso.

E vocês têm algum arroz que seja o vosso preferido.

Que qualidade de arroz preferem?

Gostam dele solto ou "malandrinho"?

IMG_8976A

Arroz de Cenoura com Ervilhas

Ingredientes:

  • 1 cenoura média
  • 1 cebola pequena
  • 1 dente de alho
  • 1 folha de louro
  • 3 colheres de sopa de azeite
  • 1 chávena de arroz (usei basmati)
  • 2 chávenas de água quente
  • sal q.b.
  • 1 colher de sopa de coentros picados (ou salsa se preferir)

Preparação:

Descascar a cenoura, cortar em quatro no sentido do comprimento e fatiar bem fininho.

Picar a cebola e o alho bem pequenino e colocar juntamente com a folha de louro e a cenoura cortada num tacho com o azeite.

Deixar refogar em lume muito brando até a cenoura começar a amolecer, adicionar o arroz lavado e juntar 2 chávenas de água quente. Quando começar a ferver adicionar as ervilhas e deixar cozinhar em lume brando até toda a água ter evaporado. Polvilhar com os coentros picados mexer e servir de imediato.

Fica muito bem com frango estufado com cebola e cerveja preta.

Notas: Habitualmente uso uma medida de arroz para duas medidas de água ou caldo, para um arroz solto. É importante lavar o arroz para lhe tirar alguma goma, no entanto a quantidade de água depende muito da qualidade do arroz.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:05

Dia Mundial do Pão - World Bread Day

por Moira, em 16.10.15

Pode ser feito a partir de diferentes tipos de cereais, pode ter processos de fermentação diversos, ter muitos formatos e diferentes formas de cozimento. 

É um alimento importante para todos os povos e está presente em todas as culturas desde épocas ancestrais. 

Alimento básico para uns, infelizmente um luxo para tantos, o pão continua a ser um dos alimentos com maior simbolismo para toda a humanidade.

Por isso e tudo o mais que fica por dizer, a minha escolha para celebrar o Dia Mundial do Pão 2015 é um Pão Sírio, porque o pão também pode e deve ser solidariedade e partilha. 

It can be made from different types of grains may have different fermentation processes and many different shapes or forms of baking.

It is an important food for all the people around the world and is present in all cultures since ancient times.

Basic food for some, unfortunately a luxury for many, bread is one of the foods with the greatest symbolism for all mankind.

For all of this and everything else that is to say, my choice to celebrate the World Day of Bread 2015 is a Syrian Bread, because bread is and should be also solidarity and sharing. (Receipe in english at the end of the post)

Pão Sírio

Pão Sírio

Ingredientes

  • 1 pacote de fermento para pão (usei fermipan)
  • 2 chávenas e meia de água morna
  • 1 colher de sobremesa de açúcar
  • 1 colher de sobremesa de sal
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 7 chávenas de chá rasas de farinha da trigo

Preparação:

Numa taça grande dissolver o fermento com um pouco de farinha e meia chávena de água morna. Esperar cerca de 10 a 15 minutos até a massa começar a borbulhar.

Juntar os restantes ingredientes e misturar tudo à mão ou com uma colher de pão. Despeje a massa sobre uma superfície enfarinhada e amasse durante alguns minutos. Coloque numa tigela untada, cubra com um pano e deixe levedar num local ameno até dobrar de volume, mais ou menos duas horas.

Volte a colocar a massa numa mesa ligeiramente enfarinhada e volte a amassar para retirar as bolhas de ar. Divida a massa em 4 partes iguais e estenda cada uma das partes num círculo, coloque-os em tabuleiros, tape com um pano e deixe levedar de novo por mais meia hora. Enquanto isso ligue o forno nos 180º C.

Antes de pôr os pães no forno pique-os com um garfo conforme a foto. Leve ao forno quente por cerca de 20 minutos ou até estarem dourados. 

A massa pode ser guardada dentro do frigorifico por uma semana caso não queira fazer os quatro pães de uma só vez.

Estes pães também são bons pincelados com azeite e salpicados de óregãos e azeitonas.

Agradecimentos:

Agradeço à Zorra pela organização deste evento ano após ano, que já vai na sua 10ª edição WBD e consegue juntar centenas bloguers de todo o mundo.

Os meus agradecimentos também às minhas colegas de trabalho, à Maria José, pelas mãos e pela paciência de atender aos meus pedidos de fotógrafa mais que amadora e à Rita Pupo pela edição da foto. 

Agradeço também à Hanna do blog House Vegan onde encontrei a receita deste pão.

IMG_8813

Syrian Bread - Makes 4 Loaves

Ingredients:

  • 1 package of bread yeast (11g)
  • 2 and a half cups of warm water
  • 1 tea spoon of sugar (8g)
  • 1 tea spoon of salt
  • 1 table spoon of olive oil
  • 7 cups of all purpose flour

Preparation:
In a large bowl combine the yeast, half a cup of flour and half a cup of water. Allow it to sit for 10 or 15 minutes, until rise and make bubbles.
Add the rest of ingredients to the yeast mixture and mix with a wooden spoon.
Pour the dough on a floured surface and knead for several minutes. Coat your mixing bowl with oil. Place the dough in the bowl, and cover it with a tea towel. Allow the dough to rise until doubled in size, about 1 1/2 - 2 hours.
Punch your dough down, and pour in onto a very lightly floured surface. Knead it a couple of times to get the bubbles out. Cut the dough into quarters, and roll each quarter into circles. Cover the loaves with your tea towel, and let them rise for half an hour. Meanwhile, preheat your oven to 180º C.
After the second rise place the loaves on un-greased cookie sheets. Using a fork, poke holes in each loaf. The pattern should look like you're going to cut a pizza.
Bake in the preheated oven for 20 minutes or until golden.

The dough can be stored in the refrigerator for a week if you do not want to do all the breads at once.

These breads are also good brushed with olive oil and sprinkled with oregano and olives.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:27


WOOK - www.wook.pt




tertulianos em linha

Insira o seu endereço de e-mail:

Entregue por FeedBurner




Facebook

Tertúlia de Sabores da Moira

Divulga também a tua página


Instagram


Follow Me on Pinterest



World Bread Day

World Bread Day 2015 (October 16)


Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D